31 outubro 2013

Escola Profissional da Póvoa de Lanhoso esteve em Izmir

De 19 a 25 de Outubro, uma equipa da EPAVE - Escola Profissional do Alto Ave, da Póvoa de Lanhoso, marcou presença na Turquia, no âmbito do projecto Comenius, onde também estiveram presentes parceiros da Turquia, Itália, Roménia, e Hungria.
Recorde-se que o Comenius é Programa financiado pela Comunidade Europeia junto da PROALV e pela Agência Nacional de Aprendizagem ao Longo da Vida. “A visita a este país tinha como objectivo apresentar trabalhos, workshops e acções de voluntariado elaborados por cada um dos países envolvidos sobre “Aprender a ser Cidadão Activo na UE”. Neste contexto, as equipas visitaram uma Livraria/Editora para invisuais gerida por voluntários, e levaram a cabo uma acção de voluntariado num Lar de Idosos em Narlidere”, referiu a coordenadora do projecto na EPAVE, Amélia Veloso. A visita completou-se com um programa cultural conduzido pelos parceiros anfitriões à sua cidade: Izmir.
“Os resultados desta experiência são um enorme enriquecimento pessoal e profissional para todos os elementos da equipa, a imputar no desenvolvimento das respectivas a actividades estudantil e profissional”, destaca Amélia Veloso.
 
(Fonte: Correio do Minho)

Sonae Sierra entra na Turquia

A Sonae Sierra anunciou hoje a entrada na Turquia através da Sierra Reval, uma nova empresa criada em parceria com os Turcos da Reval e que passa, desde já, a gerir e comercializar 10 centros comerciais no país. Para a empresa do grupo Sonae, o interesse no mercado turco é justificado pelo crescimento" a um ritmo sustentável" dos centros comerciais na Turquia, "acompanhando o aumento do poder de compra da população". Em comunicado, a empresa nortenha refere ainda que a estrutura etária do país, com 43% da população abaixo dos 24 anos e outros 43% entre os 25 e os 54 anos, coloca a Turquia como "um dos destinos mais populares para as marcas internacionais e investidores estrangeiros". "A entrada no mercado turco é um passo significativo que consolida a nossa diversificação geográfica e expande o nosso negócio de fornecimento de serviços com um portefólio sólido", comenta o presidente executivo da Sonae Sierra, Fernando Guedes de Oliveira. Com 10 contratos já assinados na Turquia e um portfólio de mais de 215 mil metros quadrados de área bruta locável, a Sierra Reval nasce com vocação para pré-desenvolver, desenvolver, comercializar e gerir centros comerciais, combinando o seu know how internacional da Sonae Sierra com o conhecimento do parceiro escolhido naquele mercado, onde soma mais de 20 anos de experiência.
A entrada na Turquia surge um dia depois da Sonae Sierra Brasil inaugurar o Passeio das Águas Shopping, o maior centro comercial do centro-oeste brasileiro, desenvolvido em Goiânia com um investimento de 150 milhões de euros que criou 6300 empregos diretos. Proprietária de 49 centros comerciais e presente em 12 países, a Sonae Sierra é responsável pela gestão e comercialização de 85 centros comerciais com um valor de mercado superior a 5,8 mil milhões de euros. Com cinco projectos em desenvolvimento, quatro dos quais para clientes, e cinco novos projectos em carteira, a empresa registou uma subida de 2,8% nas vendas dos seus centros comerciais em Setembro, comparativamente com o mês anterior. Depois da Sonae Sierra ter registado uma quebra de 2,5% nas vendas entre Janeiro e Julho face a período homólogo, este resultado permitìu fechar os primeiros nove meses do ano com alguns sinais de recuperação: até Agosto a redução nas vendas foi de 2% e entre Janeiro e Setembro a quebra desacelarou para 1,8%.
 
(Fonte: Expresso)

Deputadas entram pela primeira vez com véu islâmico no Parlamento turco

Três deputadas do partido islâmico-conservador no poder participaram hoje na sessão do Parlamento usando o véu islâmico, um facto inédito há 14 anos na Turquia.
As deputadas foram eleitas nas legislativas de 2011 nas listas do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP, islamita moderado) do primeiro-ministro Recep Tayyip Erdoğan.
Erdoğan aboliu recentemente a proibição de usar véu islâmico na função pública.
Em 1999, a deputada turco-americana Merve Kavakci foi ao parlamento com véu islâmico para a sua cerimónia de posse, da qual foi excluída. Posteriormente, abriu mão da nacionalidade turca.
 
(Fonte: Diário Digital)

30 outubro 2013

Dia da Turquia foi assinalado na Madeira

Por ocasião do Dia Internacional da Turquia e com a participação da embaixadora da Turquia, Ebru Baratçu Gökdenizler, e do cônsul honorário da Turquia na Madeira, Abdurrahman Can, será realizado um convívio promovido pelo Consulado Turco na Madeira, no Forte de São Tiago, amanhã, às 18h30, para assinalar esta data.
O secretário Regional da Educação e Recursos Humanos, Jaime Freitas, estará presente em representação do presidente do Governo Regional da Madeira.
 
(Fonte: dnotícias)

29 outubro 2013

Primeira ligação ferroviária submarina intercontinental liga Europa à Ásia no centro de Istambul

Perto de falha sísmica de alto risco, megaprojecto de Erdoğan é afirmação de dez anos no poder a pensar em novos objectivos eleitorais.
 
A primeira ligação ferroviária submarina intercontinental foi inaugurada nesta terça-feira em Istambul. Bastam quatro minutos a cerca de 60 metros de profundidade sob o Bósforo, o estreito que separa a Europa e a Ásia na grande metrópole que é Istambul, e cruza-se de um continente para outro. “Foi um sonho durante 150 anos e finalmente tornou-se realidade”, afirmou o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdoğan, na inauguração do primeiro dos seus megaprojectos para a cidade de Istambul.
O novo túnel ferroviário Marmaray, que atravessa o esteito do Bósforo junto ao mar de Mármara, usa tecnologia japonesa resistente a sismos — que permite aos arranha-céus tremer sem quebrar. Essa é uma necessidade imperiosa, pois o túnel fica a menos de 20 quilómetros da falha sísmica onde se tem acumulado mais stress sísmico e onde os cientistas calculam existir 68% de probabilidade de que se venha a registar um sismo de magnitude 7 ou superior nos próximos 30 anos. Aliás, a Turquia, e em especial Istambul, é uma zona de grande risco sísmico.
 
A estrutura mais segura de Istambul?
 
 
A Câmara dos Arquitectos e Engenheiros turcos deu hoje uma conferência de imprensa chamando a atenção para a vulnerabilidade do túnel, que poderá transportar mais de um milhão de pessoas diariamente. “Eu não viajaria nos comboios do Marmaray, e ninguém devia viajar”, afirmou Süleyman Solmaz, porta-voz da organização, citando um engenheiro que trabalhou no projecto durante anos. Kadir Topbaş, presidente da Câmara de Istambul, adianta a edição em inglês do jornal turco Hurriyet, respondeu garantindo que “todas as possibilidades foram levadas seriamente em consideração”, depois de se ter encontrado com o primeiro-ministro japonês, que esteve de visita a Istambul, para ver a inauguração, em que há interesses japoneses em jogo — além da tecnologia nipónica, grande parte da obra foi financiada pelo Banco Japonês para a Cooperação Internacional.
O ministro dos Transportes turco, Binali Yildirim garantiu que o projecto Marmaray é “a estrutura mais segura de Istambul”, com portas estanques para isolar cada secção, e será capaz de suportar um sismo de magnitude 9.
As grandes obras de engenharia, como o túnel Marmaray, são encaradas como uma forma de comemoração da década do partido islamo-conservador de Erdoğan no poder — e também de campanha para as eleições de 2014 (locais em Março e presidenciais em Junho) e 2015 (legislativas). O movimento de contestação do Parque Gezi, em Istambul, foi desencadeado em resposta a um projecto descaracterizador para esta praça do centro da cidade. O espírito de contestação tem continuado — nos últimos dias, mais em Ancara, com protestos em torno das condições favoráveis dadas ao réu no julgamento de um polícia que matou um estudante nos protestos de Junho. Ainda este mês, foi também criado o Partido do Parque Gezi, fundado por artistas e intelectuais.
 
(Fonte: Público)

Menos 5,1% de turistas portugueses na Turquia em Setembro

A Turquia recebeu 4.870 turistas portugueses em Setembro, menos 5,1% ou menos 260 turistas que no mês homólogo do ano passado, agravando o decréscimo no acumulado dos nove meses do ano até Setembro para -1,2%, ou menos 456 turistas que no período homólogo de 2012.
Os dados divulgados pelo Ministério turco da Cultura e Turismo mostram que a chegada de turistas portugueses em Setembro também é inferior relativamente ao mesmo mês de 2011, em 21,2% ou 1.312 turistas.
No mês de Setembro, a Turquia recebeu 4,266 milhões de turistas estrangeiros, o que corresponde a um aumento de 6,9% ou 274,7 mil relativamente ao mês homólogo do ano passado.
Nos nove meses de Janeiro a Setembro, as chegadas de turistas estrangeiros à Turquia estão com um aumento de 10,1% ou mais 2,598 milhões, para 28,355 milhões de turistas.
Neste período, a Turquia soma 37.265 turistas portugueses, menos 1,2% ou menos 456 que no período homólogo do ano passado e menos 17,1% ou menos 7.702 visitantes que entre Janeiro e Setembro de 2011.
(Fonte: PressTur)
 
 

25 outubro 2013

Nasceu um novo partido turco no Parque Gezi

 
Depois das manifestações do Verão, os grupos críticos de Erdoğan passaram à acção e fundaram o Partido do Parque Gezi, que pretende mudar a Constituição turca.
 
Inspirado pelos protestos do Verão em Istambul, o Partido do Parque Gezi (GZP) foi fundado esta quarta-feira. O objectivo é tornar-se numa alternativa ao Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP, islamita) do primeiro-ministro Recep Tayyip Erdoğan, no poder desde 2002. O partido nega a existência de uma liderança orgânica. “No Partido Gezi, presidente significa porta-voz. Gezi não aceita qualquer líder”, afirmou um dos fundadores, o músico de heavy metal, Cem Koksal, através da sua conta do Twitter. O símbolo do Partido do Parque Gezi será uma árvore estilizada em que o tronco será representado por uma pessoa. O próximo passo será a criação de uma página na Internet. O partido quer manter vivo o “espírito de Gezi”, não dizendo se pretende participar nas eleições do próximo ano. Para Março estão marcadas as eleições locais, mas é provável que o partido apresente listas para as legislativas de 2015. O objectivo primário do novo partido é influenciar o processo de revisão constitucional, promovendo os valores defendidos durante os protestos no Parque Gezi. “Sabemos que não podemos ter uma Constituição democrática sem luta. Ninguém irá dizer ‘aqui estão os direitos humanos para vocês, aqui está uma Constituição justa que permite que vivam todos juntos’. Entrar no Parlamento é necessário para mudar a Constituição”, pode ler-se na página do Facebook do partido, actualmente a única fonte de informação disponível, de acordo com o diário Hurriyet. "Queremos todos viver num país democrático. Para fazer valer as nossas reivindicações, descemos às ruas e perdemos vidas", diz ainda o comunicado divulgado na rede social.
Os protestos no Parque Gezi tiveram, de início uma origem ambientalista, quando um grupo de pessoas se manifestou contra a construção de um centro comercial no local. No entanto, as manifestações depressa passaram para o campo político, com milhões de Turcos a saírem às ruas contra Erdoğan, a quem acusavam de autoritarismo e de tentativas de islamizar o Estado turco. Um relatório recente da Amnistia Internacional considerou que a repressão dos protestos em Istambul foi desproporcional e condenou a acção da polícia e do Governo de Erdoğan. Seis pessoas morreram e mais de 8 mil terão ficado feridas durante os confrontos com a polícia. Desde então, a oposição ao AKP não tem conseguido capitalizar o descontentamento despertado durante os protestos. O partido de Erdogan continua a liderar as sondagens, num sinal de que a oposição existente não merece o crédito do eleitorado descontente. A paisagem política do país é dominada há mais de uma década por Erdoğan e pelo seu partido. Apesar do crescimento económico e da modernização que a Turquia vem assistindo, o conservadorismo propalado por Erdoğan, assim como os seus tiques ditatoriais, são criticados por uma fatia cada vez maior da população, especialmente entre os jovens. No entanto, é nas zonas rurais da parte asiática do país que Erdoğan continua a recolher apoio, permitindo a sua continuação no poder.
 
(Fonte: Público)

22 outubro 2013

União Europeia reabre negociações sobre adesão da Turquia

A União Europeia vai reabrir as negociações sobre o processo de adesão da Turquia, decidiram os ministros dos Negócios Estrangeiros que reuniram esta terça-feira no Luxemburgo.
"Desenvolvimentos recentes na Turquia sublinham a importância do compromisso com a União Europeia, que continua a ser o ponto de referência para as reformas naquele país. Com esse fim, as negociações para a adesão devem ganhar novo impulso", disse aos jornalistas o comissário responsável pelas adesões, Stefan Fule.
"Parabéns meus amigos turcos: abre-se um novo capítulo nas conversações de adesão à UE depois de uma pausa de três anos. É o momento de nos pormos em dia", escreveu no Twitter o chefe da diplomacia da Lituânia (país que detém a presidência rotativa da UE), Linas Linkevicius.
Em concreto, as negociações serão retomadas na próxima reunião sobre novos alargamentos, no dia 5 de Novembro.  E são retomadas após meses de tensão entre Bruxelas e Ancara sobre a matéria e sobre as políticas do Governo turco, chefiado por Recep Tayyip Erdoğan. Crucial para o desbloqueamento foi a mudança de posição da Alemanha, um dos países que mais obstáculos colocava à entrada da Turquia, que aceitou o retomar do processo. Fundamental foi também a publicação do relatório anual da Comissão Europeia sobre os países candidatos, que deu parecer positivo à Turquia.
O documento, publicado na semana passada, voltou a  criticar o uso excessivo da força contra os manifestantes turcos. Mas considera de forma muito positiva as reformas anunciadas por Erdoğan, que lhes deu o nome de "pacote democratizante". O primeiro-ministro turco centrou este primeiro pacote na minoria turca, concedendo aos Curdos alguns direitos, como o ensino da sua língua nas escolas privadas, e nas mulheres que vão ser autorizadas a usar o véu islâmico nos empregos que tenham no Estado. O juramento nacionalista obrigatório nas escolas públicas desaparece e será criada uma comissão anti-discriminação.
A Turquia foi membro associado da UE quando esta ainda se chamava Comunidade Económica Europeia. Pediu acesso em 1987 e o processo de negociação da adesão começou em 2005. Dos 35 capítulos estabelecidos para serem cumpridos por Ancara, apenas um foi completado até agora.
O reconhecimento, por parte de Ancara, da República Turca do Norte do Chipre, e falhas no respeito dos direitos humanos (entre eles a liberdade de expressão e de informação e os direitos das minorias) tornaram-se obstáculos ao avanço das negociações.
 
(Fonte: Público)

20 outubro 2013

Foram libertados os reféns turcos e libaneses

Os dois pilotos turcos raptados em Agosto no Líbano chegaram esta noite ao aeroporto de Istambul, na sequência daquele que parece ser o primeiro acordo internacional desde o início da guerra civil na Síria. Os dois Turcos tinham sido sequestrados em Beirute pelos familiares de um grupo de Libaneses raptados na Síria. Acolhido pelo primeiro-ministro turco, um dos pilotos, Murat Akpinar garante: “não fomos mal tratados, não sofremos qualquer violência física ou verbal. Se tal tivesse acontecido não estaríamos aqui hoje”. A libertação dos dois homens ocorre depois do grupo de peregrinos libaneses, raptados em Abril na Síria ter regressado a Beirute. A troca de reféns ocorre graças às negociações entre as autoridades da Turquia, Líbano, Qatar e Síria. Ao contrário dos Turcos, os libaneses afirmam ter sido maltratados pelos rebeldes, que os terão confundido com membros do Hezbollah, aliados de Damasco. “Graças a Deus, não posso dizer mais nada do que agredecer a Deus e a todos os que trabalharam para conseguir a minha libertação e a dos meus camaradas”, afirmou Rabih Saleh, um dos reféns, à chegada ao aeroporto de Beirute. O acordo com os rebeldes incluiu como contrapartida a libertação de 200 prisioneiros políticos das cadeias sírias, embora até ao momento não haja qualquer informação sobre se Damasco terá cumprido a sua parte do acordo.
 
(Fonte: Euronews)

19 outubro 2013

Líbano e Turquia trocam reféns

Nove Libaneses reféns no norte da Síria estão de regresso a Beirute, e dois pilotos turcos estão também de volta a casa, este sábado.
Os nove Libaneses faziam parte de um grupo de 11 sequestrado em Maio de 2012 por rebeldes sírios acusados de pertencerem ao Hezbollah, a organização política paramilitar que luta com as forças do Presidente sírio. Dois acabaram por ser libertados pouco depois do sequestro. As famílias dos homens sequestrados defenderam sempre que eles eram peregrinos religiosos e lançaram acusações à Turquia: “A Turquia não sequestrou mas protegeu o sequestro. A Turquia podia ter ajudado na sua libertação”, afirma Hayat Awali, porta-voz das famílias. Uma das famílias, para pressionar Ancara, como retaliação acabou por sequestrar os dois pilotos turcos agora libertados, para grande alívio das suas famílias-
“Estou sem palavras depois de um ano e meio de exaustão, de um ano e meio de sofrimento, de um ano e meio de falsas promessas”, desabafa Mona Tormos, mulher de um dos reféns.
É o fim do sofrimento para várias famílias de dois países, mas que não põe fim ao desconforto criado pela situação síria. A resolução da questão dos homens sequestrados finaliza um dos capítulos relacionados com as consequências da crise síria no Líbano, mas a preocupação com a segurança continua fortemente presente principalmente depois das explosões em vários bairros libaneses.
 
(Fonte: Euronews)

11 outubro 2013

Organização distinguida com Nobel da Paz é dirigida por diplomata turco

Ahmet Uzumcu, um diplomata de carreira turco de 62 anos, é o director da Organização para a Proibição das Armas Químicas, que agora foi distinguida com o prémio Nobel da Paz 2013 pelo Comité Nobel norueguês. Com sede em Haia, na Holanda, esta organização apoiada pelas Nações Unidas tem em mãos a destruição do arsenal químico da Síria. O seu director já foi cônsul-geral em Alepo, na Síria, e embaixador em Israel. Em finais de Junho a organização conseguiu que a Somália fosse o 189.º país a assinar a convenção para a eliminação das armas químicas. A Síria é o próximo a assumir o compromisso.
 
(Fonte: RTP)

10 outubro 2013

Turcos interessados em estabelecer parcerias e negócios em Angola

Uma delegação da Turkish Electro Technology (TET), associação que congrega as empresas turcas exportadoras dos sectores eléctrico, electrónico, maquinaria e tecnologias de informação, desloca-se a Luanda com uma delegação composta por 14 empresas para diversas reuniões com o objectivo de estabelecer parcerias de negócio em Angola. Estão também previstos encontros com entidades governamentais e associações profissionais, bem como uma visita a uma unidade fabril angolana. A chegada da delegação está prevista para o próximo dia 27 de Outubro, estando a sua partida agendada para 30 de Outubro. O dia 28 será inteiramente dedicado às reuniões entre as empresas turcas e diversas empresas angolanas com o objectivo de explorar potenciais oportunidades de negócio. A sessão de reuniões realiza-se a partir das 9h00, no Hotel EPIC SANA, Sala Angola 1. Representantes da Associação visitarão ainda congéneres angolanas, como a AIA – Associação Industrial de Angola, estando também solicitadas audiências a entidades governamentais. São quatro as grandes áreas de negócio representadas pelas empresas que constituem esta delegação: equipamentos de linha branca (máquinas de lavar louça, roupa, microondas, frigoríficos, fogões, fornos, ar condicionados e aspiradores), electrónica de consumo (telefones, equipamento de áudio, televisores, gravadores de vídeo e relógios digitais), equipamentos de distribuição de energia (transformadores, switchs, painéis eléctricos) e cabos e fios metálicos. “Ao organizar esta delegação empresarial a Angola, esperamos aproximar as empresas angolanas e turcas e explorar áreas de colaboração e novas oportunidades de negócio. O nosso objectivo é criar relações comerciais benéficas e frutíferas entre elas e, assim, construir uma ponte entre os dois continentes, de forma a aproximá-los ainda mais”, afirmou Fatih Kemal Ebiçlioglu, Presidente do Conselho de Administração da Associação (TET) e que lidera a comitiva. ABB, AIM Energy Technologies, Atom Kablo, EAE Electrotechnic Ind and Trade, Elektra Elektronik San, EMEK Elektrik Endûstrisi, ETK Kablo San, Europower Energy and Automation Technologies Ind. Trade Co, GES – General Electrical Systems, HES Kablo, Onair Media Communication and Broadcasting Systems, Renksan, Sahra Kablo San e a Vestel Trade são as 14 empresas que compõem a comitiva.
 
(Fonte: Angonotícias)

06 outubro 2013

Juventude Lis sofre pesada derrota na Turquia na Taça das Taças de andebol

A Juventude Lis foi hoje derrotada por expressivo 32-18 pelo Muratpaşa Belediyesi SK, na primeira mão da segunda eliminatória da Taça das Taças de andebol feminino, em desafio disputado em Antália, Turquia.
Ao intervalo, as lusas perdiam por "apenas" cinco golos (14-9), mas o segundo tempo foi mais penoso e o resultado avolumou-se até aos 14 tentos de diferença: o segundo e decisivo desafio disputa-se hoje, igualmente em Antália.
Com oito golos, Ana Gante foi a melhor marcadora do encontro, surgindo depois a ucraniana Olga Laiuk com cinco, seguida por cinco companheiras do conjunto turco, todas com quatro golos.


(Fonte: Lusa/Visão)

04 outubro 2013

Assad diz que a Turquia vai pagar caro por apoio a rebeldes

O presidente sírio, Bashar al-Assad, disse que a Turquia vai pagar um preço muito alto por apoiar os rebeldes que lutam para derrubar o Governo da Síria, e acusou Ancara de abrigar "terroristas" ao longo da sua fronteira, que mais tarde ou mais cedo se voltarão contra os próprios turcos.
Em entrevista à TV turca Halk, que será transmitida mais tarde nesta sexta-feira, Assad chamou o primeiro-ministro turco, Tayyip Erdoğan, de "fanático" e disse que a Turquia permite que terroristas atravessem a fronteira para atacar o Exército e civis sírios. "Não é possível colocar o terrorismo no bolso e usá-lo como um cartão, porque é como um escorpião, que não hesitará em picá-lo na primeira oportunidade", disse Assad, segundo uma transcrição publicada no site da Halk. "Num futuro próximo, estes terroristas irão ter um impacto sobre a Turquia, e a Turquia vai pagar um preço alto por isso."
A Turquia, que partilha uma fronteira de 900 kms com a Síria e tem a segunda maior força militar da NATO, é uma das mais críticas de Assad e uma defensora ferrenha da oposição, mas nega armar os rebeldes. O país abriga um quarto dos dois milhões de pessoas que fugiram da Síria e algumas vezes viu o confronto atravessar as fronteiras para o seu território, respondendo à altura quando morteiros e bombas disparados da Síria atingiram o seu solo. Junto com os aliados ocidentais que fazem oposição a Assad, a Turquia tem se preocupado com as divisões entre os rebeldes e o aprofundamento da influência de militantes islâmicos radicais na Síria. O grupo militante Estado Islâmico do Iraque e o Levante, filiado à Al Qaeda, tomou no mês passado a cidade de Azaz, a cerca de 5 kms da fronteira com a Turquia, e entrou em conflito várias vezes com a brigada local Tempestade do Norte desde então.
 
(Fonte: Exame)