31 maio 2007

Vaticano favorável à entrada da Turquia na União Europeia

A Igreja católica é favorável à entrada da Turquia na União Europeia pois este país "percorreu um longo caminho" e "respeita as regras fundamentais da vida comum", declarou o número dois do Vaticano, Tarcisio Bertone.
Interrogado pelo La Stampa, à margem de uma conferência sobre o tema "Cristianismo e Secularismo", o secretário de Estado da Santa Sé considerou que "a Turquia é um país que é definitivamente laico". "Na Europa exalta-se a laicidade enquanto laicismo. E em nome deste laicismo, rejeita-se qualquer referência às raízes judaico-cristãs [da Europa]", indicou. "Mas a Turquia também percorreu um longo caminho e continua a fazê-lo [...]. As posições são naturalmente muito diferentes, mas com os povos e os governos que respeitam as regras fundamentais da vida em comum pode-se dialogar e construir em conjunto um bem comum na esfera europeia e na esfera da comunidade mundial", considerou Bertone. Questionado sobre se tal incluía "uma entrada na UE", Bertone respondeu: "Incluindo uma entrada na Europa".
As relações entre o Vaticano e a Turquia ficaram perturbadas quando em 2004 o papa Bento XVI, na altura ainda cardeal Joseph Ratzinger, se pronunciou contra a entrada da Turquia na UE. Posteriormente as relações normalizaram-se, tendo o Vaticano precisado que o cardeal Ratzinger falava a título pessoal. Mas uma nova crise ocorreu em Setembro de 2006, após o discurso do papa em Ratisbona, durante uma viagem à Alemanha, em que parecia associar o Islão à violência, desencadeando uma violenta polémica. Bento XVI conseguiu reduzir igualmente este foco de tensão, efectuando uma viagem histórica em Dezembro último à Turquia, durante a qual rezou na Mesquita Azul de Istambul, gesto excepcional que permitiu virar a página uma vez mais. Em Janeiro deste ano, o papa homenageou o "compromisso da Turquia em favor da paz", lembrando o seu "papel de ponte" entre a Ásia e a Europa e de "cruzamento entre as culturas e as religiões".

(Fonte: Diário dos Açores)

Sem comentários: