30 maio 2009

"Águias negras" arrecadam título

O Beşiktaş JK conquistou o seu primeiro campeonato desde 2002/03, graças a golos de Filip Hološko e İbrahim Toraman que valeram uma vitória por 2-1 sobre o Denizlispor. O seu mais directo perseguidor, o Sivasspor, perdeu pela mesma margem em casa do Galatasaray AŞ.

Istambul em festa
O 11.º triunfo das "águias negras" assegurou a permanência do título de campeão em Istambul pela 25.ª época consecutiva, enquanto a tentativa falhada do Sivasspor em contrariar as probabilidades manteve intacta outra estatística: apenas quatro clubes venceram o campeonato turco desde o triunfo inaugural do Fenerbahçe SK, em 1959. O avançado eslovaco Hološko acalmou os nervos do Beşiktaş aos 28 minutos, quando fez o golo inaugural em Denizli, com İbrahim a aumentar para 2-0 pouco depois dos 60 minutos. O médio brasileiro Douglas reduziu para a formação da casa, mas foi demasiado tarde para alterar o desfecho do jogo.

Segundo lugar
Uma derrota por 2-1 em Istambul não alterou a classificação final do Sivasspor, que assim vai participar na terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League na próxima época, enquanto o Beşiktaş segue directamente para a fase de grupos. O Trabzonspor perdeu em casa frente ao Fenerbahçe, por 2-1, mas ainda assim terminou à frente do seu adversário deste Sábado, em terceiro lugar. No fundo da tabela, a derrota frente ao recém-coroado campeão valeu ao Denizlispor a última vaga no lote de despromovidos, destino a que Kocaelispor e Hacettepe SK há muito estavam condenados.

(Fonte: Uefa.com)

Beşiktaş é o campeão turco

O Beşiktaş fez hoje a festa na Turquia com um triunfo por 2-1 sobre o Denizlispor que garantiu o 11.º título à equipa de Istambul na última jornada. O Beşiktaş não era campeão desde 2003. Antes do campeonato, o Beşiktaş já tinha garantido o triunfo na Taça, sendo acompanhado na Liga dos Campeões pelo Sivasspor, segundo classificado. Trabzonspor, (3.º), Fenerbahçe (4.º) e Galatasaray (5.º) ficam-se pela Liga Europa.

(Fonte: Público)

Navio encalhou em Istambul

Navio encalhou em Istambul

Navio encalhou em Istambul
O navio Ella J, encalhou nesta quinta-feira (28) no Estreito de Bósforo, em Istambul, na Turquia. O navio, de bandeira de São Vicente e Granadinas, tem 492 metros de comprimento e foi levado pela corrente ficando retido na costa de Yenikoy. O tempo era bom na hora do acidente, e não há informação sobre feridos.

(Fonte: AP)

29 maio 2009

Turquia afastou Portugal do campeonato da Europa de sub-19

A selecção nacional de sub-19 falhou esta quinta-feira a qualificação para a fase final do campeonato da Europa da categoria ao perder, no Cartaxo, diante da Turquia por 0-4 na última jornada da ronda de elite.
A equipa, orientada por Ilídio Vale, precisava apenas de um empate, depois de ter ganho à Dinamarca (3-0) e à Grécia (1-0), para se qualificar para a fase final da competição que vai decorrer na Ucrânia enttre 21 de Julho e 2 de Agosto.
Além do país anfitrião, a Ucrânia, já estão qualificados para a fase final a Turquia, Sérvia, França e Espanha.

(Fonte: Mais Futebol)

Choque entre balões na Capadócia causa um morto e nove feridos

Um acidente entre balões, na Turquia, matou um turista britânico e feriu outras nove pessoas, nesta sexta-feira. O choque entre os balões de ar quente aconteceu na Capadócia, no centro da Turquia. De acordo com a polícia local, entre os feridos, encontram-se oito britânicos e um francês. A companhia responsável informou que ainda investiga o acidente, mas acredita que a colisão entre os balões ocorreu logo depois da descolagem.

(Fonte: Band)

Couceiro empata e termina em oitavo

O Gaziantepspor de José Couceiro empatou a um golo com o Eskişehirspor na 34.ª e última jornada do campeonato turco, disputada esta sexta-feira, despedindo-se da época no oitavo lugar.
A equipa do técnico português esteve a perder a partir dos 53 minutos, depois de um jogo dividido, mas empatou a 20 minutos do fim, pelo avançado Beto. Em cima do apito, o mesmo protagonista teve nos pés o golo da vitória, porém, atirou por cima.
Recorde-se que Couceiro assumiu o comando do Gaziantepspor à 28.ª ronda, então também oitavo classificado.
Beşiktaş (68 pontos) e Sivasspor (66) jogam este Sábado o título turco fora de portas: o líder vai ao campo do Denizlispor, 14.º, enquanto o segundo defronta o Galatasaray, quinto da tabela.

(Fonte: Mais Futebol)

28 maio 2009

Protestos contra os crimes de ódio na Turquia

Transexuais e homossexuais turcos denunciam que nos últimos três anos foram assassinadas 30 pessoas LGBT impunemente. Os 30 mortos referem-se aos documentos oficiais, mas sabe-se que o número real é muito maior. Não somente assassínios mas ataques a transexuais e homossexuais estão no auge nestes últimos anos, segundo informações de elementos da revista Kaos GL.
Foram feitos protestos pacíficos em Istambul, na praça Taksim, e em Ancara, para atrair a atenção pública ao clima existente de fustigamento e ao aumento das agressões.
Na passada sexta-feira, mais uma transexual foi mortalmente esfaqueada. No ano passado, cinco gays desapareceram e foram posteriormente encontrados esfaqueados num poço. Os autores alegaram que cometeram os assassínios somente pela orientação sexual das vítimas. Representantes LGBT denunciam que muitos destes casos não são solucionados e nos que o são, os culpados argumentam simplesmente que foram "provocados", argumento geralmente aceite pelos juízes."Este é o resultado do discurso do ódio", afirmou Ali da revista Kaos GL, acrescentando que "a forma como os nossos amigos são assassinados e agredidos demonstra como os assassinos e agressores, mesmo a sociedade em geral, está cheia de ódio. Estamos decididos a lutar contra esse ódio com todos os meios que temos".

(Fonte: Portugal Gay)

Reino Unido defende entrada da Turquia na União Europeia


O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, David Miliband, disse que gostaria de ver a Turquia na União Europeia, contradizendo os líderes da França e da Alemanha que defendem que o país deve ter apenas uma “parceria privilegiada”, mas não a adesão.
Miliband, que se encontra em visita oficial na Turquia, acredita que a adesão de Ancara traria dinamismo económico ao bloco, assim como contribuiria para uma maior segurança no que toca a problemas energéticos enquanto aproximaria o Ocidente do mundo muçulmano.“O Reino Unido acredita mais que nunca que a decisão estratégica de apoiar a adesão da Turquia é a correcta. É bom para a Turquia e para a Europa”, disse Miliband. “A Turquia é um país particular que permitiria beneficiar a Europa em termos de energia”, acrescentou. O ministro defendeu ainda que a União Europeia deveria “abrir horizontes” e aproveitar os benefícios desta adesão, assim que a Turquia cumpra todos os requisitos para uma entrada na UE. A Turquia tem poucas reservas de petróleo e gás natural mas é um corredor estratégico entre a Europa e as reservas energéticas do Mar Cáspio e do Médio Oriente. Miliband disse ainda que existem alterações significativas entre a Turquia actual e a de há 30 anos atrás e salientou a vibrante economia de mercado do país como mais-valia para a Europa num período de crise económica.
A chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, Nicolas Sarkozy, reforçaram este mês a sua já conhecida opinião sobre a adesão da Turquia à União Europeia. Ambos os países defendem, em altura de campanha eleitoral para o Parlamento Europeu, que à Turquia deveria ser dada uma “parceria privilegiada” em vez de uma adesão completa.
A Turquia deu início às negociações para a adesão à União Europeia em 2005 mas enfrenta a oposição de alguns estados-membros devido à opinião pública hostil. As negociações focam-se, de grosso modo, em preocupações com os direitos humanos, o ritmo lento das reformas e a liberdade de imprensa.

(Fonte: Reuters/Público)

Paulo Portas: "A União Europeia não é o concurso Eurovisão"

"A União Europeia não é o concurso Eurovisão. A Turquia não deve entrar e Israel também não". Foi desta forma que Paulo Portas respondeu à questão colocada por um docente da Escola Secundária Castro de Melo na Covilhã. O líder do CDS acompanhou o cabeça de lista naquela que iria ser uma espécie de aula sobre a Europa, mas que se transformou num debate.
Já Nuno Melo pede que "se deixe de enganar a Turquia, criando expectativas que depois não serão correspondidas".
Alguns alunos do 12º ano, alguns deles já com idade para votar, e professores, quiseram ouvir a opinião dos responsáveis do partido sobre várias questões, europeias e não só. Nuno Melo e Paulo Portas responderam.

(Fonte: IOL Diário)

Foi inaugurado em Antália o hotel mais caro da Europa

O hotel Mardan Palace, localizado em Antália, foi inaugurado no passado fim-de-semana com 600 autoridades e celebridades, nomeadamente Sharon Stone, Paris Hilton, Mariah Carey, Richard Gere, Seal e Monica Bellucci.
Neste hotel, pode-se atravessar a piscina numa gôndola e apreciar neve dentro de uma sala de spa, entre outros luxos. O glamour, inclui ainda menu de almofadas, espelhos de ouro nos quartos de banho e uma praia particular criada com mais de 9 mil toneladas de areia branca importada do Egipto. O hotel, que custou mais de 1000 milhões de euros, conta com mais de 2,5 mil toneladas de ouro, 500 mil cristais e 23 mil m2 de mármore italiano. Com uma noite a chegar aos 13 mil euros, o hotel conta ainda com 11 restaurantes e com quase 2500 peixes na piscina, entre os quais tubarões.

(Fonte: Opção Turismo)

24 maio 2009

Neca empatou em casa

O médio português Neca foi titular e viu um cartão amarelo aos 31 minutos no jogo em que a sua equipa, o Ankaraspor, empatou (0-0) em casa com o Antalyaspor, num dos encontros deste Domingo da 33.ª jornada do campeonato turco.
O empate custou ao Ankaraspor a perda de um lugar na tabela classificativa, baixando da 9.ª para a 10.ª posição. A equipa de Neca soma 41 pontos. O líder isolado é o Beşiktaş, com 68 pontos, que este Domingo venceu (2-1) o clássico com o Galatasaray.

(Fonte: Record)

Liga Turca: Portugueses empataram

Tudo adiado na decisão do título turco: o líder Beşiktaş e o segundo classificado, Sivasspor, venceram os seus jogos da penúltima jornada e continuam separados por apenas dois pontos à entrada da última semana.
No clássico de Istambul, frente aos rivais do Galatasaray, o líder Beşiktaş conseguiu um triunfo sofrido (2-1), que só não permitiu fazer a festa porque o sensacional Sivasspor conseguiu dar volta à desvantagem inicial no jogo com o Gençlerbirliği, garantindo um triunfo por 3-2.
O Beşiktaş precisa agora de uma vitória na visita ao Denizlispor. Caso não a consiga, fica então dependente do resultado do Sivasspor na visita ao terreno do Galatasaray.
No que se refere a Portugueses, o Gaziantepspor, orientado por José Couceiro, caiu para o oitavo lugar, por força do empate (2-2) com o Bursaspor. O Ankaraspor, com Neca a titular, também não foi além de um empate (0-0) com o Antalyaspor, e caiu para o 10.º lugar, sendo ultrapassado pelo FC Istanbul.

Classificação: Beşiktaş, 68; Sivasspor, 66; Trabzonspor, 65; Fenerbahçe, 58; Galatasaray, 58.

(Fonte: Mais Futebol)

23 maio 2009

Brasília-Istambul, uma parceria comercial

O fluxo comercial Brasília-Istambul é o principal objectivo do presidente da Federação das Indústrias do DF (Fibra), António Rocha, que integra a missão oficial do Governo brasileiro na Turquia. A participação de Rocha à frente da delegação de empresários, sob liderança da Confederação Nacional da Indústria (CNI), é vista como a tentativa de iniciar os negócios bilaterais. Até ao momento, a balança comercial não tem registo de vendas das indústrias brasileiras ou turcas.
“Mantemos o interesse nesta parceria comercial. A viagem tem um cunho muito importante do ponto de vista político e económico. A Turquia consiste no principal elo para um mercado consumidor. Além disso, o país tem forte vocação para o turismo e abre-se para os setores de biocombustíveis e alimentos”, avaliou Rocha.
A visita oficial à Turquia é parte do roteiro que a delegação brasileira cumpre na Arábia Saudita e China. A última parte da viagem, iniciada ontem (21), em Istambul, tem a liderança do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo Rocha, um facto importante ocorreu com a decisão da China de abrir as portas para as compras de carnes de frango e miudezas, principais produtos da pauta de exportação do Distrito Federal.
O programa oficial em Istambul, preparado pelo Ministério das Relações Externas em acordo com o Governo da Turquia, envolveu um seminário sobre o desenvolvimento de novas oportunidades de negócios entre os dois países. Durante o encontro, as lideranças empresariais e governamentais do Brasil e da Turquia apresentaram as áreas de interesses bilaterais.
Um dos pontos destacados na reunião foi a integração das cadeias produtivas. Rocha avaliou que o País representa “uma ponte” para os mercados no Oriente e no Ocidente. Além disso, buscou-se mostrar o Brasil como destino para os turistas turcos. A Turquia tem um PIB superior a US$ 800 bilhões e renda per capita de US$ 10 mil. A localização deste país como polo de irradiação e penetração para os mercados da Ásia Central, do Cáucaso, do Oriente Médio e principalmente para a União Europeia.
A Turquia é o 16º PIB do mundo. No ano passado, ela importou US$ 204 bilhões de todo o mundo. Porém, somente 0,4% provenientes do Brasil, indicando enorme margem para a ampliação das exportações brasileiras para esse mercado. O comércio Brasil-Turquia, segundo dados do Governo federal, apresentou crescimento vertiginoso desde 2001. Em 2008, as exportações brasileiras para o País atingiram a cifra recorde de US$ 816 milhões.
As importações brasileiras provenientes da Turquia também registaram sua maior cifra em 2008 (US$ 337 milhões), resultando em superávit de US$ 478 milhões a favor do Brasil e em corrente de comércio bilateral de US$ 1,1 bilhão. Levantamentos preliminares de inteligência comercial apontam os sectores de infra-estrutura, alimentos, petroquímica, energia, mineração, auto-peças, automóvel, siderurgia e papel e celulose como sendo os mais promissores.

Uma janela para o DF

O presidente da Fibra explicou que o DF pode tornar-se um importante parceiro das indústrias da Turquia. Segundo Rocha, ao mesmo tempo que a capital brasileira se abre para receber investimentos estrangeiros, tem uma localização privilegiada na região Centro-Oeste, com renda per capita de R$ 37,6 mil e a oitava economia do Brasil. “Além disso, o DF dispõe de linhas de crédito e tem um mercado consumidor bastante atraente aos investimentos internacionais”, enfatizou Rocha.
Outro ponto destacado é a localização da capital brasileira, entroncamento de diversas rodovias e ferrovias, capaz de escoar a produção para portos situados nos estados das regiões Nordeste e Sudeste do País. O presidente da Fibra destacou também oportunidades que estão em curso nos sectores de construção civil, tecnologia da informação e fármacos.
“O GDF lidera projectos como a Cidade Aeroportuária e o Sector Noroeste. E, numa outra frente, a Fibra alinhava o projecto do Parque Tecnológico Capital Digital. Estes empreendimentos são suficientes para atrair empresas internacionais”, assegurou Rocha.

(Fonte: Revista Brasília em Dia)

Discurso de Lula da Silva durante jantar oferecido por Abdullah Gül

Discurso de Lula da Silva durante jantar oferecido por Abdullah Gül

Discurso do Presidente da República do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, durante o jantar oferecido pelo Presidente da Turquia, Abdullah Gül, em Ancara, Turquia, na sexta-feira, dia 22 de Maio de 2009:

"Excelentíssimo senhor presidente, Abdullah Gül, da República da Turquia, Senhora Hayrünissa, Minha mulher, Marisa Letícia, Altas autoridades da Turquia, Ministros que me acompanham nesta viagem, Celso Amorim, Miguel Jorge, Franklin Martins, Senhoras e senhores integrantes do corpo diplomático, Senhoras e senhores, em especial, quero cumprimentar os embaixadores da Turquia no Brasil e do Brasil na Turquia e os outros embaixadores que não (incompreensível) nos prestigiando nesta noite. Completamos hoje três dias desta que é a primeira viagem de um presidente brasileiro à Turquia. Depois de visitar Istambul, cidade de grande beleza natural e fascínio histórico, tivemos hoje em Ancara um dia de intenso trabalho. Pude constar como é que a capital reúne a marca das civilizações da Antiguidade e o selo da Turquia moderna. Revitalizada por Mustafa Kemal Atatürk, Ancara constitui a síntese deste país, elo por excelência entre o Ocidente e o Oriente. O Brasil, já como nação independente, no século 19, foi atraído por esta civilização. Em 1875, o Imperador Dom Pedro II visitou Istambul. O Império Otomano e a monarquia brasileira haviam firmado, em 1858, o primeiro tratado bilateral regulando comércio e navegação. Em 1927, estabelecemos relações diplomáticas e, em 1931, o Brasil abriu Legação em Ancara, após a instalação da Legação turca no Rio de Janeiro, em 1928. Os laços entre os dois países são antigos e vêm-se fortalecendo ao longo dos anos. Ganham agora maior intensidade. Em 2004, o ministro Celso Amorim realizou a primeira visita oficial de um chanceler brasileiro à Turquia. A visita de Vossa Excelência a Brasília em 2006, quando estabelecemos a Comissão Bilateral de Alto Nível, muito contribuiu para a aproximação entre nossos países. Senhor Presidente,Durante nossas conversações - e as que mantive com o Primeiro-Ministro Erdogan - pudemos passar em revista as relações entre nossos países e avaliar conjuntamente as promissoras perspectivas que se abrem. A cooperação econômica avança. Nosso comércio bilateral superou pela primeira vez a marca de US$ 1 bilhão em 2008. Importante delegação de empresários brasileiros me acompanha à Turquia e participou em Istambul de exitoso Seminário Empresarial. Além dos investimentos diretos, avançamos no campo da energia, como demonstram os contratos celebrados entre a Petrobras e a TPAO. Nossas duas empresas exploram promissoras jazidas de petróleo na costa de Sinop e de gás natural em Kirklareli.O Brasil está pronto a cooperar com a Turquia para a diversificação de sua matriz energética. Na área dos biocombustíveis, detemos avançada tecnologia, sobretudo para a produção do etanol. A produção de biocombustíveis, a partir da biomassa, tem grande potencial na Turquia, país que possui solos férteis e grande incidência solar. O início das operações regulares da Turkish Airlines, ligando Istambul a São Paulo, aproximará ainda mais nossos países. Essa iniciativa estimulará o turismo e será favorecida pela instalação de Consulados-Gerais de nossos países em Istambul e em São Paulo. Senhor Presidente,A Turquia promoveu recentemente, em Istambul, memorável reunião da Aliança das Civilizações, projeto nascido de iniciativa conjunta de seu governo e da Espanha, à qual o Brasil se associou desde a primeira hora. A repercussão internacional desse evento, organizado com competência pelo governo turco foi extraordinária. O Brasil sediará a próxima edição da Conferência no Rio de Janeiro, em 2010. Agradeço, desde já, a generosa oferta de poder compartilhar a valiosa experiência da Turquia em sua organização.Senhor Presidente,Nosso diálogo está rodeado de valores e percepções comuns sobre questões da atualidade: a democracia, o respeito aos direitos humanos, a promoção da justiça social, o fortalecimento do multilateralismo.Compartilhamos a necessidade de encontrar uma saída negociada para o Oriente Médio. Pautamos nossa atuação pelo engajamento da promoção da paz. Favorecemos iniciativas que possam levar israelenses e palestinos a um acordo definitivo, baseado no reconhecimento de um Estado Palestino digno (incompreensível) com Israel. A Turquia tem credenciais para desempenhar papel central nesse conflito, inclusive no que tange à reconciliação em lugares interpalestinos.Turquia e Brasil são igualmente importantes economias e possuem peso e influência crescentes na cena internacional. Participamos do G20 e de outros foros internacionais. Na recente Cúpula de Londres, reafirmamos a disposição de trabalhar conjuntamente pela retomada do crescimento econômico, com sustentabilidade financeira. Para tanto, temos de democratizar o FMI e o Banco Mundial. Somente por meio do diálogo entre as nações desenvolvidas e em desenvolvimento, poderemos alcançar soluções abrangentes e duradouras, que apontem para uma nova ordem internacional mais justa e democrática. O combate à fome e à pobreza deve constituir a prioridade na construção dessa nova ordem. A eliminação das distorções no comércio internacional e a rápida conclusão das negociações da Rodada de Doha da OMC são essenciais, em especial para o países mais pobres. O Brasil também defende a reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas, que reflita a atual realidade internacional, com a adequada participação dos países em desenvolvimento, inclusive entre os membros permanentes. Somente assim o Conselho assegurará a legitimidade e a eficácia necessárias. Senhor Presidente,Retorno hoje ao Brasil profundamente enriquecido por esses dias que passei neste país amigo. Não posso deixar de expressar minha gratidão pela generosa assistência que o povo e o governo da Turquia demonstraram quando tivemos que retirar grande número de brasileiros ameaçados pela Guerra (incompreensível). Levo a lembrança dos contatos proveitosos que pude ter com Vossa Excelência, com o Primeiro-Ministro Erdogan e com o grande número de interlocutores que pude encontrar. Levo também a recordação de uma grande nação, que preza os valores da democracia, e de um povo muito parecido com o povo brasileiro na sua alegria e generosidade. Quero pedir a todos os convidados que levantemos um brinde ao presidente Abudullah".

(Fonte: Agência Brasileira de Notícias)

Turquia vence vizinhos gregos

A selecção turca começou a Ronda de Elite com uma vitória suada sobre os vizinhos da Grécia (2-1), num jogo que teve lugar no Cartaxo e no qual os golos só surgiram na segunda parte.
O encontro, referente ao Grupo 3, o mesmo de Portugal, esteve empatado até aos 69 minutos, quando Sercan Yıldırım colocou a Turquia na frente do marcador. Quatro minutos depois, Eren Albayrak fez o 2-0 e o melhor que os Gregos fizeram foi reduzir por intermédio de Lefteris Matsoukas, perto do apito final. A Turquia vai agora medir forças com a Dinamarca, na segunda-feira, ao passo que os Gregos defrontam os anfitriões portugueses no mesmo dia.

(Fonte: UEFA)

22 maio 2009

Lula fecha visita à Turquia em busca de relançar elo centenário

Brasil e Turquia aproveitaram uma cúpula bilateral de dois dias para relançar uma relação comercial centenária, mas cujo verdadeiro potencial está ainda por ser alcançado e que pretende abrir novas via de colaboração em sectores como o energético, aeronáutico, automóvel e têxtil.

A visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Ancara terminou hoje com a decisiva aposta dos dois países em relançar uma relação iniciada há 151 anos, quando foi assinado um acordo entre o Império do Brasil e o Império Otomano. Num gesto simbólico, o chefe de Estado turco, Abdullah Gül, presenteou Lula com uma cópia do documento e destacou que a sua visita, a primeira de um presidente brasileiro à Turquia, abre uma nova página na relação dos dois países. Uma etapa em que a energia tem papel essencial e na qual é peça fundamental o acordo assinado hoje entre a Petrobras e a Corporação de Petróleo Turca, com o objectivo de realizar prospecções no Mar Negro, no valor de 800 milhões de euros. A importância do convénio foi destacada pelos dois presidentes, que compartilharam optimismo perante a possibilidade de encontrar jazidas de petróleo. Fora isso, concordaram ao expressar interesse em cooperar em novas tecnologias energéticas e na produção de etanol e biodiesel. Nesse sentido, Gül ressaltou o sucesso do Brasil na produção de combustíveis ecológicos e apostou em trabalhar também nessa linha. Lula, por sua vez, garantiu que o seu país não empregará cultivos turcos para gerar esses combustíveis, mas propôs que ambos os países invistam na produção de biodiesel e etanol em nações africanas. Outro aspecto em que Gül e Lula concordaram foi sobre a necessidade da abertura de conexões aéreas directas entre São Paulo e Istambul, ao considerarem as duas cidades portas de entrada para os mercados locais. As duas delegações de empresários e políticos que participaram nos encontros desses dois dias manifestaram decepção com o ainda reduzido volume da balança comercial entre Turquia e Brasil.A pesar de em 2008 ter chegado à cifra de US$ 1,8 bilhão, 400% mais que em 1999, os analistas consideraram que a quantidade está muito abaixo do potencial económico das relações comerciais turco-brasileiras. A esse respeito, o presidente Lula indicou que a actual crise económica está a criar oportunidades para encontrar novos parceiros e definiu a sua visita à Turquia como parte de uma estratégia nesse sentido. Durante os encontros oficiais em Ancara, foi debatido também a reactivação da comissão conjunta turco-brasileira criada há dez anos. Lula defendeu que esse grupo de trabalho se reúna pelo menos uma vez a cada dois anos e também a criação de uma câmara de comércio conjunta. O Brasil, como terceiro produtor aeronáutico do mundo, mostrou também desejo de fabricar aviões juntamente com a Turquia. No âmbito financeiro, a Turquia destacou a posição do Brasil sobre o Fundo Monetário Internacional (FMI), uma vez que Ancara mantém há décadas uma política que segue as recomendações desse órgão. Lula destacou ontem que o FMI foi criado para emprestar dinheiro aos países que necessitem, mas que o que não deveria ser feito "é se intrometer nas políticas internas dos países a quem empresta"."Isso é impensável", criticou o presidente brasileiro, que disse considerar que Ancara não terá grandes dificuldades para alcançar um novo acordo com o FMI. Gül lembrou que Turquia e Brasil não têm problemas políticos e que compartilham pontos de vista similares. Ao se despedir do país, Lula enviou uma mensagem aos empresários turcos: "A Turquia, com 72, e o Brasil, com 190 milhões de habitantes, são dois países emergentes com muito ainda por construir. Portanto, que o façamos juntos".

(Fonte: EFE)

Nedim Gürsel: Entre o Sena e o Bósforo

Nedim Gürsel considera-se uma ponte entre a Turquia e a França, entre o Leste e o Ocidente. Como outros escritores que fugiram do país depois do golpe de 1980, obteve a cidadania francesa e vive em Paris, onde é director de investigação no CNRS e organiza palestras sobre a Europa,
Acusado de blasfémia no país de origem, Turquia, depois de publicar o livro “Filhas de Alá” no ano passado, tem uma segunda audiência do julgamento no dia 26 Maio. O procurador retirou as acusações, mas o inquérito prossegue.
Euronews: Os europeus questionam se a Turquia é realmente um país laico e se merece fazer parte da União Europeia. Que responde a isto?
Nedim Gürsel
– Bem, eu sou um firme defensor da adesão do meu país à integração na União Europeia. É verdade que agora, com este julgamento, tenho algumas interrogações… Será que a Turquia anda à deriva para um regime mais autoritário? O que não é, obviamente, compatível com a ideia de Europa expressa na Turquia.
Espero que o meu julgamento seja um acidente de percurso. Mas acho que a Europa tem razão em colocar estas questões, porque talvez a Turquia não esteja pronta para entrar na Europa.
EN – Será que a Europa, especificamente os europeus, não têm uma certa responsabilidade? No sentido de os Turcos se sentirem menosprezados quando falamos com eles e falarem de um “clube cristão”?
NG –
Sim, penso que a rejeição é mal vista pelos Turcos porque, de algum modo, afecta o orgulho nacional. Eu…sou contra o nacionalismo.
Mas, há bastante tempo que a Turquia bate à porta da União Europeia e depara sempre com pretextos para justificar um discurso – digamos – de rejeição. Como é o caso neste momento com Merkel e Sarkozy.
A Turquia é um país muçulmano. Mas se a Turquia partilha valores europeus seria enriquecedor para a Europa ter um país como a Turquia no seu seio.
O que é difícil de admitir pelos europeus. Não dizem, mas a candidatura da Turquia reenvia a Europa face à própria imagem: a Europa afirma a identidade e rejeita o outro, a Turquia. Mas é necessária uma reconciliação.
EN – Há mesmo assim progressos no sentido de uma maior liberdade de expressão na Turquia nos últimos anos. Assistimos à restauração da nacionalidade do poeta Nazim Hikmet, e no ano passado, o famoso artigo 301 º que penaliza a difamação da nação turca foi reformulado. No entanto, há organizações, indivíduos que denunciam simples mudanças cosméticas. Concorda com a interpretação?
GN –
Em qualquer caso, fez bem em evocar o caso de Nazim Hikmet, um dos grandes poetas turcos. A Turquia fez uma grande injustiça com este grande poeta preso durante 16 anos e condenado ao exílio. Morreu em 1963, em Moscovo. O nosso primeiro-ministro, que afirmou recentemente que Nazim Hikmet estava reabilitado, também disse que a Turquia é um país que já não julga os escritores. Fui o primeiro a congratular-me. Mas o meu processo é a negação evidente deste discurso. Falou de alterações cosméticas, pequenos retoques…talvez, mas é melhor assim, porque precisamos de ir mais longe na democratização da Turquia, e sem a perspectiva europeia não vai ser possível.
EN – O senhor é um dos signatários da carta de desculpas aos Arménios escrita por um grupo de intelectuais turcos. Ora, há pessoas que criticam esta carta porque não está lá palavra genocídio …
GN –
Acho que a Turquia deve fazer um verdadeiro trabalho de memória. No que se refere à petição que assinei, penso que é uma coisa boa, porque vai mexer com os tabus. Vai quebrar tabus como a religião… o problema arménio continua a ser um tabu na memória colectiva dos Turcos.
O mesmo se aplica à questão curda. Ainda há uma dezena de anos , não podíamos falar nisso. Nem podíamos pronunciar a palavra “curdo”.
Agora, o presidente Abdullah Gül diz que a questão curda é a questão mais importante do nosso país, por isso, há uma evolução inegável.
EN – Sente-se no exílio?
GN –
É um exílio voluntário. Não me sinto no exílio, porque vou muitas vezes à Turquia. Alimento-me… o meu imaginário é alimentado pela Turquia, pela história otomana. Escrevi romances históricos, estou muito ligado à cidade de Istambul.
Mas houve um tempo, especialmente depois do golpe militar de 12 de Setembro de 1980, em que não pude voltar ao meu país durante três anos. Portanto, estava verdadeiramente no exílio.
Por isso escrevi um livro chamado “O Último Eléctrico”, onde exprimi o sentimento de escritor turco no exílio: a vida nómada, o apego à pátria, à cidade, etc.
Agora não me sinto no exílio, estou um pouco a meio caminho entre Paris e Istambul. Digo sempre que, metaforicamente, sou como a ponte do Bósforo, que, não só liga duas margens de um rio, o rio asiático e o rio europeu, mas também os homens e as culturas, e acredito que esse é o papel do escritor, porque a literatura é universal, aproxima os homens entre si.

(Fonte: Euronews)

Portugal e Turquia presentes no segundo Festival Europeu de Futebol de Rua

Entre 20 e 24 de Maio, jovens oriundos de vários países da Europa reúnem-se em Foča, Bósnia e Herzegovina para o segundo Festival Europeu de Futebol de Rua. O festival é mais uma vez organizado pela associação streetfootballworld (Berlim, Alemanha) e pelo seu parceiro Football Friends (Sérvia, Bósnia e Herzegovina), em conjunto com a Direcção-Geral para o Alargamento da Comissão Europeia. O torneio junta 24 equipas, cada uma composta por oito jovens jogadores de futebol amador, em representação de organizações que trabalham no domínio do desenvolvimento social através do futebol. Cada equipa é constituída por quatro rapazes e quatro raparigas com idades compreendidas entre os 14 e os 18 anos. Doze equipas são oriundas do Sudeste da Europa: Bósnia e Herzegovina, Croácia, Macedónia, Montenegro, Sérvia e Turquia e as restantes doze equipas de Estados-Membros da UE: Alemanha, França, Hungria, Irlanda, Polónia, Portugal, Reino Unido, República Checa e Roménia. Portugal é representado por uma equipa da Associação Cais.“O grande sucesso do festival do ano passado inspirou-nos a organizar novamente este evento desportivo”, salientou Olli Rehn, Comissário Europeu para o Alargamento. "O festival Foča 09 é uma excelente oportunidade para congregar jovens dos Estados-Membros da UE, dos países candidatos e de países potenciais candidatos, para jogarem pacificamente e divertirem-se em conjunto. Desejo que todos passem bons momentos e espero que levem um pouco do espírito do Foča 09 para casa."Um dos pontos altos do festival será a visita da estrela de futebol Stevan Stojanović, o antigo jogador da selecção nacional da Sérvia e guarda-redes do Estrela Vermelha de Belgrado que foi o capitão da equipa vencedora da Taça dos Campeões Europeus em 1991.“Para a streetfootballworld, o festival em Foča é mais uma vez uma extraordinária oportunidade para nos reunirmos com os nossos parceiros, apresentar o seu magnífico trabalho local e promover o futebol como uma ferramenta para o desenvolvimento social”, afirma Vladimir Borković, Director de Parcerias da streetfootballworld. Os participantes assistirão a seminários que os encorajarão a ultrapassar as barreiras linguísticas e culturais. Através de seminários sobre Fair Play no Futebol, os participantes entrarão em contacto com uma compreensão intercultural, integração e resolução positiva de conflitos dentro e fora do campo, antes de usufruírem do ponto alto do Festival – o Torneiro de Fair Play. Actividades culturais de rua, como o futebol freestyle, o beatboxing, DJing e a dança hip hop adicionarão emoção ao festival. Os jogos de futebol serão disputados segundo regras de fair play especiais e sem árbitros. Os próprios jogadores serão responsáveis por assinalar as faltas e resolver as disputas através do diálogo. “O FOČA 09 é uma oportunidade para demonstrar a hospitalidade de uma forma que só pode ser conseguida por verdadeiros amigos, pelo desporto e, especialmente, pelos apoiantes do futebol e por aqueles que acreditam nos valores Europeus” afirma Zdravko Krsmanovic, o presidente da câmara do município de Foča.

(Fonte: Agência Ecclesia)

Declaração conjunta por ocasião da visita do presidente Lula à Turquia

Comunicado conjunto divulgado no término da visita do presidente Lula à Turquia, no período de 21 a 22 de Maio de 2009:

"Declaração conjunta - visita oficial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à república da Turquia - 21 a 22 de Maio de 2009. A convite de Sua Excelência o presidente Abdullah Gül, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva realizou uma visita oficial à república da Turquia, nos dias 21 e 22 de Maio de 2009, a primeira ao mais alto nível de um chefe de Estado brasileiro. A visita insere-se no contexto da determinação dos dois chefes de Estado de intensificar e aprofundar os históricos laços de amizade e de cooperação entre o Brasil e a Turquia.
2. Os dois presidentes reafirmaram os valores que o Brasil e a Turquia compartilham quanto ao respeito pelo direito internacional, pelos princípios democráticos, pela garantia da paz e segurança internacionais, defesa dos direitos humanos e promoção do desenvolvimento com justiça social.
3. Durante a visita, os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Abdullah Gül discutiram formas de aprofundar o relacionamento bilateral em distintas áreas e passaram em revista os principais temas de interesse comum da agenda global.
4. Os dois chefes de Estado enfatizaram a sua determinação de alçar a cooperação bilateral ao mais elevado patamar. Neste sentido, destacaram a importância dos trabalhos da comissão conjunta de alto nível, estabelecida em 2006, sob a co-presidência dos ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países, como mecanismo de coordenação e de promoção das relações bilaterais, tanto na esfera do aprofundamento do diálogo político, como na dinamização do relacionamento nos sectores económico, comercial, financeiro, científico e tecnológico, cultural, bem como nas áreas de defesa e turismo.
5. Durante as conversas, foi concedida atenção especial ao comércio e à cooperação económica. Os dois presidentes registaram com satisfação o contínuo aumento da corrente comercial bilateral e decidiram envidar esforços para que o relacionamento se desenvolva de forma a reflectir as dimensões e o dinamismo das economias do Brasil e da Turquia, dois membros do G-20.
6. Os dois presidentes encorajaram as suas respectivas instituições a intensificar o trabalho relativo ao incremento do comércio e investimentos, particularmente nos setores automóvel, de energia e da indústria de defesa. Nesse sentido, destacaram a necessidade de a comissão económica conjunta e o conselho empresarial bilateral funcionarem activamente.
7. Os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Abdullah Gül saudaram a realização, em Istambul, no contexto da visita, do Seminário Económico Brasil-Turquia, com expressiva participação de empresários de diversos setores dos dois países. No seu pronunciamento no referido seminário, o presidente Lula destacou o interesse em dinamizar os investimentos mútuos e o comércio bilateral.
8. Os dois chefes de Estado expressaram o seu agrado quanto à cooperação já existente entre os dois países na área de energia. Expressaram a sua satisfação com a parceria entre a Turkish Petroleum Company (TPAO) e a Petrobrás, consolidada com a assinatura, no contexto da visita, de novos contratos entre as duas empresas, relativos à prospecção de petróleo na zona económica turca no mar Negro. Durante a visita do presidente Lula, também foram discutidas energias renováveis, área prioritária para os governos de ambos os países.
9. Os dois presidentes acolheram com satisfação a inauguração, em Abril de 2009, de voos regulares da companhia aérea Turkish Airlines, no eixo Istambul-São Paulo e reafirmaram a sua importância para estimular os fluxos de comércio e turismo entre os dois países. Nesse contexto, o presidente Lula saudou a decisão da Turquia de abrir um consulado geral em São Paulo e comunicou a disposição de reciprocar o gesto mediante a instalação de um consulado geral em Istambul.
10. Os dois presidentes reiteraram também o compromisso de estimular as relações nas áreas da ciência e cultura entre o Brasil e a Turquia. Com esse espírito, saudaram a inauguração do centro de estudos latino-americanos estabelecido na Universidade de Ancara. Os dois chefes de Estado discutiram ainda a possibilidade de organizar reciprocamente semanas do Brasil na Turquia e da Turquia no Brasil, de forma a promover uma maior visibilidade mútua e propiciar maior interacção cultural entre os povos do Brasil e da Turquia.
11. Os dois líderes também abordaram as relações entre a Turquia e o Mercosul e reiteraram o seu apoio ao êxito das negociações do acordo de livre comércio Mercosul-Turquia. O presidente Gül expressou a expectativa no apoio do Brasil ao estabelecimento de um mecanismo de diálogo político entre a Turquia e o Mercosul.
12. O presidente Lula cumprimentou o presidente Abdullah Gül pelo êxito da organização pela Turquia, do segundo fórum da Aliança das Civilizações, realizado em Istambul, nos dias 6 e 7 de Abril de 2009. Ao sublinhar a importância do trabalho da Aliança das Civilizações, os dois presidentes destacaram o significado das conclusões do fórum de Istambul e expressaram a sua convicção de que a terceira edição do fórum, a realizar-se no Brasil, em 2010, constituirá um passo significativo para a consecução dos objectivos da Aliança, assim como para a sua expansão em sentido universalizante.
13. Os dois líderes também compartilharam opiniões sobre os grandes desafios internacionais. Ao discutir a necessidade de resposta global à actual crise económica, enfatizaram a importância do fortalecimento do G-20 como uma plataforma altamente representativa que inclui importantes países desenvolvidos e economias emergentes. Expressaram acolher, com satisfação, as decisões e iniciativas adoptadas na cúpula do G-20, realizada em Londres, em Abril último, e reiteraram o compromisso de trabalhar conjuntamente com outros líderes do G-20 para recuperar a estabilidade económica e financeira internacional.
14. Os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Abdullah Gül reafirmaram também o empenho dos seus governos em prol do fortalecimento do multilateralismo. Sublinharam, nesse contexto, a necessidade de avançar no processo de reforma do conselho de segurança das Nações Unidas, de forma a torná-lo mais eficaz e representantivo. Recordaram a necessidade de que o Conselho reflicta mais acuradamente as realidades internacionais contemporâneas, em particular por meio de uma mais ampla representação de países em desenvolvimento. Os dois presidentes reiteraram também o seu compromisso com a conclusão positiva da cimeira de Doha.
15. Os dois líderes analisaram com especial interesse a situação no oriente médio, no quadro do engajamento mútuo na promoção da paz, da estabilidade e do desenvolvimento na região. Sublinharam a necessidade de avanço no processo negociador do conflito israelo-palestiniano que conduza à criação de um Estado palestino, convivendo em harmonia e segurança com o Estado de Israel.
16. Os presidentes Lula e Gül, ao discutirem os efeitos da mudança do clima, convergiram quanto à necessidade de ampla cooperação em âmbito global, com base na convenção-quadro das Nações Unidas sobre mudança do clima (UNFCCC) e o seu protocolo de Quioto, reconhecendo as respectivas capacidades dos países e reafirmando os princípios consagrados na UNFCCC, inclusive o princípio das responsabilidades comuns, porém diferenciadas, dos Estados.
17. Os dois presidentes expressaram especial satisfação com os entendimentos alcançados durante a visita e reiteraram o empenho de aprofundar e diversificar os laços de amizade entre os governos e os povos do Brasil e da Turquia".

(Fonte: Agência brasileira de notícias)

Vendedor é chamado de 'Turco' no Brasil, diz Lula, na Turquia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou empresários surpresos nesta quinta-feira ao dizer que, no Brasil, todo o vendedor de roupa ou de qualquer outro produto que passe de casa em casa é conhecido como “Turco”. “No Brasil, tem uma coisa interessante”, disse Lula num seminário em Istambul. “Aparece alguém vendendo algo na porta de um Brasileiro, e ele diz que é um Turco.”Lula prosseguiu: “Não sei se é o Turco nascido em Istambul ou no tempo do Império Otomano, nascido na Arábia Saudita ou no Líbano”, disse. A plateia não reagiu. Turcos não são árabes nem falam a mesma língua. A presença de Turcos no Brasil é quase insignificante e as pessoas vindas do Líbano e Síria ganharam esse nome porque usaram passaportes do Império Otomano.

(Fonte: O Estado de S. Paulo)

Petrobras vai explorar águas turcas

Na presença dos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Abudullah Gül, a Petrobras assinou acordo com a estatal turca Turkish Petroleum Corporation (TPAO), ratificando o contrato para cessão da sonda Leiv Eiriksson, que vai operar no Mar Negro, local pouco explorado, considerado como a última fronteira do petróleo no mundo. O contrato havia sido originalmente assinado no fim de Abril entre a estatal e a Petrobras Oil & Gas.
Esses investimentos estão contemplados no planeamento estratégico da companhia, que prevê investimentos de US$ 15,9 bilhões no segmento internacional nos próximos cinco anos.
As negociações começaram em 2006 e já consumiram US$ 130 milhões no estudos de dois blocos. Mais US$ 630 milhões serão gastos no aluguer por três anos da sonda norueguesa Leiv Eiriksson, que deve chegar em Dezembro e ser cedida por seis meses à TPAO, que pagará um sexto do valor. Até ao fim do próximo ano, devem ser gastos mais US$ 250 milhões, o que eleva o orçamento do projecto ao patamar de US$ 1 bilhão de dólares.
A estatal turca poderá fazer uso do equipamento para perfuração de um dos poços da Petrobras no Mar Negro, com a possibilidade de extensão para poços adicionais, após a perfuração do poço Sinop, do qual a Petrobras é operadora. A previsão é de que as operações de perfuração sejam iniciadas no primeiro trimestre de 2010.
A opção dos Turcos pela Petrobras deve-se à tecnologia da empresa brasileira na exploração em águas profundas. A estimativa é de que o petróleo esteja a cerca de 1000 metros de profundidade e a 230 kms da costa.
Em entrevista no Palácio Presidencial, Lula disse que a necessidade de investir na camada pré-sal no Brasil não é motivo para a Petrobras deixar de buscar parcerias a fim de prospectar petróleo em outras regiões do mundo. "Estamos avançando porque nosso investimento em pesquisa passou de US$ 500 milhões para US$ 2 bilhões", disse, observando que a existência de petróleo no pré-sal é mais um motivo para os investimentos em outras regiões continuarem. O presidente ainda destacou que, se houver possibilidade do país se associar com outras empresas pelo mundo, isso será feito. "Queremos ser a primeira de petróleo. Ficamos muito tempo sem fazer investimento", afirmou.

(Fonte: Monitor Mercantil)

O casal Cavaco Silva na Turquia

A visita de Cavaco Silva à Turquia teve duas partes bem distintas. Uma, política, decorreu em Ancara e teve um dia particularmente intenso. Audiência com o presidente turco, Abdullah Gül, intervenção na Grande Assembleia Nacional e uma reunião com o maior partido da oposição. Depois, já em Istambul, foi a vez do turismo e da cultura dominarem os dois dias, sem esquecer uma intervenção aos empresários turcos e portugueses. Mas Maria Cavaco Silva não foi uma mera assistente nesta visita do Presidente da República. Com dois programas alternativos em Ancara, visitou dois museus e virou professora de Português de uma vintena de jovens turcos. Em Istambul, nas visitas aos locais mais conhecidos da cidade, aos palácios, às mesquitas e à cisterna, o casal presidencial andou sempre rodeado de muitos seguranças e de muitos turistas.
Cavaco e Maria lá encontraram o habitual casal português e o Presidente foi beijado na cara pela mulher, muito feliz. O pior foi quando uma espanhola, com muito salero, tentou fazer o mesmo. Aí não foi um ‘armário’ turco que agiu. Foi Maria Cavaco Silva quem deu um bom empurrão à atrevida. Um chega para lá muito decidido e dissuasor.

TURQUIA I: COMUNISTA APANHADO COM A MÃO NO DOCE

Quatro deputados foram à Turquia com Cavaco Silva. E todos representaram dignamente o Parlamento. Strech Ribeiro, do PS, Duarte Pacheco, do PSD, Teresa Caeiro, do CDS, e João Oliveira, do PCP, cumpriram às mil maravilhas as suas funções, sempre com cara simpática e divertidos. Então o jovem deputado João Oliveira foi uma enorme surpresa para quem não o conhecia. Divertido foi quando foi apanhado a comprar uns doces na Capadócia e alguém o fotografou. Aí o jovem até corou.

TURQUIA II: EMPRESÁRIO SOFRE MESMO

Jorge Armindo, da Amorim Turismo, foi um dos empresários que acompanharam o Presidente da República à Turquia. Na parte turística da visita lá se foi defendendo dos passeios acelerados. Mas na Capadócia sofreu a bem sofrer para suportar o calor e as subidas. Um empresário de peso sofre muito.

KÁTIA GUERREIRO ATÉ NO AVIÃO CANTOU

Katia Guerreiro foi de novo à Turquia com um Presidente da República. Primeiro Sampaio, agora Cavaco. Os jornalistas não foram ao seu concerto. Mas não se livraram de uns fados nas traseiras do avião.

JORNALISTA SEMPRE: O QUE PREPARA MARIA JOÃO?

A jornalista Maria João Avillez foi à Turquia como convidada do Presidente da República. Não tinha de aturar todos os dias as declarações, as correrias, as entrelinhas e principalmente a ditadura dos caracteres. Mas quem pensa que Maria João Avillez foi apenas dar um passeio à Turquia está redondamente enganado. A jornalista, mesmo como convidada, é sempre jornalista, e andava atenta a tudo o que se passava. Veremos daqui a uns tempos o que irá escrever Maria João Avillez.

(Fonte: Correio da Manhã)

21 maio 2009

Lula participa no fórum económico Brasil-Turquia

O Presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva participará hoje no Seminário Empresarial Brasil-Turquia, organizado em Istambul pelo Conselho de Relações Económicas Externas turco.
Lula, que está acompanhado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Celso Amorim, e pelo ministro da Indústria, Miguel Jorge, chegou terça-feira à noite a Istambul, onde foi recebido pelo primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdoğan.
Entre os empresários que viajam com o presidente destacam-se representantes da Embraer e da Petrobras, empresa que investiu 130 milhões de dólares na Turquia desde 2006.
Também participarão do fórum económico os presidentes dos três principais clubes de futebol da Turquia: Fenerbahçe, Beşiktaş e Galatasaray.
Na sexta-feira, Lula e a sua delegação viajarão para Ancara, onde se reunirão com o presidente turco, Abdullah Gül, o presidente do Parlamento, Koksal Toptan, e com o primeiro-ministro Erdoğan.
Depois de participar na inauguração do Centro de Estudos Latino-Americanos na Universidade de Ancara e de um jantar oficial oferecido pelo presidente Gül, Lula retornará ao Brasil.
(Fonte: Angola Press)

Lula da Silva afirmou na Turquia que o FMI não deve interferir na política interna dos países

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou hoje, em Istambul, o Fundo Monetário Internacional (FMI) por tentar marcar as directrizes da economia de diversos Estados e afirmou, nesse sentido, que o seu país conseguiu ser independente.
"Não há problema que o FMI conceda empréstimos, o que não deveria fazer é intrometer-se nas políticas internas dos países aos quais empresta", afirmou Lula, durante uma entrevista concedida à rede "NTV" da Turquia, onde se encontra em visita oficial.
Questionado sobre a experiência brasileira com o FMI, Lula disse que, quando o seu Governo decidiu cancelar a sua dívida devolvendo os empréstimos concedidos, primeiro deparou-se com a incredulidade e certa rejeição da instituição financeira, mas depois o exemplo foi seguido por outros países. "O Brasil aprendeu a ser um país independente. Não estamos subordinados a nenhum país, nem queremos enfrentamentos, só queremos tratar com os outros Estados de igual para igual", disse o presidente.
Por isso, Lula acrescentou que mantém grandes expectativas no novo presidente americano, Barack Obama, e em que ele seja capaz de mudar a "relação imperial" dos Estados Unidos com a América Latina.
No entanto, o presidente brasileiro disse que, embora proceda das fileiras ideológicas do socialismo, prefere definir-se como um "pragmático", em vez de socialista. "Um presidente não pode ser radical, porque deve governar para todos os Brasileiros", acrescentou.
Lula disse também que, nos seus pouco mais de seis anos de Governo, foram criados 10 milhões de postos de trabalho no Brasil e 20 milhões de pessoas pobres passaram a fazer parte da classe média, graças à melhoria das condições de vida, entre outras conquistas.
Segundo Lula, países como Brasil, Turquia, China e Índia, todos eles membros do Grupo dos Vinte (G20, os países mais ricos e os principais emergentes), têm "um grande potencial", mas devem preocupar-se com o desenvolvimento social.
Lula chegou na quarta-feira a Istambul, onde foi recebido pelo primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdoğan.
O presidente brasileiro participa hoje num Fórum Económico Turquia-Brasil, organizado em Istambul pelo Conselho de Relações Económicas Externas da Turquia (DEIK, em Turco).
Amanhã, Lula irá a Ancara, onde se reunirá com o presidente turco, Abdullah Gül; com o presidente do Parlamento, Koksal Toptan; e com Erdoğan.
Após participar na inauguração do Centro de Estudos Latino-Americanos na Universidade de Ancara e num jantar oficial oferecido pelo presidente Gül, Lula voltará ao Brasil.

(Fonte: EFE)

19 maio 2009

CDS opõe-se à entrada da Turquia na União Europeia

O candidato do CDS-PP às eleições europeias discorda do Presidente da República e defende que a Turquia deveria ter apenas um relacionamento especial com a UE.

Defende a entrada da Turquia para a União Europeia como fez o Presidente da República? (Público)

Nuno Melo: "Neste ponto tenho uma opinião diferente do Presidente da República. Tenho reservas à adesão da Turquia. Há o argumento territorial: a Turquia só é Europa numa pequena parte; o demográfico, já que a Turquia seria transformada no maior país da União Europeia; e o da identidade. A da Europa é judaico-cristã, que é secular. Já a identidade da Turquia é profundamente muçulmana. Depois há uma questão estratégica: faz sentido que a União Europeia tenha fronteiras até ao mundo árabe muito instável, perigoso, dificilmente controlável, com o que isso significaria com a entrada de pessoas na União Europeia? Nada disto invalida que a Turquia não mereça um estatuto especialíssimo no relacionamento com a UE."

(Fonte: Público)

Istambul pronta para a "grande final"

O secretário-geral da Federação Turca de Futebol, Metin Kazancıoğlu, prevê uma "grande final", numa altura em que FC Shakhtar Donetsk e Werder Bremen se preparam para o encontro decisivo da Taça UEFA, na quarta-feira, em Istambul, na Turquia.

"Prazer"
Trata-se da última final nos 38 anos da competição, antes do início da UEFA Europa League na próxima temporada e Kazancıoğlu acredita que o bem conhecido ambiente do Estádio Şükrü Saraçoğlu irá assegurar um encerramento em grande estilo. "É um prazer para nós que o derradeiro encontro da Taça UEFA se realize na Turquia, no Estádio Şükrü Saraçoğlu, do Fenerbahçe, pois será relembrada por isso mesmo", disse Kazancıoğlu ao uefa.com. "Todos se lembrarão que a última final da Taça UEFA se realizou em Istambul e isso é positivo".

"Grande ambiente"
"Existe um grande ambiente no Şükrü Saraçoğlu. Os adeptos do Fenerbahçe apoiam a sua equipa até ao apito final nos seus jogos e creio que a final será jogada num ambiente semelhante aos dos jogos da Liga turca. Os bilhetes destinados ao mercado turco estão esgotados, pelo que os Turcos que irão ao jogo, juntamente com os adeptos dos dois finalistas, vão experienciar uma grande final. Somos um país de futebol. Todos adormecem e acordam a pensar em futebol. Os Turcos adoram-no e vão apoiar a melhor equipa, à espera que vença".

Progresso
Trata-se da segunda final realizada em Istambul no espaço de cinco épocas e segue-se ao emocionante triunfo do Liverpool FC sobre o AC Milan no encontro decisivo da UEFA Champions League de 2005/06, realizado no Estádio Atatürk Olimpiyat. A Turquia também acolheu, em Antalya, o Campeonato da Europa de Sub-17 e receber a final da Taça UEFA é mais um sinal do progresso que o futebol do país tem conhecido nos últimos anos.

"Ganhar embalagem"
"O futebol turco ganhou embalagem, particularmente desde a década de 1990", indicou Kazancıoğlu. "Os estatutos da Federação Turca de Futebol, juntamente com o aumento dos recursos financeiros, levaram à melhoria dos estádios. Como os recintos se tornaram mais satisfatórios, houve um maior número de pessoas a assistir aos jogos. Todos os investimentos feitos pelos clubes contribuíram para a melhoria do futebol".

"Ambição"
Isto, por seu turno, levou a uma significativa melhoria da selecção, que chegou às meias-finais do UEFA EURO 2008™. "A nossa primeira participação no Campeonato da Europa foi em 1996. Depois, em 2000, chegámos aos quartos-de-final. Seguiu-se o terceiro lugar no Mundial de 2002 e o sucesso na Taça das Confederações mostrou que estamos no caminho certo. Isso foi ainda mais evidente no Euro 2008. Fomos empolgantes, lutámos até ao final e marcámos alguns dos nossos golos nos últimos minutos e, mesmo, últimos segundos. Isto foi um indicador da nossa ambição. Estávamos empenhados e, como resultado disso, tivemos sucesso. Acredito fortemente que continuaremos assim".

"Festival de futebol"
Primeiro, no entanto, todos os olhos estarão colocados no Estádio Şükrü Saraçoğlu e Kazancıoğlu está orgulhoso em receber o mundo do futebol em Istambul. "Gostaria de dar as boas-vindas aos adeptos dos dois países que se apuraram. Istambul é uma cidade muito bonita, com importantes atracções históricas e culturais. Esta final será mesmo um festival de futebol".

(Fonte: Uefa.com)

17 maio 2009

Couceiro goleia penúltimo classificado

O Gaziantepspor, orientado pelo Português José Couceiro, venceu hoje o Kocaelispor por 5-2, em jogo da 32.ª jornada da Liga turca.
Com este resultado, a formação orientada por Couceiro ascende ao sétimo posto da classificação com 45 pontos, beneficiando da derrota (1-0) do Kayserispor no terreno do Istanbul Büyükşehir. No topo da tabela, o Beşiktaş venceu 3-1 no reduto do Ankaragücü e retomou a liderança, ocupada provisoriamente pelo Sivasspor depois da vitória (2-1) de ontem sobre o Hacettepespor.


(Fonte: A Bola)

As duas caras da moderna Turquia

No avião que segue de Istambul para Ancara viajam duas mulheres que simbolizam a Turquia actual: uma oculta o corpo enquanto amamenta um bebé recém-nascido; outra exibe os seios sem pudor numa blusa desabotoada.
O futuro do Estado, explica Can Paker, presidente da Turkish Economic and Social Studies Foundation "dependerá muito da capacidade de conciliar dois principais blocos: o secular e o de orientação islâmica". A Turquia, que Cavaco Silva visitou esta semana, "está numa encruzilhada há mais de 100 anos, mas uma coisa é certa, não se vai desviar do caminho para o Ocidente, porque este faz parte do seu ADN", acrescenta Paker, presidente e director-geral da Henkel Turkey e administrador da poderosa Sabanci Holding. Foi uma aula de política o que Paker deu a um grupo de jornalistas convidados pela Delegação da Comissão Europeia na Turquia para discutir, em Istambul e em Ancara, o processo de adesão da Sublime Porta à UE. "Este país foi estabelecido por uma burocracia civil-militar", explica. "O núcleo era uma elite e o resto camponeses. A população rural tornou-se uma classe média que se foi desenvolvendo ao mesmo tempo que a classe média da elite. O que se assiste actualmente é a uma luta de classes, não de género marxista, mas entre duas classes médias apostadas em beneficiar da prosperidade económica. "O duelo islamismo versus secularismo é, sobretudo, uma fachada", comenta Paker. Com o Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP, pró-islamita) a dominar o Parlamento, o Governo e a Presidência da República, o poder dos militares (a velha classe média) está a diminuir, porque aumentaram as pressões da sociedade civil e da União Europeia. O AKP, a nova classe média, "sabe que não se pode desviar da Europa" porque isso significará "o regresso da velha elite" que, neste momento, se encontra "em muito mau estado", frisa Paker. O Partido Republicano do Povo (CHP), de Deniz Baykal, "deixou de ter qualidades para deter o poder - não tem uma política económica, não tem perspectivas de política externa, só existe como protector do secularismo - é o seu argumento exclusivo. A única oposição que a Turquia enfrenta é a da União Europeia e das ONG. O AKP não enfrentará adversários enquanto satisfizer a nova classe média", que não tem vergonha nem medo de assumir religião e tradições.
Hakan Altinay, director da Open Society Foundation, admitiu que "há uma guerra cultural entre seculares e religiosos", mas, para a Europa, "os secularistas são agora o lado mau, enquanto o AKP está no campo dos bons". Apesar de todos os cidadãos "ainda não terem direitos iguais, de haver suspeitas de favorecimentos ilícitos e de outras falhas", Altinay salienta que algumas das reformas adoptadas por pressão da UE nunca pensou vê-las concretizadas no seu tempo de vida. Exemplos: a abolição da pena de morte e prisão perpétua para crimes de honra; uma televisão e uma rádio, escolas e universidades em língua curda; um chefe de Estado (Abdullah Gül) eleito apesar de um ultimato dos militares; uma mulher com veú islâmico no palácio presidencial (a primeira-dama); a exigência de estudos superiores para ingressar na polícia e no exército. Conclusão de Altinay: "A Turquia torna-se uma sociedade melhor à medida que se aproxima mais dos valores da União Europeia".

Moderna e europeia

Hugh Pope, analista do Think Tank International Crisis Group, realça que "a Turquia já é uma sociedade modernizada mas aspira a mais: quer ser europeia". Não lhe interessa ser um Estado árabe. "E não se pode voltar ao faz-de-conta: a Turquia fazer de conta que entra; a UE fazer de conta que aceita". Este ano é decisivo. Dilek Kurban, professora de Direito na Universidade de Boğaziçi, constata que "a UE está a discutir a sua identidade através do processo de adesão da Turquia. O que é ser europeu? Interessante, porque os muçulmanos já lá estão e não vão desaparecer". Embora critique o AKP por não ter ainda eliminado a discriminação de que continuam a ser alvo as minorias, incluindo os muçulmanos alevitas, como ela, Kurban reconhece que já foi percorrido algum caminho. A televisão curda, por exemplo, "foi uma boa ideia, apesar de ter chegado com dez anos de atraso", o que permitiu aos separatistas do PKK fazer a sua propaganda através de emissoras no exterior.

Que civilização?

Paker, Altinay, Pope e Kurban depositam agora grandes esperanças na revisão da Constituição, que garantirá mais direitos e liberdades, e no desfecho do processo Ergenekon - nome de uma organização clandestina, que incluiria generais, juízes, políticos e jornalistas, alegadamente envolvida numa conspiração para derrubar o Governo. "Nos anos 90, estas pessoas, ligadas ao Exército, matavam nacionalistas curdos e agora estão na cadeia", diz Hugh. "Eu acredito que será investigado o que se passou no Sudeste da Anatólia, que valas comuns serão abertas e que os responsáveis serão castigados", confia Kurban. Na sede do CHP, o partido criado por Mustafa Kemal Atatürk, a decepção é visível no rosto envelhecido de Onur Öymen, o vice-presidente, de voz e mãos trémulas. "Não podemos defender os nossos valores desde que o AKP governa sozinho [foi um terramoto político a primeira vitória eleitoral que dispensou uma coligação], por isso pedimos ajuda aos nossos amigos europeus para travar as ameaças ao secularismo. A Turquia não pode entrar na UE se não for uma república secular." Sobre o caso Ergenekon, denuncia escutas ilegais e detenções sem culpa formada. "Este é o mais grave processo em curso na Turquia", queixa-se. "Ninguém sabe quando e como vai acabar." Öymen não parece ver nada de positivo nas políticas do AKP: acusa-o de limitar a liberdade de imprensa, critica a aproximação à Arménia (porque "hostilizou o aliado Azerbaijão") e condena as boas relações com o Irão, o Sudão e o Hamas. Opõe-se também à participação da Turquia na Aliança das Civilizações. "Que civilização?", interroga. "Não fazemos parte da mesma, ou deixámos de ser europeus para ser islâmicos?"

(Fonte: Público)

16 maio 2009

Turismo de Estado na Turquia

Cavaco Silva terminou esta sexta-feira visita à Turquia. Último dia foi dedicado à ímpar paisagem da Capadócia

A primeira-dama ficava angustiada de cada vez que, nas várias conversas em família sobre a Turquia, alguém mencionava a palavra Capadócia. Sempre teve o desejo de conhecer aquele templo de uma civilização milenar, onde abundam vales pontuados por torres de pedras.
O marido e Presidente da República, Cavaco Silva, fez-lhe a vontade e, seis anos volvidos da primeira visita do casal àquele país, levou Maria a conhecer as ímpares formações rochosas da antiga província romana, em Nevşehir.
O sol não deu tréguas. Antes de entrar numa das centenas de "cavernas" formadas no séc. IV por um povo que se protegia assim dos ataques do inimigo, o chefe de Estado luso tirou a gravata vermelha, que fazia "pendant" com o casaco da mulher. Acto contínuo: os engravatados da comitiva sentiram-se autorizados a imitá-lo. Do outro lado da rua, Peter, louro polaco de visita à Turquia com os pais, perguntava: "Quem é que está aí?". Informámo-lo. Não conhecia. "De Portugal só conheço os clubes de futebol (pena o F.C. Porto não ter ganho aquele jogo contra o Manchester...), o vinho e o clima, ameno". A partir de ontem ficou a conhecer também o Presidente da República.
Já sem o casaco, o casal Cavaco Silva iniciou a subida até à Dark Church, trocando em Francês as dúvidas sobre aquela paisagem lunar que serviu de cenário ao filme "Guerra das Estrelas". A segurança distraiu-se e um rebanho de turistas espanhóis furou o perímetro. "Somos Espanhóis! Espanha!", atirou uma cidadã de sangue quente. "Portugal!", ripostou, pronta, a primeira-dama. Mas o grupo de turistas não ficou satisfeito com este Portugal-Espanha em vocábulos e um dos homens cometeu a ousadia de tentar beijar Maria Cavaco Silva. Que demonstrou ter grandes reflexos: ergueu o braço e afastou o "invasor". "Cuidado...", alertou, dirigindo-se ao segurança pessoal.
"Eles cozinhavam nestas casas? Havia chaminés?", pergunta depois ao guia a primeira-dama. "Não havia chaminés, uma vez que os odores eram absorvidos pela pedra". Começa, então, a procissão do "cuidado com a cabeça", a comitiva agacha-se para caber nos reentrâncias que não terão mais de um metro de altura, e desagua mesmo em frente a três simpáticos londrinos, derretidos com o calor e com o espectáculo. "Estamos com muita sorte. Há três dias, cruzámo-nos com o governador da Anatólia, hoje [ontem] com o Presidente português. Se ficarmos mais uns dias ainda cumprimentamos o Obama", gracejou Margaret, antiga jornalista na reforma.
Passo lesto até à Dark Church, o mesmo (e baixo) problema de acesso ao local-símbolo desta região formada por meia dúzia de cidadelas e vilas, que dista 700 quilómetros de Istambul. Há muitos anos, foram "erguidas" na pedra quatro igrejas, que funcionavam como "escolas da fé", explicou, depois, aos jornalistas, o Presidente da República. "Senti-me a fazer uma viagem no tempo", confessou ainda.
O mesmo não poderá dizer a esmagadora maioria dos Portugueses, sem orçamento para poder sentir o ar abafado das cavernas onde viviam os cristãos em fuga e tirar fotografias com vista para as chamadas "chaminés de fada", formações rochosas que se assemelham a cogumelos. "Não está ao alcance de todos os Portugueses, mas há muitos Portugueses que visitam a Turquia", assegurou o chefe de Estado, torneando, desta forma, uma pergunta directa sobre os mais recentes números negros do PIB e do desemprego. "Tenho-os na minha algibeira, mas na algibeira do casaco". O casaco tinha ficado na camioneta.
Tempo ainda para ficarmos a saber que a primeira-dama não conseguiu levar um "souvenir" para os dois netos e que só comprou uma lembrança para a neta de 13 anos, prestes a celebrar mais um aniversário. "Faço um balanço positivo desta visita", afirmou Maria Cavaco Silva. E o que lhe pareceu o facto de a sua congénere turca usar um véu a tapar a cabeça? "Isso é um problema da primeira-dama, não meu. Eles discutem muito isso, mas eu como visitante e mulher do Presidente não vou comentar".
Enquanto isso, Cavaco esperava, braços cruzados, que os holofotes mediáticos se virassem de novo para ele. Os jornalistas turcos já estavam com os microfones em riste.

(Fonte: Jornal de Notícias)

Gripe A H1N1: Turquia confirma os primeiros casos

A Turquia seguiu-se hoje à Índia, confirmando os primeiros casos de Gripe A H1N1, todos envolvendo passageiros que chegaram ao país vindos dos Estados Unidos.
São agora 38 os países com casos confirmados desta nova estirpe de gripe. Segundo a Organização Mundial de Saúde, há 8451 casos em todo o mundo, e 72 mortes, a maioria no México.

Os dois primeiros casos identificados na Turquia são de um casal: um homem norte-americano e a sua mulher iraquiana. Estavam de regresso dos EUA e viajavam para o Iraque, mas pararam em Istambul, e foi aí que se detectou que o jovem de 26 anos tinha febre alta. A mulher, perceberam depois as autoridades, também está infectada. O casal foi colocado em quarentena e quase todas as pessoas que viajaram no mesmo voo estão a ser seguidas.

(Fonte: Público)

Turquia confirmou o primeiro caso de Gripe A H1N1

A Turquia confirmou o primeiro caso de gripe A H1N1 no país num Norte-americano que chegou ao aeroporto internacional de Istambul vindo dos Estados Unidos e pretendia viajar para o Iraque, anunciou hoje o Governo de Ancara.
O homem infectado entrou quinta-feira passada na Turquia através do aeroporto de Istambul procedente dos Estados Unidos e após uma escala em Amesterdão, Holanda, indicou o Ministério turco da Saúde. Foi sujeito a análises clínicas depois de "câmaras térmicas" lhe terem detectado uma febre alta.
"O doente foi hospitalizado [em Istambul] e mantido em quarentena juntamente com a sua família, composta por seis pessoas. O seu estado é satisfatório", afirmou o ministro turco da Saúde. Os passageiros do avião em que o homem viajou e outras pessoas com quem esteve "em contacto" estão a ser seguidas por médicos do ministério da Saúde, acrescentou .
A Turquia instalou 27 câmaras térmicas nas suas fronteiras e aeroportos para detectar viajantes com eventuais sintomas de gripe A H1N1.
O novo vírus da gripe já contaminou mais de 7500 pessoas em todo o mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde.

(Fonte: Expresso/Lusa)

15 maio 2009

Anibal e Maria Cavaco Silva admiram maravilhas da região da Capadócia


O Presidente da República terminou a deslocação oficial à Turquia com um passeio pela região da Capadócia. Cavaco Silva cumpriu assim no final da visita de Estado o sonho da sua mulher de conhecer um dos principais destinos turísticos turcos.
A região da Capadócia é uma região lendária e uma das principais atracções turísticas da Turquia, pelo que há muito despertava o interesse do casal presidencial.
"Vim uma vez à Turquia e lembro-me que andávamos por aqui e às vezes punha o nariz em baixo e dizia: ‘Eu queria era estar na Capadócia. Eu queria era ir à Capadócia'. Dessa vez não foi possível mas o meu marido fixou que eu tinha essa fixação na Capadócia. A minha filha já dizia: ‘Ó mãe, cala-te com a Capadócia'", confidenciou aos jornalistas Maria Cavaco Silva.
"Visitar a Capadócia era desde há muito tempo um sonho da minha mulher. E depois de ler alguns livros sobre a Capadócia, eu próprio comecei a sentir-me atraído por esta parte da Turquia", concedeu Cavaco Silva, considerando que "é de facto extraordinária".
A Capadócia é património da Humanidade. Trata-se de uma região onde se cruzam séculos de história, com uma paisagem que mistura a beleza natural com a obra do homem, onde despontam capelas escavadas pelos primeiros cristãos nas rochas.
"Mas o que espanta mais é como homens e mulheres do século IV construíram aldeias e vilas escavando estas rochas para salvar a sua vida perante os ataques dos inimigos mas também para defender a religião", sublinhou o Presidente da República, que teve ainda tempo de apreciar frescos pintados há centenas de anos.
No final da visita, o casal presidencial dava a experiência como gratificante, tendo Maria Cavaco Silva admitido que foi excedida a "expectativa, porque lia os livros, via as fotografias, mas não é a mesma coisa".
Com a visita a rematar a deslocação de Estado à Turquia, o Presidente Cavaco Silva e a primeira dama tornam a Portugal deixando a promessa de um regresso ao país.

(Fonte: RTP)

Cavaco Silva 'despede-se' da Turquia cumprindo o sonho da mulher: visitar a Capadócia

Cavaco Silva 'despede-se' da Turquia cumprindo o sonho da mulher: visitar a Capadócia Foto: Presidência

O Presidente da República terminou hoje a sua visita de Estado à Turquia com uma breve deslocação à região da Capadócia, um dos principais destinos turísticos do país, cumprindo assim um sonho da mulher, Maria Cavaco Silva.
"Visitar a Capadócia era desde há muito tempo um sonho da minha mulher e, depois de ler alguns livros sobre a Capadócia, eu próprio comecei a sentir-me atraído por uma visita a esta parte da Turquia", afirmou, depois de visitar o museu ao ar livre e a Igreja Tokali.
Elogiando a paisagem da região - constituída por rochas de origem vulcânica formadas há mais de dois milhões de anos -, o chefe de Estado chamou a atenção para as casas que foram construídas nestas rochas durante vários séculos como forma de defesa dos cristãos contra os ataques romanos e árabes.
"O que espanta mais é como homens e mulheres no século IV construíram aldeias, vilas, escavando estas rochas para salvar a sua vida perante os ataques dos inimigos mas também para defender a religião", salientou.
No final desta sua visita de quatro dias à Turquia, Cavaco Silva voltou a deixar um desafio para uma maior cooperação económica entre os dois países, nomeadamente no sector do turismo.
"Tenho a informação que muitos Portugueses visitam a Capadócia (...) Gostaria que mais Turcos visitassem Portugal", apelou, lembrando que a Turquia recebe mais de 20 milhões de turistas por ano e Portugal metade desse valor.
Depois de almoçar com o Governador da província de Nevşehir, o Presidente da República termina a visita com um passeio pelos vales Zelve Pasabag, Red Valley e Pigeon Valley, regressando a meio da tarde a Lisboa.

(Fonte: Expresso/Lusa)

Turco que tentou matar Papa não pode ser Português

Não há qualquer possibilidade de o Turco Ali Ağca, que tentou matar o Papa João Paulo II no Vaticano, em 1981, obter a nacionalidade portuguesa.
"Um estrangeiro que não resida legalmente em Portugal e que não conheça a língua portuguesa só pode ter acesso à nacionalidade portuguesa em situações muito excepcionais, quando tenha prestado serviços muito relevantes ao Estado português ou à comunidade nacional. Manifestamente não é o caso", justificou, citado pela Lusa, o titular da pasta da Presidência, no final da reunião do Conselho de Ministros. Pedro Silva Pereira advertiu, ainda, que, até ao momento, "Ali Ağca não apresentou formalmente um pedido de acesso à nacionalidade portuguesa", embora tenha "manifestado interesse nesse sentido". O Turco fez, porém, várias diligências, "quer por si próprio, escrevendo às autoridades portuguesas, quer através de um seu advogado", que se reuniu com o embaixador português em Ancara. Porém, horas antes, o titular da pasta dos Negócios Estrangeiros tinha dito, em Istambul, na Turquia, que não tinha qualquer conhecimento oficial da situação. "Tudo é possível, hoje em dia nada me surpreende, tudo é possível", reconheceu Luís Amado.
Ali Ağca, que tentou assassinar o Papa João Paulo II na Praça de São Pedro, no Vaticano, a 13 de Maio de 1981 - e que se encontra preso na Turquia - tinha pedido, no ano passado, a nacionalidade polaca, justificando que queria passar o resto da vida no país de origem do anterior Papa.

(Fonte: Jornal de Notícias)

Todos os gasodutos vão dar à Turquia

Todos os gasodutos vão dar à Turquia(Foto: Presidência)

A menos de 24 horas de terminar a sua visita oficial à Turquia , o Presidente da República antecipou o balanço final, numa conferência de imprensa realizada, na tarde de quinta-feira, em Istambul.
O Expresso quis saber se Cavaco Silva tinha recebido garantias das autoridades turcas em como o Projecto Nabuco não será usado como arma política se o processo negocial com a União Europeia não evoluir favoravelmente para os Turcos.
"Encontrei aqui um espírito muito mais positivo do que aquele que eu trazia. Não posso dizer que me foi dada uma segurança muito forte de que se avançará rapidamente numa decisão que permita a construção desse gasoduto", disse o Presidente. "Mas isto é a demonstração de que a Turquia tem uma mais valia que a Europa não pode ignorar".
O Nabuco é um "pipeline" que visa o transporte de gás natural desde o Cáucaso até à Europa Central. O projecto, ainda em fase de negociação, visa acabar com a dependência da Europa em relação ao gás natural proveniente da Rússia. "Parece que tudo converge para um gasoduto central, aqui na Turquia", disse o Presidente.
No encontro com os jornalistas portugueses, o Presidente fez um balanço da sua deslocação à Turquia. "Esta visita excedeu claramente as minhas expectativas. Fomos recebidos verdadeiramente como amigos". Para Cavaco Silva, houve gestos por parte das autoridades turcas "que Portugal deve saber capitalizar".
Em primeiro lugar, o Presidente destacou o convite que lhe foi feito para discursar na Grande Assembleia Nacional - uma honraria que nos últimos 20 anos só foi concedida a quatro chefes de Estado.
Em segundo, a condecoração com que foi agraciado - Devlet Nişanı - e que é a mais alta do Estado turco. E, por último, o facto do Presidente da Turquia, Abdullah Gül , ter viajado propositadamente desde Ancara até Istambul para estar presente na inauguração de uma exposição de pintura portuguesa.
No seu último dia de visita, o Presidente da República desloca-se à Capadócia. A chegada a Lisboa está prevista para cerca das 18 horas de sexta-feira.

(Fonte: Expresso)

Cavaco Silva afirma que a visita excedeu as suas expectativas

A visita de Cavaco Silva não podia acabar de melhor maneira com o anúncio de que o BCP deverá manter a sua operação na Turquia e de que está disposto, com a ajuda do Governo, a investir 600 milhões de euros na sua rede bancária. Um negócio num mercado de 70 milhões de habitantes, em que a média de idades é de 28 anos, e uma ponte para o mercado turcófono, constituído por sete países vizinhos, com 200 milhões de habitantes. A visita de Cavaco Silva, que acaba hoje, foi marcada por uma enorme sedução de parte a parte.
O apoio inequívoco de Lisboa à adesão da Turquia, numa altura em que tanto Sarkozy quanto a senhora Merkel vetam a sua entrada, foi o mel que permitiu a Cavaco Silva ser recebido como um amigo, com manifestações políticas raramente vistas na diplomacia de Ancara, e que poderão ter como moeda de troca uma abertura do mercado turco a produtos e empresas portugueses. No campo dos negócios, a situação não ficou apenas no domínio das intenções. Além de o BCP ficar na Turquia, mais contratos ficaram praticamente apalavrados no domínio dos medicamentos – com o grupo Bial, de Luís Portela, à cabeça – e das energias renováveis.
Cavaco Silva responde assim ao facto de a Turquia ter sido esquecida nos últimos dez, 15 anos. Algo que não aceita nem compreende. E compara com o exemplo da Rússia, que mereceu uma atenção intensa nos últimos anos e que não reúne, nem de perto, na opinião do Presidente, as condições da Turquia.

"OLHEM PARA DURÃO BARROSO"

O presidente da República Cavaco Silva foi ontem à Universidade do Bósforo falar a dezenas de alunos e professores da experiência portuguesa de adesão à União Europeia.
No ar, obviamente, pairava uma certa desilusão com as recentes posições francesas e alemãs, que recusam a entrada da Turquia.
Isso mesmo referiu ao Presidente português um professor de Economia, que respondeu à boa maneira de Cavaco Silva: "Isso é retórica. Até às eleições europeias de 7 de Junho não liguem à retórica dos políticos." Em resposta, Cavaco Silva aconselhou os Turcos a olharem, isso sim, com muita atenção, "para o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, que foi meu ministro dez anos".
No final, Cavaco Silva considerou que a visita "excedeu as expectativas".

PORMENORES

GRANDE BAZAR

Cavaco Silva e a mulher foram ver o Grande Bazar de Istambul. Tomaram chá, e o Presidente deu alguns euros a Maria Cavaco Silva para as compras.

INSTALADO NUM PALÁCIO

Cavaco Silva e a comitiva estão distribuídos por três hotéis de Istambul. O do Presidente, Hotel Cirağan, mesmo junto ao rio Bósforo, é uma grande maravilha. Já foi um palácio e está tudo dito.

FÉRIAS NA CAPADÓCIA

Antes de partir para Lisboa, Cavaco Silva passa umas horas, poucas, na Capadócia. Uma ‘exigência’ dos Turcos, que não queriam deixar o Presidente português partir sem visitar uma das suas melhores regiões turísticas.

120 PESSOAS

A comitiva presidencial tem cerca de 120 pessoas. Conselheiros, convidados, empresários, seguranças, bagageiros e jornalistas.

(Fonte: Correio da Manhã)

14 maio 2009

MNE desconhece qualquer pedido do Turco Ali Ağca

O Governo português não conhece o suposto pedido de Ali Ağca para adquirir nacionalidade portuguesa. O homem que tentou assassinar João Paulo II, o Turco Ali Ağca, fez saber, através do advogado, em entrevista ao jornal "La Repubblica" que quer obter nacionalidade portuguesa. O ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, presente na Turquia, diz desconhecer a intenção do Turco.



(Fonte: Antena 1)

Cavaco Silva pede mais investimento português na Turquia

O Presidente da República considerou esta tarde que Portugal não tem prestado a devida atenção à Turquia como destino de exportações, e que é preciso mais investimento português no país. Cavaco Silva não quis comentar as negociações do Governo com a COSEC com vista à compra da empresa especializada em seguros à exportação, mas admitiu a intervenção do Estado na Economia. O Chefe de Estado esteve esta quinta-feira com alunos universitários turcos, aos quais apresentou o sucesso da experiência de Portugal na União Europeia ao longo dos primeiros dez anos depois da adesão.




(Fonte: Antena 1)

Decisão do BCP sobre Turquia permanece em aberto

O Millennium BCP mantém em aberto a questão da possível venda da operação na Turquia, segundo informação dada ao mercado pela instituição financeira e declarações feitas esta segunda-feira pelo presidente.
Depois de o presidente da AICEP, Basílio Horta, ter dito hoje que a agência está disponível para ajudar o BCP caso decida manter os balcões que tem na Turquia, o banco, sem comentar as declarações, remete para a informação dada recentemente, de que o processo está em aberto, em fase de cedência de informação a potenciais interessados.
O presidente do Millennium BCP reiterou segunda-feira, numa conferência de imprensa, que o banco só vai vender os activos que detém na Turquia "quando isso for bom para os accionistas", sublinhando que não tem pressa.
O BCP anunciou em final de Janeiro, em comunicado ao mercado, que estuda a eventual venda do Millennium bank da Turquia, tendo iniciado, "com o apoio de consultores externos, um processo de aferição de diferentes opções, incluindo a de eventual alienação da participação".
Já posteriormente Carlos Santos Ferreira disse que o processo estava "na fase de due deligence", ou seja, de cedência de informação a interessados.
Explicando as razões pelas quais o banco está a analisar a eventual venda deste activo, disse que, sendo "uma boa operação, embora pequena", para não perder valor, exige "investimentos". Coisa que, segundo o presidente do Millennium BCP, "não parece prudente fazer neste momento".
Basílio Horta disse hoje ter "ouvido dizer que o BCP estaria a repensar a sua decisão de sair da Turquia" e que "se isso se vier a confirmar, é uma excelente notícia para Portugal", tendo tido "ocasião de dizer ao administrador do banco que pode contar inteiramente" com o AICEP.


(Fonte: Diário Digital/Lusa)

Basílio Horta optimista quanto a novos negócios entre Portugal e a Turquia

Portugal pode crescer mais nas exportações para a Turquia e no investimento também, diz Basílio Horta, presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo (AICEP).

Basílio Horta acredita que ainda há muito espaço para trocas comerciais entre os dois países, apesar da instabilidade política na Turquia.
Esta manhã, em Istambul, os empresários portugueses que acompanham o Presidente da República nesta visita, participaram no seminário económico.
Portugal contabiliza 220 milhões de euros de exportações e o número pode aumentar, acredita o presidente da AICEP. “Temos que ter a consciência de que a Turquia é um grande mercado, mas difícil, que temos de trabalhar intensamente. Até agora, temos vindo a subir as exportações, mas a um ritmo ainda modesto e a verdade é que a Turquia não tem investido nada em Portugal”, diz Basílio Horta.
O apelo ao investimento em Portugal já tinha sido deixado por Cavaco Silva, que garantiu que o nosso país é estável.

(Fonte: Rádio Renascença)

AICEP disponível para ajudar BCP na Turquia

O presidente da AICEP, Basílio Horta, afirmou hoje que a agência está disponível para ajudar o BCP caso o banco decida manter os balcões que tem na Turquia, uma hipótese que considera viável.
"Ouvi também dizer que o BCP estaria a repensar a sua decisão de sair da Turquia. Se isso se vier a confirmar, que o BCP se mantém na Turquia, é uma excelente notícia para Portugal", afirmou Basílio Horta, questionado pelos jornalistas.
O presidente da AICEP reconheceu que numa altura em que Portugal está a alargar o mercado com a Turquia "não seria o melhor momento" para que o único banco português com balcões abertos na Turquia saísse do país.

(Fonte: Jornal de Notícias)

Cavaco Silva classifica objecções da França e Alemanha à adesão turca à UE como "retórica" eleitoral

O Presidente da República português pediu hoje às autoridades turcas para que desvalorizem as recentes objecções dos líderes da França e Alemanha à adesão do país à União Europeia, lembrando que foram proferidas em vésperas de eleições europeias.
"Por favor não olhem muito para o que está a ser dito agora na véspera das eleições europeias. Nestes momentos, há sempre uma retórica, muita retórica por vezes", afirmou, numa conferência na Universidade do Bósforo sobre a experiência portuguesa de adesão à UE.
No Domingo, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, Nicolas Sarkozy, uniram vozes contra a ideia de uma Europa sem fronteiras e contra a adesão da Turquia à União Europeia.
Na 'aula' na Universidade do Bósforo, o Presidente fez um balanço dos primeiros 15 anos da integração europeia, deixando de fora a última década.
"Pensei que devia trazer aos Turcos aquilo que foram os anos de claro sucesso da integração europeia e não valia a pena trazer os problemas que resultaram de uma união monetária", justificou mais tarde aos jornalistas.
Na mesma conferência, e questionado por um professor da audiência se a religião maioritariamente muçulmana na Turquia poderia ser um obstáculo à adesão, Cavaco Silva respondeu negativamente, posição que reiterou em conversa com os jornalistas.
"Os critérios do alargamento são os critérios de Copenhaga, a identidade cultural dos povos, a religião que maioritariamente professam não faz parte desses critérios", sublinhou.
"Não me recordo que algum líder europeu tenha afirmado que a religião é um obstáculo à adesão da Turquia à União", disse.
Por outro lado, o Presidente apontou como obstáculo à adesão turca o impasse no protocolo de Ancara - segundo o qual a Turquia deveria estender a união aduaneira a Chipre até ao final do ano - apelando a que a Turquia prossiga o esforço das reformas.
"Esperemos que o espírito reformista não esmoreça", afirmou.
Num balanço desta visita de Estado à Turquia, que termina sexta-feira, o Presidente da República considerou que esta "excedeu claramente" as suas expectativas.
"Fomos recebidos verdadeiramente como amigos e há alguns gestos que Portugal deve saber capitalizar", disse, referindo-se ao facto de lhe ter sido atribuída a mais alta condecoração da República da Turquia e de ter sido um dos poucos líderes políticos estrangeiros a discursar na Assembleia Nacional.
Questionado se retribuiu o convite ao Presidente turco para visitar Portugal, Cavaco Silva disse que já transmitiu a Abdullah Gül que "esperava poder recebê-lo" no nosso país, uma matéria que irá ser tratada agora por via diplomática.

(Fonte: Lusa/Expreesso)

Cavaco Silva em Istambul, entre um chá, compras no bazar e um seminário económico

Cavaco Silva em Istambul, entre um chá, compras no bazar e um seminário económico Foto: Presidência

Uma manhã em Istambul dividida entre um passeio, sem compras, no Grande Bazar, e um discurso aos empresários com um apelo a investimentos comuns de empresários portugueses e turcos.
O Presidente Cavaco Silva e a mulher começaram o dia por uma visita ao Grande Bazar, com mais de 4000 lojas. Momento para um chá, acompanhado pela comitiva, interrompendo o bulício das compras de milhares de turistas. Depois do chá, Maria Cavaco Silva foi às compras e o Presidente foi “para o trabalho” – o seminário económico, com centenas de empresários, portugueses e turcos, num hotel junto ao Bósforo. Sorridente, Cavaco disse que não ia fazer compras, mas que a mulher, Maria Cavaco Silva, tinha ficado no bazar “com o pensamento” nos filhos e nos netos e que não sairia dali sem algumas compras para eles. “Disse-me ‘vai para o teu trabalho, para o seminário económico, que eu vou às compras’”. Cavaco que confessa não ter jeito para as compras não foi no “grupo das compras”, mas deu euros à mulher: “Deixei-lhe, não o cartão de crédito, mas euros. Acho que aqui aceitam euros, Istambul vai ser Capital Europeia da Cultura em 2010”. Do outro lado do rio estavam já à espera do Presidente os empresários portugueses e turcos, para encerrar o seminário sobre oportunidades de negócio entre os dois países. Sem nenhum negócio concluído ou anunciado, Cavaco Silva apelou a um maior investimento dos dois países. A um nível comparável “às boas relações políticas” entre os dois países. “Desafio e encorajo as empresas turcas a trabalhar com as suas congéneres portuguesas no desenvolvimento de projectos comuns”, como na área do turismo. E deu o exemplo da CIMPOR, que fez “um dos maiores investimentos de raiz não financeira jamais executado na Turquia”, de cerca de 710 milhões de euros. Além disso, Portugal tem a vantagem para a Turquia de poder ser uma “ponte” para outros mercados, como África e Brasil.

(Fonte: Público)

Árbitro turco expulso por ser homossexual

Um árbitro turco foi excluído da competição pela sua orientação homossexual, informou esta quinta-feira o diário Hürriyet.
Além do próprio árbitro, também o responsável pela revista KaosGL, Ali Erol, criticou as leis que remontam aos anos 70 e que, até hoje, excluem os homossexuais do direito ao serviço militar e consequentemente de actividades que pressupõem estado de saúde saudável.
De acordo com critérios médicos especificados nas condições de recrutamento, os homossexuais não podem fazer o serviço militar. O artigo 25 da lei arbitral da federação turca indica, por sua vez, que "aqueles que estão isentos do serviço militar por razões de saúde não podem trabalhar como árbitros".
Baseando-se nesse principio, o Comité Arbitral inabilitou o árbitro de participar em competições oficiais. "Informamos que todas as normas afectam todos aqueles que ficaram isentos do serviço militar", explicou Osman Avci, secretário geral da Junta Central de Árbitros.
O árbitro, cujo nome não foi divulgado, disse que teve problemas quando o seu caso foi conhecido. "Pensei em levar a questão ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. Mas agora estou confuso. Inclusivamente penso mudar-me e viver noutro lugar", explicou.

(Fonte: Record)

Cavaco Silva "impressionado" com espírito empreendedor dos Turcos

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, manifestou-se hoje "particularmente impressionado" com o espírito empreendedor e com a motivação que encontrou na classe empresarial da Turquia. "Desafio e encorajo as empresas turcas aqui presentes a trabalhar com as suas congéneres portuguesas na identificação e desenvolvimento de projectos comuns", afirmou o chefe de Estado, no encerramento do seminário económico Portugal-Turquia, em Istambul. Cavaco Silva, que se fez acompanhar nesta visita de Estado à Turquia por uma comitiva de cerca de 30 empresários, considerou que "estão reunidas as condições" para melhorar o relacionamento económico entre os dois países e pediu mais cooperação em sectores como o do turismo. "No turismo, sector em que os nossos dois países são muito fortes como receptores, deparamos com níveis reduzidos nos fluxos bilaterais", realçou. O Presidente frisou ainda a importância da cooperação com a Turquia para a penetração "em países terceiros", lembrando as relações privilegiadas de Portugal com África e América do Sul e o bom entendimento dos empresários turcos com os mercados do Golfo e Cáucaso.
"A Turquia é também uma ponte entre culturas, projectando a tolerância, a estabilidade e a segurança para lá das suas fronteiras", sublinhou.

(Fonte: Diário Digital/Lusa)

Casal Cavaco Silva no Grande Bazar de Istambul

Casal Cavaco Silva no Grande Bazar de Istambul Foto: Presidência

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, visitou hoje o Grande Bazar de Istambul, mas deixou as compras para a mulher, até porque confessou que "não tem habilidade nenhuma para regatear". Questionado pelos jornalistas se não comprava nada na sua breve passagem pelo bazar, o chefe de Estado remeteu para Maria Cavaco Silva a tarefa de levar algumas lembranças para Portugal. "A minha mulher ficou aí, a pensar nos netos e nos filhos, disse que não podia sair daqui sem comprar alguma coisa para eles e portanto disse: ‘vai para o teu trabalho, para o seminário económico e depois encontrar-nos-emos ao almoço", afirmou o chefe de Estado. "Eu deixei-lhe não o cartão de crédito mas os euros, porque aqui aceitam euros. Istambul vai ser Capital Europeia da Cultura no próximo ano", acrescentou. Durante os cerca de 45 minutos que durou a passagem pelo bazar, o presidente e a mulher passaram grande parte do tempo a tomar chá no café Bedesten. "Visitar o bazar é uma coisa muito interessante mas não é nestas condições, é sem ser conhecido", disse Cavaco Silva, recordando a última visita que fez a Istambul, há seis anos.
Já sem o marido, Maria Cavaco Silva ficou no bazar, acompanhada pela embaixatriz da Turquia em Portugal, e manifestou o seu gosto por este tipo de ambientes. "Mesmo que não compre nada, eu adoro o clima dos bazares. Basta passear os olhos por estas lojas, andar nestas ruas estreitas", afirmou. No entanto, a mulher do Presidente da República confessou a sua falta de talento para uma das actividades necessárias neste tipo de compras: regatear. "Ai não, sou o desastre total, escolho e depois peço a alguém que regateie por mim", confessou.

(Fonte: Diário Digital/Lusa)