21 setembro 2022

Turquia condena referendos russos de anexação

A Turquia condenou, esta quarta-feira, os referendos de anexação "ilegítimos" da Rússia em quatro regiões sob o seu controlo na Ucrânia.

"Tal facto consumado ilegítimo não será reconhecido pela comunidade internacional", indicou o Ministério dos Negócios Estrangeiros turco num comunicado.

A Turquia nunca reconheceu a anexação da península da Crimeia, na Ucrânia, por Moscovo, que ocorreu durante os primeiros meses de um conflito latente que eclodiu em 2014 e culminou com a invasão russa em 24 de fevereiro de 2022.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, que tem relações com Kiev e Moscovo, tentou abrir negociações e conseguir um cessar-fogo, até agora sem sucesso.

Mas, segundo a Turquia, a decisão russa de organizar em breve referendos sobre a anexação dos territórios conquistados e de mobilizar parcialmente os reservistas marca um agravamento no conflito.

Na terça-feira, Erdogan disse aos líderes mundiais reunidos nas Nações Unidas, em Nova Iorque, que Moscovo e Kiev precisavam de ajuda para encontrar uma "saída digna" da crise.

(Fonte: JN)



08 setembro 2022

60ª edição Modtíssimo: Fábricas turcas ocupam montra da indústria têxtil portuguesa

Mais de uma dezena de empresas da Turquia, um dos principais concorrentes da indústria portuguesa do têxtil e do vestuário, compraram stands para expor na feira Modtissimo, ao lado da oferta nacional.

Com pequenos galhardetes de Portugal e da Turquia entrelaçados em cima das mesas e concentrados no corredor mais à esquerda do pavilhão 5 da Exponor, em Matosinhos, os stands da extensa delegação turca, que ultrapassou uma dezena de expositores, foram uma das surpresas da 60.ª edição do Modtíssimo, o mais antigo salão têxtil da Península Ibérica e que reclama o estatuto de único em Portugal dedicado à fileira do têxtil e vestuário.

Naquela que é considerada a principal montra deste setor em solo nacional – a edição que terminou esta quarta-feira contou com um total de 240 expositores, dos quais apenas 16 oriundos do estrangeiro –, o reforço da presença das empresas turcas, uma das principais concorrentes da indústria nacional, é encarado por Manuel Serrão como uma forma de internacionalização do próprio evento. “E não vêm todos os que querem. Gostariam de vir mais ainda, mas temos um teto”, disse ao ECO o porta-voz da organização.

“Dos turcos que estão aqui, há alguns que são uma concorrência mais direta, mas isso é a vida – na Première Vision [feira para profissionais de moda organizada em Paris] estão 160. Mas a maioria tem produções complementares, como nos bordados ou alguns tecidos, em segmentos em que Portugal não é competitivo”, descreve o CEO da Associação Selectiva Moda, notando que o interesse por parte desta origem tem crescido nas últimas três edições e que já há algumas parcerias entre empresas dos dois países, como é o caso da Antik Dantel na área das malhas com a LMA, de Santo Tirso.

Por que escolhem vir a este evento em Portugal? “Por um lado, acham que esta feira atrai agentes estrangeiros interessantes; mas estão essencialmente interessados nos compradores portugueses porque sabem que eles vêm ao Modtissimo com mais tempo e em maior número do que vão ao estrangeiro. Temos muitas confeções [nacionais] a visitar a feira para comprar tecidos, por exemplo”, responde Manuel Serrão, que lidera o “braço” da principal associação do setor (ATP) para a área da internacionalização.

É o caso da Ugurteks, especializada no fabrico de tecidos e oriunda da cidade de Tekirdağ, no noroeste da Turquia, que tem a Inditex (dona da Zara) na lista de clientes e Espanha como melhor mercado. Ainda assim, o diretor de vendas e de marketing, Murat Gezgin, conta ao ECO que foi por sugestão da agente com que trabalham em Itália que veio pela primeira vez a esta feira no Norte de Portugal.

“Quando vendemos tecidos para Itália, por vezes eles compram diretamente e outras vezes pedem-nos para enviá-los para Portugal porque há aqui uma indústria de confeção. E também há algumas marcas portuguesas de vestuário que estamos interessados em fornecer. Esperamos que nos aceitem”, resume o gestor desta empresa turca, reclamando que são “mais baratos que os fabricantes de tecidos em Itália e a qualidade é tão boa como a deles”.

Mais de 350 coleções, com destaque para os tecidos e acessórios para confeção, estiveram em exposição na Exponor, num espaço com 9.500 metros quadrados – quase dois mil a mais do que na edição de fevereiro – e que, mesmo depois desse aumento de área, foram insuficientes para dar resposta à procura dos expositores. De acordo com a organização, o número de visitantes rondou os 4.000 durante os dois dias do evento.

(Fonte: ECO)

29 março 2022

Rússia e Ucrânia: MNE da Turquia vai dar início às negociações de Istambul


O ministro turco dos Negócios Estrangeiros, Mevlut Çavusoglu, iniciou hoje de manhã as negociações com os delegados da Ucrânia e da Rússia.

A ronda negocial vai decorrer no Palácio de Dolmabahçe, Istambul, última residência dos sultões no Bósforo e último centro administrativo do antigo Império Otomano e onde a Presidência turca dispõe de um gabinete oficial. 

Inicialmente o encontro vai decorrer na presença do chefe da diplomacia da Turquia e mais tarde os contactos decorrem entre as duas delegações.  

"As duas partes têm preocupações legítimas. É possível alcançar uma solução que seja aceitável para a 'comunidade internacional'", disse hoje o chefe de Estado da Turquia após ter recebido os representantes das duas delegações. 

"Cabe a ambas as partes pôr fim a esta tragédia", insistiu Erdogan, acrescentando que "a extensão do conflito não é do interesse de ninguém".

"O mundo inteiro quer ouvir boas notícias da vossa parte", frisou o chefe de Estado turco.

A Turquia já recebeu no passado dia 10 de março em Antalya, sul do país, a primeira ronda de negociações entre os chefes da diplomacia da Rússia e da Ucrânia, mas o encontro não conseguiu alcançar o cessar-fogo. 

A Turquia, que faz fronteira com os dois países no Mar Negro, tentou desde o início da crise gerir as relações com as duas partes e procurou facilitar a mediação entre Kiev e Moscovo.

Por outro lado, a Turquia está envolvida, com a França e a Grécia, nas negociações sobre a retirada de civis da cidade de Mariupol, assediada pelas forças russas.

Na segunda-feira à noite, após uma reunião do governo turco, o presidente Erdogan argumentou que a Turquia é "o único país" que desde a anexação da Crimeia pela Rússia, em 2014, tem promovido "esforços sinceros" com vista a uma solução para crise através do diálogo.

Por outro lado, esta ronda negocial que vai decorrer em Istambul ocorre depois das primeiras notícias publicadas nos Estados Unidos sobre o eventual envenenamento do "oligarca" Roman Abramovich, com nacionalidade russa, israelita e portuguesa, que está a tentar mediar negociações entre Moscovo e Kiev para pôr fim à guerra na Ucrânia.

De acordo com notícias publicadas na segunda-feira pelo Wall Street Journal, após uma reunião na capital ucraniana no início de março, o bilionário, proprietário do clube de futebol inglês Chelsea, e pelo menos dois membros seniores da equipa de negociadores ucranianos "desenvolveram sintomas" suspeitos.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse no passado domingo que vários empresários russos, incluindo Abramovich, se tinham oferecido para ajudar a Ucrânia.

O Wall Street Journal revelou, na semana passada, que o Presidente ucraniano tinha pedido ao chefe de Estado norte-americano, Joe Biden, para não sancionar Abramovich, argumentando que o magnata pode participar nas negociações de paz.

O bilionário russo não está na lista dos "oligarcas" sancionados por Washington.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que causou, entre a população civil, pelo menos 1.035 mortos, incluindo 90 crianças, e 1.650 feridos, dos quais 118 são menores, e provocou a fuga de mais 10 milhões de pessoas, entre as quais 3,70 milhões para os países vizinhos, segundo os mais recentes dados da ONU.

Segundo as Nações Unidas, cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

(Fonte: Notícias ao Minuto)


18 março 2022

Maior ponte suspensa do mundo inaugurada em Çanakkale


Com 3563 metros de comprimento, dos quais mais de 2000 num vão central suspenso, foi esta sexta-feira inaugurada a maior ponte suspensa do mundo. Chama-se "Ponte Canakkale 1915" e foi construída no Estreito de Dardanelos, no noroeste da Turquia, encurtando o tempo de passagem entre a Europa e a Ásia para apenas seis minutos (a anterior ligação por ferry demorava cerca de meia hora).

(Fonte: Diário de Notícias)

07 janeiro 2022

Turquia aumenta exportação de vestuário em mais de 20%

A Turquia está a capitalizar a sua posição geográfica junto da Europa e as dificuldades impostas pelo aumento exponencial dos transportes internacionais, a par de uma forte desvalorização da sua moeda. Até novembro exportações de vestuário registaram um aumento da ordem dos 20% em comparação com o ano anterior.

Entre janeiro e novembro de 2021, as exportações de vestuário (incluindo têxteis e roupa) aumentaram 20,1% relação ao ano anterior, para se fixarem nos 54,5 mil milhões de euros, superando os números anteriores à pandemia, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatísticas da Turquia.

Nos primeiros nove meses do ano, as exportações de produtos têxteis cresceram 24,3%, enquanto as de vestuário aumentaram 16,9%, especifica o instituto. Em todos os sectores da economia como um todo, as exportações da Turquia cresceram 20,5% entre janeiro e novembro, para os quase 180 mil milhões de euros.

No geral, a Alemanha é o principal cliente da Turquia, respondendo por 8,2% das exportações, seguida do Reino Unido e dos Estados Unidos, num contexto em que no último ano a lira turca registou uma queda de quase 45% a face ao dólar e a inflação anual atingiu em dezembro um recorde de 36,08%.

O presidente Recep Erdogan continua a defender os seus resultados económicos, mas, segundo noticiou a AFP, “os atuais números têm sido objeto de batalha política, com a oposição e parte da população a acusar o Gabinete Nacional de Estatísticas (Tüik) de subestimar conscientemente a subida dos preços”, e a apontar para afalta de independência do banco central, do qual o presidente turco já demitiu três governadores desde 2019.

Fonte: (Jornal T)

02 janeiro 2022

Líderes russo e turco discutem exigências de Moscovo à NATO e crise na Ucrânia

O Presidente russo, Vladimir Putin, e o seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, cujo país é membro da NATO, discutiram este domingo, por telefone, as exigências feitas por Moscovo à Aliança Atlântica sobre a crise na Ucrânia.

A Presidência turca disse que os dois governantes tinham “discutido medidas para melhorar as relações” entre Ancara e Moscovo.

O Kremlin (Presidência russa) indicou, por sua vez, que os dois líderes tinham “confirmado a intenção de reforçar a parceria mutuamente benéfica entre a Rússia e a Turquia”.

Moscovo adiantou, porém, que Putin e Erdogan tinham “também discutido questões internacionais”, incluindo “as bem conhecidas propostas de estabelecer acordos legalmente formalizados, que garantiriam a segurança da Federação Russa”, bem como “a situação no Cáucaso e as questões da resolução das crises na Síria e na Líbia”.

A Rússia e a Turquia mantêm uma relação de parceria, apesar de interesses divergentes ou concorrentes em vários cenários geopolíticos, como é o caso na Síria e na Líbia, onde são atores importantes.

Os dois países estiveram também na sombra de um recente conflito armado no Cáucaso no enclave Nagorno-Karabakh, palco de disputas entre o Azerbaijão e a Arménia há várias décadas.

As tensões entre Moscovo e Ancara aumentaram recentemente devido à crise na Ucrânia, com Putin a criticar o seu homólogo turco por fornecer ao exército de Kiev ‘drones’ (aparelhos aéreos não tripulados) armados, utilizados contra os separatistas pró-russos no leste ucraniano.

Além disso, num momento em que o Ocidente se preocupa com uma possível intervenção russa na Ucrânia, acusando Moscovo de ter concentrado tropas e veículos blindados perto da zona fronteiriça, Ancara criticou, na semana passada, o Kremlin por fazer exigências “unilaterais” à NATO.

Enquanto negava os planos de invasão da Ucrânia, a Rússia revelou, a 17 de dezembro, propostas de tratados para limitar a influência dos Estados Unidos e da NATO na sua vizinhança.

Os dois textos apresentados preveem a proibição de qualquer expansão desta aliança militar – nomeadamente à Ucrânia – e o estabelecimento de bases militares norte-americanas nos países do antigo espaço soviético.

A questão foi objeto de duas conversas telefónicas, realizadas com um intervalo de menos de um mês, entre Vladimir Putin e o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que ameaça a Rússia com severas medidas de retaliação em caso de uma intervenção militar na Ucrânia.

As propostas de Putin serão igualmente discutidas entre os dois países (Rússia e Estados Unidos) no dia 10 de janeiro, em Genebra.

Segue-se uma reunião do conselho NATO-Rússia (fórum de diálogo criado em 2002), em 12 de janeiro, e um encontro entre Moscovo e a Organização para a Segurança e Cooperação da Europa (OSCE), previsto para o dia seguinte.

Nos últimos anos, a Turquia, que é membro da Aliança Atlântica desde 1952, suscitou fortes críticas por parte da NATO devido à compra do sistema de mísseis antiaéreos russos S-400.

Fonte: (Observador)


05 novembro 2021

Fenerbahçe anuncia primeira portuguesa na Turquia

Começou em Portugal, seguiu nos EUA, onde completou o percurso académico, teve continuidade em Itália e Finlândia - onde se estreou, já na presente temporada, na Liga dos Campeões - e agora Turquia. É este o percurso de Mariana Jaleca, que a partir desta sexta-feira se tornou na primeira portuguesa a alinhar no campeonato feminino da Turquia, ao ter sido anunciada como reforço do bem conhecido Fenerbahçe.

Poder conhecer um novo país, confirma Jaleca junto de A BOLA, favoreceu esta escolha: «Aprendi sempre muito por todos os países/clubes que passei e representar o Fenerbahçe é sem dúvida mais uma oportunidade para continuar a crescer como jogadora. Será mais uma cultura para conhecer e mal posso esperar por aprender mais sobre o país, mas a minha escolha foi focada na minha carreira como profissional.»

A médio junta-se a um grande do futebol turco, mas que só no presente ano criou futebol feminino, uma oportunidade impossível de rejeitar. «Tive outras propostas, mas foi o Fenerbahçe que conquistou a minha atenção. Esta é uma nova era para o futebol feminino na Turquia e uma oportunidade entusiasmante para mim, enquanto jogadora, de poder deixar o meu nome ligado a um dos maiores clubes turcos», justifica.

«O Fenerbahçe, como clube grande que é, entra com a ambição de vencer, e a verdade é que era uma proposta irrecusável no seu todo. Acredito que estou no clube certo e que o sucesso nos acompanhará nesta nova era», acrescentou. 

Além do Fenerbahçe, outros grandes do futebol turco iniciaram agora o percurso no futebol feminino e as condições, salienta Jaleca, são excelentes. «Desde que aterrei em Istambul que sou tratada com o máximo de respeito e profissionalismo. Temos tudo o que uma equipa de um clube grande deve ter, acredito que o projeto que o Fenerbahçe está a desenvolver será uma referência na Turquia e um exemplo para outros clubes. Estou bastante feliz e entusiasmada pelo início da temporada», completa a criativa, que defrontará várias adversárias de Portugal na caminhada para o Mundial 2023 - recorde-se que a Turquia faz parte do grupo de qualificação de Portugal.

(Fonte: A Bola)


23 outubro 2021

Mestre de kempo nascido em Paredes vai de Lousada até à Turquia para representar Portugal

No Mundial de kempo, Ricardo Fonseca vai defrontar atletas profissionais. "São pagos para lutar e eu não, tenho outro trabalho... a dificuldade é muito alta, mas mesmo assim quero ser campeão", atira confiante.

Nasceu em Castelões de Cepeda (Paredes), vive em Lousada e, de 26 a 31 de outubro, vai representar Portugal no Campeonato do Mundo de Kempo. Falamos-lhe de Ricardo Fonseca, jovem de 25 anos que está entre os oito atletas selecionados de um universo de 80 no norte do país. “Fizeram a Seleção A, a B e a de Reservas. Eu fiquei na A Elite, que irá representar Portugal na Turquia”, começa por explicar com orgulho.

Ricardo é mestre em artes marciais e também personal trainer. Significa isto que partirá para um Mundial sem o estatuto profissional detido por grande parte dos atletas, o que o coloca desde logo em desvantagem. “Não é tarefa fácil, porque a maior parte dos atletas são profissionais. São pagos para lutar, enquanto que eu tenho outro trabalho, não me consigo dedicar a 100 por cento.”

Gostava de ser profissional, porque isso às vezes faz toda a diferença...

Porém, esse aspeto não o demove do objetivo de subir ao lugar mais alto do pódio por terras turcas.“Tenho expectativas de ser campeão mundial! O nível de dificuldade é muito elevado, mas, mesmo assim, tenho de arranjar uma estratégia para ser campeão”, atira determinado.

Ricardo iniciou a prática de artes marciais aos quatro anos. Na altura, começou pelo kung fu, mas rapidamente se aventurou pelo kempo por influência do seu mestre da altura.

Desde então, já se passaram mais de 15 anos, durante os quais a prática da modalidade moldou o paredense e fez dele aquilo que é hoje. “O kempo transmite ao atleta muita disciplina, autocontrolo e autoestima. Eu era uma pessoa muito tímida e frágil. Tinha medo de muita coisa e o kempo ajudou-me a superar isso. Hoje, sou um atleta autoconfiante, ambicioso e sem medo de nada!”

O kempo mudou completamente a minha vida e comecei a vivê-la através das artes marciais, mesmo cá fora.

Para além da questão da mentalidade, Ricardo também não deixa de admirar o facto de, no seu entender, o kempo ser “o desporto de combate mais completo que existe”. E explica porquê: “há várias disciplinas e pode ser adaptado a qualquer pessoa. Dá para combater de pé, no chão, com luta de impacto, imobilização ou submissão, projeções e varrimentos, … é um desporto muito completo e, quem pratica kempo, está pronto para competir em qualquer lado.”

Por fim, o atleta que irá representar dentro em breve as cores nacionais revelou-nos quais os seus planos futuros em torno do kempo: “o objetivo principal é expandir a minha turma e fazer novos campeões.”

(Fonte: A Verdade)

20 outubro 2021

Empresa turca de entregas ultrarrápidas chega a Portugal



A empresa turca Getir lançou o seu serviço em Lisboa no início desta semana e tem prevista a chegada a novas cidades nos próximos meses. Compromete-se ainda a fazer entregas em apenas 10 minutos.

Conta com várias G-Stores em Lisboa, permitindo aos consumidores da capital portuguesa efetuar compras com a máxima rapidez, através da aplicação. Equipados com bicicletas e scooters elétricas, os entregadores Getir "levarão até casa dos utilizadores uma ampla gama de produtos, em poucos minutos, durante todo o dia e até à meia noite".

A empresa turca tem estado a expandir-se na Europa, com capacidade para fazer entregas de última hora de uma seleção de milhares de produtos de uso diário, em cerca de 10 minutos.

"Lisboa é um dos destinos mais populares da Europa. Com um estilo de vida único, onde a história e o futuro convivem, Portugal é o mercado natural para expandirmos a nossa operação. A nossa missão é fazer os nossos clientes felizes. E o nosso serviço útil e de conveniência permite que as pessoas tenham mais tempo livre para si, para que possam aproveitar a fazer o que mais gostam", refere Nazim Salur, fundador da Getir.

A Getir foi fundada em 2015 em Istambul e foi pioneira nas entregas ultrarrápidas em todo o mundo. Depois de se ter expandido para o Reino Unido, em janeiro de 2021, a Getir já chegou a outros países europeus como Alemanha, França, Holanda, Espanha e Itália. A empresa está ainda a preparar-se para entrar nos Estados Unidos até ao final do ano.

(Fonte: Jornal de Negócios)

15 outubro 2021

Presidente da Turquia a caminho de Luanda

José Patrício, embaixador de Angola naquele País, referiu que os turcos podem e foram convidados pelo Chefe de Estado angolano a desempenhar um papel activo no processo de industrialização de Angola.

O Presidente da Turquia tem agendado para domingo, 17 de outubro, uma visita de Estado a Angola.

Com chegada prevista para as 17h30 daquele dia, a agenda do Chefe de Estado turco reserva visita no dia 18 ao Memorial Dr. António Agostinho Neto, Museu da História Militar, Fórum Empresarial num dos hotéis de Luanda e encontro com o seu homólogo angolano, João Lourenço, no Palácio Presidencial.

O Presidente da Turquia termina a sua visita de Estado no dia 19 de Outubro.

Em entrevista exclusiva ao Mercado aquando da visita de João Lourenço a Turquia, José Patrício, embaixador de Angola naquele País, referiu que os turcos podem e foram convidados pelo Chefe de Estado angolano a desempenhar um papel activo no processo de industrialização de Angola. “Aqui estamos a falar da instalação de parques industriais, pólos de desenvolvimento e criativos clusters de desenvolvimento virados para o futuro e apostados no virar da página do subdesenvolvimento que teima em amargurar a vida dos angolanos que fazem gala de pertencerem a um paraíso geológico, mas que ainda vivem na pobreza”.

“A nossa agricultura”, explicou na altura, precisa dos inputs da industrialização para torná-la mais produtiva e eficiente. E a Turquia, insistiu, pode e está empenhada nesta parceria em que “todos saímos a ganhar”.

Tudo o que acabo de dizer não é nada mais do que falar do PRODESI cujo foco é a produção nacional, a diversificação das exportações e a substituição das importações. “Diria que a envolvência é geral, mas nesta fase do nosso desenvolvimento, há uma maior incidência nas infra-estruturas, energia, agro-indústria, nos transportes e recursos minerais, dizia numa alusão a preferência do empresariado turco.

Fonte: Mercado