12 março 2008

Continuam os esforços para inviabilizar a aprovação do véu islâmico nas universidades


O Supremo Tribunal Administrativo levantou ontem um novo obstáculo aos esforços do Governo para levantar a proibição das estudantes usarem o véu islâmico na universidade, por o considerarem um símbolo político do Islão e uma ameaça à separação do país da religião.
O tribunal garante que o YOK, corpo que supervisiona o ensino universitário turco, ultrapassou a sua autoridade ao dizer que as universidades poderiam deixar as estudantes usar o lenço, depois do Parlamento ter votado em Fevereiro algumas emendas constitucionais com o objectivo de não facilitar a proibição. Os secularistas dizem que a proibição permanece inalterada, até ao Tribunal Constitucional avaliar uma petição do principal partido da oposição na Turquia, o CHP, que rejeita as emendas e garante que elas violam a ordem secular. O Governo defende que o lenço é uma matéria da liberdade religiosa individual, mas os secularistas vêem-no como parte de uma estratégia a longo prazo do executivo para impulsionar o papel da religião na Turquia.No passado dia 9 de Fevereiro os deputados votaram a alteração à lei por 411 votos a favor e 103 contra, mesmo depois do aceso debate levantado num país maioritariamente muçulmano mas que quer cada vez mais dividir as águas entre a religião e a vida social, contando para isso com o apoio das elites militares, da justiça e do ensino e com a herança laica do fundador do Estado turco Kemal Atatürk, que conseguiu fundar a República turca, com base num sistema secularista em 1923.

(Fonte: Público)

2 comentários:

uno_rj disse...

Olá Lídia:
Soube hoje por alto de terremotos em Istambul e Ankara. Você tem informações? Agradeço
gian paulo

Lídia disse...

Os sismos foram de fraca intensidade e não causaram danos.