31 outubro 2008

Meira e Neca empatam

O Galatasaray de Fernando Meira, adversário do Benfica na fase de grupos da Taça UEFA, empatou nesta quinta-feira com o Ankaraspor de Neca, a um golo.
Em encontro relativo ao Grupo B da Fortis Turkiye Kupasi, Taça da Turquia, o internacional Umit Karan colocou o Galatasaray em vantagem à passagem do nono minuto. Apesar da vantagem precoce, o adversário do Benfica não conseguiu partir para uma exibição tranquila.
Com Fernando Meira no eixo da defesa, o Galatasaray viria a permitir o empate. De Nigris anulou a desvantagem do Ankaraspor. Neca foi suplente utilizado, com um registo curioso. Entrou aos 12 minutos e saiu aos 85.

(Fonte: IOL Diário)

Portugal e Turquia são líderes em injustiça social

Portugal é um dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) com maiores desigualdades na distribuição dos rendimentos dos cidadãos, ao lado dos Estados Unidos e apenas à frente da Turquia e México.
No seu relatório "Crescimento e Desigualdades", hoje divulgado, a OCDE afirma que o fosso entre ricos e pobres aumentou em todos os países membros nos últimos 20 anos, à excepção da Espanha, França e Irlanda, e traduziram-se num aumento da pobreza infantil.
Os autores do estudo colocam a Dinamarca e a Suécia à frente dos países mais justos, com um coeficiente de 0,32, e o México no topo da tabela dos mais injustos (0,47), seguido da Turquia (0,42) e de Portugal e dos Estados Unidos (ambos com 0,23).
"Em três quartos dos 30 países da OCDE, as desigualdades de rendimentos e o número de pobres aumentaram durante as duas últimas décadas" - lê-se no relatório.
Todavia, alguns países registaram melhores resultados do que outros: desde 2000, por exemplo, o fosso entre ricos e pobres aumentou sensivelmente no Canadá, Alemanha, Noruega, Estados Unidos, Itália e Finlândia, mas diminuiu no México, Grécia, Austrália e Reino Unido.
Nos países onde as diferenças sociais são mais importantes, o risco de pobreza é maior e a mobilidade social mais baixa, segundo a organização.
"As famílias ricas melhoraram muito a situação" em relação às mais pobres e, por outro lado, "o risco de pobreza deslocou-se das pessoas idosas para as crianças e os jovens adultos".
A OCDE define como situação de pobreza quando os rendimentos são inferiores a 50 por cento da média de cada país.
A pobreza das crianças, que aumentou nos últimos 20 anos, "situa-se hoje acima da média geral" e "deveria chamar a atenção dos poderes públicos", sublinha a OCDE.
"A Alemanha, a República Checa, o Canadá e a Nova Zelândia são os países onde a pobreza das crianças mais aumentou", segundo um dos principais autores do estudo, Michael Foerster.
Em contrapartida, a faixa etária entre 55 e 75 anos "viu os seus rendimentos aumentar mais nos últimos 20 anos", sendo a pobreza entre os pensionistas actualmente inferior à média do conjunto da população da OCDE.
A organização pede aos países membros para "fazerem muito mais" para que as pessoas trabalhem mais, em vez de viverem na dependência das prestações sociais, sendo que a taxa de pobreza das famílias sem emprego é quase seis vezes superior à das famílias activas.
Mas embora o trabalho seja "um meio muito eficaz para lutar contra a pobreza", não chega para a evitar: "mais de metade dos pobres pertencem a famílias que recebem fracos rendimentos de actividade".
A OCDE encoraja a implementação de medidas preventivas, nomeadamente a promoção do acesso a um trabalho remunerado.
"Ajudar as pessoas a inserirem-se no emprego e a converterem-se em cidadãos autónomos tem um papel preventivo que evita o agravamento das desigualdades", considera.
De facto, a organização assinala ser nos países com maiores taxas de emprego que o número de pobres é menor.
"O que importa não é a igualdade das situações, mas a igualdade das oportunidades", afirma-se no relatório, que preconiza também esforços em matéria de educação e saúde para reduzir as disparidades.

(Fonte: Lusa)

A crise e a Turquia

Por Kaya Türkmen, Embaixador da Turquia em Portugal in Diário Económico

A Turquia, que em 2001 sofreu uma crise financeira desastrosa seguida de uma contracção de 9% da sua economia, conheceu desde então uma expansão espectacular. No decurso dos últimos anos, a sua paisagem económica e financeira transformou-se, assim como, em certa medida, o seu panorama social e político. Entre 2002 e 2006, a Turquia registou um crescimento anual médio superior a 7%, tornando-se na décima sétima economia mundial. Apresentou um produto interno bruto (PIB) de 658 mil milhões de dólares em 2007, ou seja, 9300 dólares per capita. O objectivo da adesão à União Europeia, com a qual Ancara já assinou um acordo de união aduaneira em 1996, continua a ser a âncora da Turquia à Europa e aos mercados ocidentais. Aos olhos dos investidores estrangeiros, apesar dos numerosos obstáculos que ainda existem, o processo de adesão continua a definir a trajectória a seguir pelo país. Até 2002, os investimentos directos estrangeiros rondavam os 1000 milhões de dólares por ano. O fluxo atingiu, em 2007, os 22 mil milhões de dólares. A Turquia dispõe igualmente de trunfos demográficos importantes. Cerca de metade dos 70 milhões de Turcos têm menos de 25 anos de idade, um alvo de sonho da sociedade de consumo. Para as grandes companhias, estrangeiras ou locais, as possibilidades de expansão neste mercado, ainda sub-explorado, continuam importantes. Sucursais de Starbucks ocupam agora o lugar de numerosos cafés de bairro. Hipermercados Carrefour e outras grandes superfícies engolem as pequenas mercearias da esquina. É todo um estilo de vida que muda, com a integração da Turquia na economia mundial e o alargamento da classe média. No sector da banca, por exemplo, esta transformação traduz-se em créditos pessoais, créditos hipotecários e outros créditos ao consumo. No espaço de cinco anos, a utilização dos cartões de crédito quintuplicou. Durante os últimos cinco anos o sector bancário registou ainda um benefício total de 35 mil milhões de dólares, o que explica a apetência dos investidores estrangeiros pelas instituições financeiras do país. As reformas estruturais introduzidas após a crise de 2001 sanearam o sector e instauraram mecanismos reguladores e de controle. Dos 81 bancos que ocupavam o mercado na época, subsistem actualmente apenas 46, todavia mais sólidos e, sobretudo, com maior transparência. Na indústria, a produtividade aumentou consideravelmente. O sector privado aproveitou a disponibilidade de capitais nos mercados internacionais para contrair empréstimos e para investir. Apesar da sobrevalorização da moeda nacional, até há pouco tempo, as exportações progrediam a um ritmo mais rápido do que o crescimento da economia nos últimos anos. O país produziu mais de um milhão de viaturas privadas, furgonetas ou outros veículos comerciais, e as exportações do sector aumentaram 34% em relação a 2006, atingindo os 19 mil milhões de dólares. Os Turcos perguntam-se agora em que medida a crise mundial poderá afectar o equilíbrio da sua economia. Eles atravessaram vários períodos de turbulência. A novidade, desta vez, é que o país está integrado na globalização e que a resposta a esta pergunta está mais ligada aos factores externos. [...]
Estou optimista, a longo prazo. A Turquia oferece um potencial aos investidores. O seu crescimento deve continuar bom. As previsões apontam para um aumento de 4% pelo menos. O seu nível de vida aumenta, a sua demografia é excelente, os seus recursos humanos têm qualidade, e finalmente, as reformas económicas e estruturais prosseguem. A Turquia continua a ser um trunfo, sobretudo para a União Europeia. Só é preciso que ela se aperceba disso...

30 outubro 2008

Cargueiro turco sequestrado ao largo da Somália


Um cargueiro turco com bandeira das Ilhas Marshall foi capturado por piratas armados ao largo da costa da Somália, no golfo de Aden.
O navio Yasa Neslihan, transportando 77 mil toneladas de ferro originário do Canadá e com destino à China, está detido por piratas desde quarta-feira.
Um responsável da companhia proprietária do cargueiro indicou que a tripulação emitiu um sinal de luz na quarta-feira, mas até ao momento ainda não houve qualquer contacto dos piratas.
A tripulação do cargueiro é composta por 20 marinheiros, todos de nacionalidade turca.
Só este ano, 63 navios estrangeiros já foram atacados por piratas somalis no Oceano Índico e no Golfo de Aden, o dobro do registado em todo o ano de 2007.

(Fonte: Correio da Manhã)

29 outubro 2008

Cargueiro turco retido por malária atraca no Porto de Suape

Após passar nove dias retido na costa de Pernambuco, o cargueiro turco Blue Lady finalmente atracou, nesta quarta-feira (29), no Porto de Suape, na Região Metropolitana do Recife. Ontem (28), a embarcação obteve autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para se aproximar da costa, já que exames realizados em 22 dos 24 tripulantes do cargueiro deram negativo para malária.
O navio será abastecido com comida e água, porém não transportará carga de açúcar à Líbia (África). Dos oito marinheiros identificados com a doença, só dois permanecem com o protozoário plasmodium no sangue: Mustafa Alpler, 49 anos, e Gül Denis, 24.

(Fonte: JC Online)

28 outubro 2008

Trabalhadores turcos são os menos faltosos em oposição aos portugueses

Portugal é o país da Europa com a mais elevada taxa de absentismo por doença. Cada trabalhador falta, em média, 11,9 dias por ano, quando a média da Europa do Sul é de 7,6 dias e a média europeia atinge os 7,4 dias. Os trabalhadores da Turquia são os menos faltosos. Cada empregado falta, em média, 4,6 dias por ano. Estes dados resultam do estudo pan-europeu 2008 da consultora Mercer sobre benefícios de saúde, que inquiriu gestores de 900 empresas de 24 países europeus.

(Fonte: Jornal de Negócios)

Blogger "regressou" à Turquia

A partir de hoje já se pode aceder na Turquia à plataforma Blogger (blogger.com e blogspot.com). O acesso à maior plataforma de hospedagem de blogues tinha sido interdito na passada sexta-feira, dia 24 de Outubro, por decisão judicial. Sabe-se agora que a causa do bloqueio esteve relacionada com a violação de propriedade intelectual. Digitürk é uma plataforma de TV digital que é proprietária dos direitos de transmissão da cobertura ao vivo dos jogos da Liga Turca de futebol. A Digitürk obteve a ordem de bloqueio através de um Tribunal de Diyarbakır, alegando que alguns blogues alojados em Blogger davam informações e links para conhecidos websites que transmitiam a cobertura pirata ao vivo dos jogos da liga turca.

Mais detalhes aqui.

25 outubro 2008

Acesso ao Blogger bloqueado na Turquia

Desde sexta-feira, 24 de Outubro, que um Tribunal turco do sudeste da Turquia bloqueou o acesso ao Blogger (Blogger.com e Blogspot.com propriedade da Google), a mais popular plataforma de hospedagem de blogues. Não foi dada ainda qualquer justificação para a acção. Os utilizadores da internet na Turquia vêem esta mensagem quando tentar visitar Blogger.com e todos os blogues hospedados em blogspot.com: “O acesso a este website foi suspenso de acordo com a decisão no. 2008/2761 do Primeiro Tribunal de Paz de Diyarbakır.”
Esta é a segunda vez que um serviço de hospedagem de blogues é bloqueado na Turquia. Em Agosto de 2007 outro Tribunal turco também vedou o acesso à plataforma wordpress.com.
Um cidadão turco foi o responsável pelo bloqueio do wordpress.com e também conseguiu que vários websites fossem banidos. Apresentou igualmente queixa contra a Google Groups, o que resultou no seu bloqueio.
O Youtube costuma ser bloqueado temporariamente, mas já se encontra bloqueado há vários meses ininterruptamente. O mesmo se passou com o Dailymotion. Ambas as situações estão alegadamente relacionadas com a exibição de vídeos que supostamente insultavam Kemal Atatürk, o fundador da Turquia. O acesso ao site Slide também esteve suspenso durante algum tempo por exibir fotografias e artigos considerados um insulto a Kemal Atatürk.

Mais detalhes aqui, aqui e aqui.

24 outubro 2008

Presidente turco acredita que a Turquia pode entrar na UE daqui a sete anos


O presidente da Turquia, Abdullah Gül, acredita que o seu país pode entrar na União Europeia (UE) dentro de sete anos. "Acho que, uma vez que tenhamos acabado o processo de negociação - pode ser que em cinco, seis ou sete anos, não sei, depende também de nós -, teremos uma Turquia muito diferente da de hoje, e estou convencido de que, então, os membros da UE compreenderão que a Turquia é um trunfo para a União", destacou Gül. Assegurou que o país fez "reformas verdadeiramente radicais" e elogiou o processo de modernização da nação, e disse estar convencido de que "o germe de um golpe de Estado não está na ordem do dia", a propósito do julgamento da rede ultranacionalista Ergenekon. O grupo é acusado de tentar criar o caos por meio de assassinatos políticos e buscar justificar, assim, um golpe de Estado militar contra o Governo islâmico moderado de Recep Tayyip Erdoğan.
Em relação à crise financeira, o presidente advertiu de que este "será, sem dúvida, um dos principais problemas económicos deste século", porque "é a primeira crise do mundo globalizado". Gül defendeu uma segunda conferência de Bretton Woods para "criar uma nova ordem económica mundial", e afirmou que a crise pode afectar o comércio mundial, que se desaceleraria, e também pode causar o retorno das práticas proteccionistas.

(Fonte: EFE)

Antália foi o grande palco do cinema



O 45º Festival de Cinema Laranja de Ouro (Altın Portakal Film Festivali ), que celebra o cinema turco, e o 4º Festival de Cinema da Eurasia (Uluslararası Avrasya Film Festivali Filmeleri), que constitui a abertura do Altın Portakal aos filmes da Europa e da Ásia, decorreram em Antália entre 10 e 19 de Outubro.
O evento reuniu um leque considerável de nomes famosos, tais como Adrien Brody, Bo Derek, Joan Chen, Mickey Rourke, Kevin Spacey, Maximilian Schell, Danny Glover e Michael York.
Brody assistiu ao filme que encerrou o evento: “The Brothers Bloom”, onde é um dos actores principais, juntamente com Maximilian Schell. Kevin Spacey também compareceu e falou bastante sobre cinema durante uma conferência de imprensa. Mickey Rourke assistiu ao filme “The Wrestler” realizado por Darren Aronofsky e no qual é protagonista. Danny Glover também marcou presença para assistir à estreia na Turquia de "Blindness" de Fernando Meirelles.
Aconteceram paralelamente workshops de escrita de argumentos, que tiveram este ano como convidado de honra o argumentista francês Olivier Lorelle.

Os prémios do 45º Festival de Cinema Laranja de Ouro (Altın Portakal) foram os seguintes:

Prémio Honorário: Yılmaz Atadeniz

Prémio de Sucesso no Cinema: Hülya Avşar

Prémio Memorial Yıldıram Önal: Müşfik Kenter

Prémio Trabalho: Aydın Mesut Yurteri

Melhor Filme: "Pazar - Bir Ticaret Masalı" (The Market – A Tale of Trade) - Realizador: Ben Hopkins

Prémio Especial do Júri Dr. Avni Tolunay Yurtiçi Kargo: "Nokta" (Dot) – Realizador: Derviş Zaim

Prémio Revelação Digiturk Behlül Dal: Aydın Bulut – "Başka Semtin Çocukları" (Children of the Other Side)

Melhor Realizador: Derviş Zaim – "Nokta" (Dot)

Melhor Argumento: Ben Hopkins – "Pazar - Bir Ticaret Masalı" (The Market – A Tale of Trade)

Melhor Música: Mazlum Çimen – "Nokta" (Dot)

Melhor Actor: Tayanç Ayaydın – "Pazar - Bir Ticaret Masalı" (The Market – A Tale of Trade)

Melhor Actriz: Nurgül Yeşilçay – "Vicdan" (Conscience)

Melhor Actor Secundário: Volga Tekinoğlu – "My Marlon and Brando" & "Başka Semtin Çocukları" (Children of the Other Side)

Melhor Actriz Secundária: Övül Avkıran – "Pandora'nın Kutusu" (Pandora's Box)

Melhor Cenário e Prémio Kodak - Zekeriya Kurtuluş – "Vicdan" (Conscience)

Melhor Director Artístico: Türker İşçi – "Başka Semtin Çocukları" (Children of the Other Side)
Melhor Edição: Mustafa Preşeva – "Vicdan" (Conscience)

Melhor Efeito Sonoro: Kostasvi Variopiotis – "Nokta" (Dot)

Melhores Efeitos Especiais: Burak Balkan – "Üç Maymun" (Three Monkeys)

Melhor Fotografia: "Gökten 3 Elma Düştü" (3 Apples Fell from the Sky) & "Vicdan" (Conscience)

Melhor Guarda-roupa: Zeynep Sırlıkaya – "Pazar - Bir Ticaret Masalı" (The Market – A Tale of Trade)

Melhor Maquilhagem e Cabelos: Vesey Üsten – "Vicdan" (Conscience)

Prémio SİYAD: "Hayat Var" (My Only Sunshine) – Realizador: Reha Erdem

Melhor Documentário: "Adakale Sözlerim Çoktur" (Adakale Stories) – Realizador: İsmail Arasan

Prémio Especial do Júri para Documentário: "Nefes" (Breath) – Realizador: Cüneyt Birol

Melhor Curta-metragem: "Gemeinschaft" – Realizador: Özlem Akın

Prémios de Cultura e Arte do Ministério da Cultura e Turismo da República da Turquia: Muhterem Nur, Eşref Kolçak, Yücel Çakmaklı

Prémio (Fundo) para o Desenvolvimento do Argumento:
"A Handful of Fate" – Ali Vatansever

Os prémios do 4º Festival de Cinema da Eurasia foram os seguintes:

Prémios honorários: Kevin Spacey, Paul Verhoeven, Maximilian Schell, Zbigniew Preisner e Michael York

Prémios Contribuição para o Cinema e Arte: Mickey Rourke, Marisa Tomei, Adrien Brody, Matthew Modine e Michael J Werner

Melhor Filme: "Khamsa" – Realizador: Karim Dridi

Melhor Realizador: "Aruitemo Aruitemo" (Still Walking) – Realizador: Hirokazu Koreeda

Prémio SİYAD: "Üç Maymun" (Three Monkeys) – Realizador: Nuri Bilge Ceylan

Prémio NETPAC: "Sonbahar" (Autumn) – Realizador: Özcan Alper

Prémio da Crítica: "Nokta" (Dot) – Realizador: Derviş Zaim

23 outubro 2008

Protesto de estudantes turcas pelo direito de usar véu islâmico

Estudantes protestam na Turquia pelo direito de usar véu islâmico. Protesto ocorreu em frente ao campus da Universidade de Istambul. Governo tenta derrubar lei que proíbe uso do véu islâmico em universidades.

(Fonte:G1/AP)

Terim será seleccionador turco até 2012


Fatih Terim será o seleccionador turco até 2012, anunciou esta quinta-feira a federação deste país. O treinador prorrogou o contrato por mais duas épocas, uma vez que o documento anterior expirava em 2010. O novo vínculo terminará logo após o Euro 2012.
"A selecção turca tem como objectivo a qualificação para as fases finais do Mundial e do Europeu. Confiamos que Fatih Terim é a pessoa indicada para nos ajudar a garantir estas presenças honrosas", disse o presidente Mahmut Özgener.

(Fonte: Mais Futebol)

21 outubro 2008

Ataque a Embaixada da Turquia na Finlândia

A embaixada da Turquia na Finlândia foi alvo nesta terça-feira (21) de um ataque, quando um incêndio foi ateado no edifício, em Helsínquia, e deixou um funcionário ferido. Horas depois a polícia finlandesa anunciou a prisão de quatro suspeitos. Segundo o embaixador turco no país, Reha Keskintepe, este ataque terá aparentemente relação com um outro a uma missão diplomática turca na Áustria, no Domingo.
O ataque em Helsínquia, no início da manhã, ocorreu horas após um protesto pacífico contra a Turquia, realizado por algumas dezenas de Curdos. O fogo foi rapidamente controlado e um funcionário foi atendido por inalação de fumo.
Nos últimos dias houve vários protestos de Curdos contra a Turquia, que reclamam que o seu líder rebelde Abdullah Ocalan está a ser torturado na prisão. Ocalan é um dos fundadores do ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). Há relatos de que pelo menos um manifestante curdo foi morto nos protestos, no leste da Turquia.

(Fonte: JC Online)

20 outubro 2008

Caso Ergenekon começou a ser julgado

Na Turquia começaram esta segunda-feira a ser julgados 86 alegados membros do grupo armado Ergenekon. São acusados de envolvimento numa tentativa de destabilização do país que teria como objectivo último derrubar o Governo, através de um alegada rede clandestina no Exército. É um mega-processo na Turquia sem data para terminar.
Entre os acusados há juízes, advogados, o líder de um pequeno partido nacionalista e outros políticos, mafiosos, jornalistas e dois generais na reserva. Quarenta e seis estão detidos e serão os primeiros a prestar declarações. Vão responder a cerca de 30 acusações incluindo a tentativa de derrubar o Governo turco. O grupo é considerado pela acusação como responsável por um atentado no Conselho de Estado, em que morreu um juíz, vários ataques com granadas a um jornal pró-laico, planos para assassinar o primeiro-ministro e outras personalidades como o Prémio Nobel da Literatura Orhan Pamuk.
Num processo de 2.500 páginas, o Ministério Público acusa o movimento de querer semear o caos no país através de inúmeras manifestações ilegais, assassinatos e ataques contra as forças da ordem. Segundo a imprensa turca a estratégia do Ergenekon passava por levar o Exército a executar um golpe militar para derrubar o Governo do AKP.
A oposição laica da Turquia afirma que o actual processo se trata de uma vingança depois de uma acção judicial que tentou interditar o Governo, acusado de querer implantar um Estado islâmico no país.

(Fonte: Euronews)

17 outubro 2008

Escritoras turcas são tema na Feira de Frankfurt

Apesar de ser grande o número de Turcos e seus descendentes a viver na Alemanha, a literatura produzida na Turquia permanece desconhecida no país. A Feira do Livro de Frankfurt tenta mudar essa situação.
O bairro Cihangir, em Istambul, é conhecido pelos seus cafés e galerias e pelo grande número de artistas e intelectuais que ali vivem. E nele também mora a escritora Şebnem İşigüzel, de 35 anos, vencedora do mais importante prémio literário do país.
"Escrever para mim significa colocar a cabeça para fora, ou seja, da minha escrivaninha, observar o mundo. E não acredita o quanto isso pode ser difícil. A Turquia tem uma história reprimida, politicamente sempre instável. Acordar nesse país todas as manhãs e escrever livros é, apesar de tudo, um acto de bravura", diz İşigüzel.
Essa dificuldade dá-se principalmente porque a autora costuma, nos seus livros, dissecar a realidade turca, seja ao expor as contradições entre o secular e o religioso ou o abismo entre as províncias distantes e as grandes cidades. De uma forma ou de outra, a linguagem provocadora de İşigüzel já lhe rendeu até mesmo um processo judicial.


Desigualdade e discriminação
Um dos seus livros, que acaba de ser traduzido para o Alemão, é uma "espiada pelo buraco da fechadura" que mostra a vida das mulheres turcas. Essas mulheres, segundo a escritora, aparentemente "têm tudo", mas estão cansadas de expectativas frustradas e de uma vida definida de antemão. Acabam cortando vínculos e tornam-se outsiders.
"Desigualdade de direitos e discriminação existem obviamente em qualquer lugar do mundo, mas na Turquia, um país onde a democracia se instala lentamente, as mulheres são mais afectadas de forma imediata. O meu país é muito impregnado de uma mentalidade patriarcal. Aqui, até hoje, muitas meninas não são mandadas para a escola só pelo fato de serem mulheres. Mas, apesar de todas essas tradições, nós, mulheres turcas, temos uma força enorme e não perdemos as nossas esperanças", completa a autora.


Autonomia e véu?
Essa autoconfiança marca também a obra de Fatma Barbarosoğlu, de 46 anos. A autora, doutorada em Filosofia, usa o véu islâmico. Com os seus livros, enfoca uma geração de mulheres turcas autoconfiantes e religiosas.
"É claro que sou constantemente confrontada com clichês. Uma escritora com o véu? Isso é possível? As pessoas partem geralmente do princípio de que sou oprimida e burra. Até mesmo do meio religioso recebo olhares tortos", conta Barbarosoğlu. Talvez porque a escritora, nos seus livros, ressalte o lado vital e sensual do Islão, referindo-se ao Império Otomano como um terreno propício à tolerância religiosa e à inspiração artística.
"Desde o 11 de Setembro paira sobre o Islão uma suspeita geral de violência. Ele está a ser instrumentalizado pela política, tanto pelo Oriente como pelo Ocidente. Trata-se de gerar medo mutuamente, a fim de alcançar objectivos políticos, sendo que o mais importante seria reflectir sobre porque tememos tanto o outro, o desconhecido", questiona a escritora.


Altos custos e pirataria
Tanto Fatma Barbarosoğlu como Şebnem İşigüzel são consideradas, na Turquia, autoras de sucesso. Mesmo assim, nenhuma das duas consegue viver somente da literatura, tendo de trabalhar paralelamente como jornalistas. Os seus livros têm tiragens de aproximadamente 10 mil exemplares – números fabulosos para o mercado editorial turco, comenta Ilknur Özdemir, da Turkuaz Kitap, uma editora conceituada de Istambul.
Özdemir foi responsável pela tradução da obra dos escritores alemães Günter Grass e Martin Walser para o idioma turco. "Na Turquia lê-se muito pouco. Comparados com os salários da população, os livros são muito caros no país. Além do facto de que temos problemas muito sérios com cópias pirateadas. Quando um livro vende bem, dois dias depois existem cópias ilegais vendidas a metade do preço nas ruas. Isso faz com que muitas editoras não tenham muito leque de acção, resumindo-se à publicação de best-sellers. Tiragens iniciais de até 50 mil exemplares, como na Alemanha, seriam aqui quase um milagre", contabiliza Özdemir.

(Fonte: Deustche Welle)

Turquia foi eleita membro não-permanente do Conselho de Segurança da ONU

A Assembleia Geral da ONU elegeu hoje cinco novos membros não-permanentes do Conselho de Segurança para o biénio 2009-2010. Japão, Turquia, Áustria, México e Uganda, ocuparam as vagas do Conselho de Segurança.
O México, sem concorrência de nenhum outro país da região, obteve o apoio de 185 dos 192 membros do órgão, seis abstenções e um país votou no Brasil, apesar de este não se ter apresentado à eleição. Esta será a quarta vez que o México fará parte do principal órgão da ONU, após 1946, 1980-1981 e 2002-2003.
O Uganda também foi escolhido sem oposição pelo grupo regional africano para substituir a África do Sul em Janeiro.
O Japão superou o Irão no grupo asiático conseguindo 158 votos contra os 32 alcançados pelo Irão, que não faz parte do Conselho de Segurança desde o biénio 1955-1956. Para o Japão, esta é a nona vez que integrará o principal órgão, do qual espera tornar-se membro permanente.
As duas vagas disponíveis no grupo da Europa Ocidental, foram ocupadas pela Turquia, com 151 votos, e a Áustria, com 138 que superaram claramente a Islândia, que obteve o apoio de 87 países.
Principal órgão de decisão da Organização das Nações Unidas, o Conselho de Segurança é composto por 15 membros, cinco dos quais permanentes e com direito de veto (China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia). Os restantes 10 são eleitos anualmente em grupos de cinco pela Assembleia Geral para mandatos de dois anos não renováveis imediatamente. Os lugares são divididos por zonas geográficas e para ser eleito um país deve recolher dois terços dos votos dos Estados presentes e votantes. Além desses 10 membros, há os cinco permanentes - com direito a veto -, que são Estados Unidos, Rússia, França, Reino Unido e China.
Os novos eleitos participarão no Conselho de Segurança a partir de 01 de Janeiro e até 31 de Dezembro de 2010.
Actualmente, os cinco membros não-permanentes, que ficam até final de 2009, são: Burkina Faso, Costa Rica, Croácia, Líbia e Vietname.

(Fonte: Jornal Digital)

15 outubro 2008

Turquia esbarra na muralha estónia

A Estónia averbou o primeiro ponto no Grupo 5, ao empatar de forma surpreendente frente à Turquia, em Tallinn (0-0), pondo fim a uma série de três derrotas consecutivas no agrupamento.

Turquia manietada
Com este resultado, a Turquia fica a quatro pontos da líder Espanha, numa noite decepcionante para o conjunto orientado por Fatih Terim que, apesar das ocasiões de golo criadas, não conseguiu quebrar a resistência da defensiva adversária, que havia sofrido 13 golos nos três primeiros desafios de qualificação para o Campeonato do Mundo de 2010.

Oportunidades falhadas
A formação da casa esteve em evidência nos minutos iniciais, mas a Turquia rapidamente assumiu o controlo do jogo, e aos 13 minutos, um erro de Pavel Londak, na marcação de um pontapé de baliza, quase a colocou em vantagem. A Turquia tinha mais posse de bola, mas pecava na finalização, com Sabri Sarioglu, Halil Altıntop e Hakan Balta a desperdiçarem ocasiões soberanas, a última delas terminando com a bola no poste.

Estónia pressiona
A melhor oportunidade da Estónia coube a Vladimir Voskoboinikov, aos 24 minutos, mas foi desarmado no preciso momento em que se preparava para rematar à baliza. No entanto, não houve nenhum defensor estónio na mesma situação quando Halil, instantes depois, isolado perante Londak, não conseguiu vencer a oposição do guardião. Do outro lado do campo, Alo Bärengrub tentou a sua sorte com um pontapé de "bicicleta", antes de um remate de Konstantin Vassiljev ter sido detido por Volkan Demirel, guarda-redes turco. Um dos melhores jogadores locais, Andres Oper, falhou depois nova ocasião flagrante, a poucos metros da baliza.

Londak defende
Num jogo aberto, ambas as equipas continuaram a esbanjar oportunidades de golo após o intervalo. Bärengrub, de cabeça, não deu o melhor seguimento a um canto, antes de um remate em arco de Halil ter passado ao lado do alvo. A Estónia bem pode agradecer a Londak a obtenção do ponto, pois este desviou um remate a meia altura, da autoria de Balta, já nos minutos finais, quando a Turquia estava desesperada em busca da vitória.

(Fonte: UEFA)

14 outubro 2008

Orhan Pamuk critica falta de liberdades na Turquia na abertura da Feira de Frankfurt

O Prémio Nobel da Literatura Orhan Pamuk criticou hoje as limitações à liberdade de expressão no seu país, a Turquia, na cerimónia inaugural da Feira do Livro de Frankfurt.
"A tendência do Estado turco para proibir livros e punir escritores mantém-se, lamentavelmente", disse Pamuk na abertura do maior certame mundial do género, que agrupa este ano 7400 expositores de cerca de 100 países, e no qual a Turquia é o convidado de honra.
O Presidente turco Abdullah Gül, que falou também na inauguração da Feira do Livro de Frankfurt, admitiu que a liberdade de opinião "ainda não foi totalmente alcançada" no seu país, mas garantiu que a Turquia "está no bom caminho" para o conseguir.
Pamuk lembrou que na Turqia o acesso ao Youtube e outras páginas nacionais e internacionais na internet "é vedado às pessoas, por razões políticas".
"Ninguém pense, no entanto, que os escritores e editores se deixam desencorajar por isso. Pelo contrário, nos últimos 15 anos, a paisagem editorial turca cresceu imenso", afirmou o escritor, de 56 anos.
O ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Frank-Walter Steinmeier, também orador na cerimónia inaugural da 60.ª edição da Feira do Livro de Frankfurt, enalteceu os esforços de reformas na Turquia, mas lembrou também que "não é em vão que a liberdade de opinião é um dos critérios decisivos" para a adesão à União Europeia, aspiração mantida por Ancara.
"Garantir a liberdade de expressão exige mais do que promulgar algumas leis e aqui a Turquia ainda tem algum caminho à sua frente, mas queremos apoiá-la para o percorrer", disse o político social-democrata.
Em contraste com a chanceler democrata-cristã Angela Merkel, que recusa a entrada da Turquia na UE, e sugeriu que Bruxelas, em troca, tenha uma "parceria privilegiada" com o grande país, Steinmeier advoga a adesão integral da Turquia à UE, após a conclusão das negociações dos vários "dossiers".
A Feira do Livro de Frankfurt, que abre portas na quarta-feira e encerra no Domingo, tem este ano mais de 400 mil títulos expostos numa área de 172 mil metros quadrados, equivalente a cerca de 30 campos de futebol, será palco de 2700 actividades, aguarda a visita de perto de mil escritores e deverá ser visitada por quase 300 mil pessoas.
O director do certame, Juergen Boos, sublinhou na cerimónia inaugral que o sector livreiro enfrentou com sucesso a crise financeira, o que atribuiu ao facto de os livros "serem mais resistentes do que os ciclos económicos, o que significa também que não são um produto de luxo, mas sim uma necessidade".


(Fonte: Expresso)

Polémica em torno da mulher nas novas liras turcas


As notas só começam a circular a partir de Janeiro, mas a polémica já está a marcar o quotidiano da Turquia. O rosto de uma mulher, sem lenço, irá aparecer nas novas notas de 50 liras turcas e, mal o anúncio foi feito pelo Banco Central, choveram críticas contra a instituição.
Curiosamente, as críticas não partiram dos radicais ou conservadores muçulmanos, mas dos laicos, que acusam o banco de ter cedido à pressão dos islamitas ao escolher Fatma Aliye - uma escritora desconhecida, segundo alguns - em vez de optar, por exemplo, por Halide Edip Adıvar, um ícone feminista e escritora que lutou ao lado de Kemal Atatürk, o pai da Turquia moderna. Fatma Aliye morreu em 1936 e terá sido a primeira romancista turca.
"Personalidade duvidosa" é como o deputado Mustafa ÖzyÜrek, do Partido Republicano do Povo (CHP, laico), classifica Aliye. Por seu turno, Hülya Gülbahar, do grupo Kader - que defende a participação das mulheres na política -, recorda que Fatma Aliye lutou pela educação da mulher, mas, para ela, a contribuição da mulher para a civilização deveria fazer-se através da maternidade e do seu papel tradicional na família. Uma posição algo distante da de Adıvar.
Um matemático, um compositor, um arquitecto e um místico sufista do século XIII fazem parte do grupo, escolhido pelo comité do banco, para figurar nas novas notas.

(Fonte: DN)

Turquia é a convidada de honra da Feira do Livro de Frankfurt

A Turquia é a convidada de honra da edição deste ano Feira do Livro de Frankfurt mas cerca de 20 escritores e críticos literários turcos negaram-se a participar no certame. Entre eles, estão alguns dos mais consagrados autores da moderna literatura nacional que, em declaração conjunta, acusam o governo pró-islâmico de Recep Erdoğan de "não ter o direito de representar a cultura e a literatura turcas". Na comitiva oficial dos escritores estará também o autor de "best-sellers" Murat Han Mungan, que se declarou publicamente homossexual, num país em que o "coming out" está longe de já ser uma evidência. Quanto ao vencedor do Prémio Nobel, Orhan Pamuk, já foi várias vezes vítima da intolerância nacionalista e só recentemente viu arquivado um processo contra si em tribunal, por ter afirmado que a Turquia praticou um genocídio sobre o povo arménio. Mas a verticalidade de Pamuk dá frutos: vários intelectuais exigiram a abolição do Parágrafo 301 do Código Penal Turco, que castiga "Ofensas à Identidade Turca" e, claro, espera-se que a questão do (des)respeito pelos direitos humanos na Turquia seja um dos grandes temas a debater na Feira do Livro. A avaliar pelos temas dos colóquios em torno da participação turca - Libertação da Mulher, Migrações e Liberdade de Opinião, a par de Futebol, Música e Humor, mas também do Papel do Islão na Turquia - o interesse dos debates parece garantido. Polémicas à parte, a Turquia enviou a Frankfurt uma embaixada de mais de 200 escritores, liderada por Orhan Pamuk e "A Turquia em todas as suas Colorações" é o lema escolhido para apresentar o país, que tem na Alemanha uma comunidade de quase três milhões de pessoas. Em vésperas da Feira, foram traduzidos de Turco para Alemão cerca de 400 títulos, número impressionante que leva os organizadores do certame a pensar que este ano poderá ser batido um recorde de afluência, e alcançar-se a marca dos 300 mil visitantes até Domingo. Desde que o Germano-turco Fatih Akin ganhou o Festival de Cinema de Berlim, em 2004, com "Geggen die Wand" (A Noiva Turca), a Alemanha ficou a saber que existe uma elite turca nascida no país de acolhimento, e que Turquia não é sinónimo de Anatólia, a sua região mais pobre e menos alfabetizada. A presença em Frankfurt vai ser aproveitada, assim, para desfazer alguns mitos, e mostrar a pujança da cultura turca, garantem os responsáveis. "Quem abrir os olhos, verá na nossa música, na nossa arte, na nossa literatura e arquitectura influências dos Balcãs, do Irão, do mundo árabe, e traços de diferentes grupos étnicos, linguísticos e religiosos", afirmam num documento de apresentação. "Esta é a oportunidade que esperávamos, e não vamos desperdiçá-la", garante a editora turca Müge Gürsoy, vice-presidente do Comité de Organização do seu país na Feira de Frankfurt. Na era pré-islâmica, as histórias de nómadas marcaram os primórdios da literatura turca que, mais tarde, no Império Otomano, esteve sob forte influência persa e árabe. Com a fundação da República, em 1923, o lema passou então a ser a aproximação dos escritores ao povo. As reformas introduzidas por Mustafa Kemal Atatürk e a opção pelos caracteres latinos em detrimento dos árabes, em 1928, marcaram outra grande mudança. Para contar tudo isto, e muito mais, a Turquia vai ter em Frankfurt, além dos escritores, cerca de 700 artistas, de músicos a pintores, e levar a cabo dezenas de actividades.

(Fonte: Lusa, RTP)

11 outubro 2008

Turquia voltou às vitórias

A Turquia voltou às vitorias no Grupo 5 da fase de apuramento para o Campeonato do Mundo de 2010, ao bater este Sábado a Bósnia-Herzegovina por 2-1. Contudo, a equipa da casa teve de dar a volta ao marcador no encontro que teve lugar no Estadio Inönü, em Istambul.

Lesão de Karadeniz
Depois do empate caseiro ante a Bélgica na última partida, a Turquia voltou a ter problemas, pois no minuto 26 Edin Dzeko colocou os balcânicos na frente. Porém, os tentos já na segunda parte apontados por Arda Turan e Mevlüt Erdinç deram a segunda vitória no grupo à equipa de Fatih Terim. A Turquia não contou com Semih Sentürk, Nihat Kahveci e Gökhan Üna, pelo que Terim deu ao avançado de 17 anos, Batuhan Karadeniz, a estreia pela selecção, colocando-o ao lado de Mevlüt Erdinç. A contribuição de Karadeniz foi mais curta que o esperado, pois uma lesão no ombro obrigou-o a dar lugar a Nuri Sahin, a sete minutos do intervalo.

Dzeko marca
A Turquia começou bem e empurrou o adversário para a sua defesa, mas não logrou criar ocasiões de golo. Os bósnios, privados de Safet Nadarević, que se lesionou na véspera do encontro, foram ganhando confiança e subindo no terreno com o andar do relógio. Foi, assim, sem surpresa que chegaram ao golo, quando Dzeko, de cabeça, marcou na sequência de um livre da esquerda, aos 26 minutos de jogo.

Mevlüt resolve
A Bósnia-Herzegovina manteve-se na frente até ao intervalo, mas a Turquia viria a reagir e empatou num lance semelhante seis minutos após o recomeço, por intermédio de Arda Turan, na sequência de um livre de Sabri Sarioglu. A Turquia pressionou ainda mais na procura do tento da vitória, que chegaria mesmo aos 66 minutos, graças a um disparo de Mevlüt. Os Turcos vão agora procurar manter este registo quando se deslocarem a Talin para defrontar a Estónia na quarta-feira, enquanto a Bósnia-Herzegovina recebe a Arménia em Zenica.

(Fonte: UEFA)

10 outubro 2008

Reunião de Patriarcas ortodoxos em Istambul

Os patriarcas ortodoxos estarão reunidos a partir de hoje, sexta-feira, em Istambul, Turquia, para celebrar os dois mil anos do nascimento de São Paulo, o "apóstolo dos gentios". Na catedral patriarcal de S. Jorge al Fanar, o encontro reunirá, após vários anos, as cúpulas da ortodoxia, graças à anunciada presença do patriarca de Moscovo e de todas as Rússias, Aleksej II. Neste encontro, Bento XVI será representando pelo arcipreste da Basílica papal de São Paulo Fora dos Muros, Cardeal Andrea Cordero di Montezemolo. A delegação vaticana é composta também pelo núncio apostólico e presidente emérito da Pontifícia Academia Eclesiástica, Dom Justo Mullor Garcia, e pelo núncio apostólico na Turquia, Dom Antonio Lucibello, e pelo presidente da Conferência Episcopal da Turquia, Dom Luigi Padovese. Para Dom Padovese, este encontro é um sinal positivo no nome do apóstolo Paulo. Em âmbito ecuménico, ele afirma que a Turquia está a passar de uma cordialidade formal a uma formalidade de conteúdos. Até porque, afirma, "as Igrejas cristãs na Turquia vivem os mesmos problemas, e isso une-nos de modo especial".

(Fonte: Rádio Vaticano)

09 outubro 2008

Fernando Meira: "Não hesitei em assinar pelo Galatasaray"

O central português assinou no início da época pela equipa turca do Galatasaray. Passados os primeiros meses, Fernando Meira faz um balanço desta aventura.
Após sete anos de sucesso no Estugarda da Alemanha, aos 30 anos Fernando Meira decidiu partir para uma nova aventura. O destino escolhido foi o Galatasaray da Turquia. O central não se arrepende em nada da decisão que tomou e mostra-se muito feliz na Turquia: "Sinto-me satisfeito por ter dado este passo, era um dos meus objectivos partir para uma nova aventura. Surgiu-me o Galatasaray e não hesitei sequer em assinar. Estou muito contente e espero nos próximos quatro anos ter muito sucesso."Relativamente aos objectivos deste ano do seu novo clube, apesar do desaire na pré-eliminatória da Liga dos Campeões, Fernando Meira está confiante: "Conseguimos vencer uma supertaça que era o nosso primeiro objectivo. Posteriormente não conseguimos o apuramento para a Liga dos Campeões que era também uma das nossas metas. Agora temos a taça UEFA e as competições internas e vamos tentar chegar o mais longe possível".
O Galatasaray de Fernando Meira será um dos adversários do Benfica na fase de grupos da taça UEFA.

(Fonte: RTP)

08 outubro 2008

Turquia renova autorização de ofensiva contra o PKK no Iraque


O Parlamento turco renovou hoje a autorização dada ao Exército para atacar as bases dos rebeldes curdos do ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no Norte do Iraque. Dos 529 deputados presentes no hemiciclo durante a votação, 511 apoiaram a moção que dá ao Governo o direito de envolver o Exército em operações transfronteiriças contra o PKK. Dezoito deputados votaram contra. A votação no Parlamento aconteceu pouco depois de um ataque em Diyarbakır, principal cidade do sudeste da Anatólia, de maioria curda, ter feito quatro mortos e 15 feridos. O atentado foi atribuído ao PKK que terá atacado um carro da polícia. Cinco dias antes, um outro ataque do PKK, perto da fronteira iraquiana, matou 17 soldados, suscitando a indignação da população turca. Vinte e cinco rebeldes morreram nos combates que se seguiram, informou o Exército. Ontem, o primeiro-ministro Recep Tayyip Erdoğan já tinha ameaçado com uma nova intervenção terrestre contra o PKK no norte do Iraque. Hoje explicou que a autorização dada ao Exército “visa unicamente alvos identificados, os terroristas” do PKK, e não a população local. O actual mandato dado ao Exército para intervir no Iraque termina a 17 de Outubro. De acordo com um balanço publicado no site do Estado-Maior turco, desde Janeiro já morreram 640 rebeldes, 408 no Iraque.
Considerada uma organização terrorista pela Turquia, União Europeia e Estados Unidos, o PKK realiza, desde 1984, uma luta armada pela autonomia do Sudeste da Turquia, de maioria curda. O conflito já fez cerca de 44 mil mortos, segundo números oficiais.

(Fonte: Público/AFP)

05 outubro 2008

Ataque curdo mata 15 soldados turcos


O ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, que defende a independência das províncias curdas da Turquia) lançou na noite de sexta para sábado um ataque em grande escala sobre um posto fronteiriço com o Iraque, que causou 15 mortos, 20 feridos e dois desaparecidos entre os militares turcos. O alvo do PKK foi o posto fronteiriço de Aktütün, junto à cidade de Şemdinli (sudeste da Turquia), tendo a guerrilha utilizado artilharia pesada a partir do norte do Iraque e empregue cerca de 350 efectivos, segundo estimativa dos militares turcos. Segundo estes, o PKK sofreu 23 baixas naquela que é a sua quinta acção contra Aktütün desde 1992. O combate de sexta à noite prolongou-se por quase oito horas e as unidades turcas tiveram de solicitar apoio aéreo e cobertura de artilharia para forçarem os atacantes a abandonarem as suas posições. O Presidente Abdullah Gül, assim como o primeiro-ministro Recep Tayyip Erdoğan (que suspendeu uma deslocação à Ásia Central), asseguraram que Ancara não deixará de retaliar, desencadeando "uma resposta rápida e firme", e que os responsáveis do ataque "serão encontrados e responsabilizados". Os dois participaram ontem à tarde numa reunião do Conselho Superior da Luta Antiterrorista (órgão político-militar), em que foi analisada a situação. No plano diplomático, sucederam-se as condenações, com a União Europeia, os Estados Unidos e o Iraque a expressarem solidariedade ao Governo turco e a garantirem o seu apoio na luta contra o PKK. Recorde-se que este está inscrito na lista das organizações terroristas da UE e dos EUA e que este último país fornece a Ancara informação satélite real sobre os movimentos da guerrilha curda, escrevia ontem a AFP. O Governo de Bagdad classificou o ataque de Aktütün como "um acto criminoso" do PKK, admitindo que este "cria uma grave ameaça nas áreas fronteiriças e à segurança comum do Iraque e da Turquia". O porta-voz do Executivo iraquiano sublinhou a necessidade de Ancara actuar "com inteligência e contenção" na resposta àquele que é o mais grave ataque da guerrilha curda contra alvos militares turcos desde Outubro de 2007, quando foram mortos 13 soldados na província de Dağlica (sudeste da Turquia). O ataque de sexta à noite pode abrir um novo período de tensão entre a Turquia e o Iraque, país onde as forças armadas de Ancara desencadeiam desde há um ano operações contra os refúgios do PKK. Este já reivindicou a acção de Aktütün, apresentando-a como o início de uma campanha de retaliação pelos ataques turcos levados a cabo desde Fevereiro em território iraquiano. O Parlamento turco deve votar este mês a extensão por mais um ano das operações militares no interior daquele país, cuja autorização expira dia 17.

(Fonte: DN)

04 outubro 2008

Neca marca e aproxima-se da Europa


Neca esteve em evidência no campeonato turco ao apontar o segundo golo da vitória (2-0) do Ankaraspor frente ao Sivasspor. Este triunfo permitiu ao clube turco aproximar-se dos lugares que dão acesso às competições europeias, estando agora com 10 pontos, após a sexta jornada.

O golo de Neca foi marcado aos 72 minutos. Murat Tosun abriu a contagem aos 55. O Ankaraspor terminou o jogo também em superioridade numérica pois o Sivasspor ficou reduzido a 10 aos 66 minutos, quando Kanfory Sylla viu o segundo cartão amarelo.

(Fonte: Mais Futebol)