30 junho 2007

A adesão da Turquia à UE e a presidência portuguesa


[Expresso] A adesão da Turquia é um ‘engulho’ que vai sobrar para a presidência. Está a Europa em condições de corresponder às expectativas que criou a Ancara?

[Luís Amado] Vamos ter que avaliar essa questão ao longo dos próximos meses. Sabemos que durante a campanha eleitoral em França esta foi uma questão de bandeira. Agora temos que esperar para ver como se concretizam as posições do novo Governo francês. Temos ainda que ver como evolui a situação interna na Turquia, que tem um calendário eleitoral muito apertado e controverso. Uma vez clarificadas as várias posições, será o momento para tomar decisões ou tirar conclusões. Teremos que o fazer até ao Conselho Europeu de Dezembro.

(Fonte: Expresso)

Pesquisa revela que a Turquia é o país mais anti-americano do mundo


De acordo com uma pesquisa de opinião pública realizada em 47 países, pela PEW Global Atitudes Project, e divulgada hoje pelos jornais turcos, a Turquia é o país mais anti-americano do mundo, com uma opinião desfavorável aos Estados Unidos de 83%. Por outro lado, as posições favoráveis à União Europeia atingiram um mínimo histórico de 27%.
As posições pró-americanas na Turquia, diminuíram de 12% no ano passado para 9% neste ano, enquanto que em 2002, antes da guerra do Iraque, representavam 53%.
A maioria dos Turcos é favorável à retirada das tropas americanas do Iraque, tal como acontece em 39 dos 47 países sondados na pesquisa.
A principal motivação desta queda de popularidade sem precedentes dos Estados Unidos na Turquia é devida, segundo os autores da pesquisa, ao facto dos Turcos entenderem a guerra no Iraque como "uma agressão contra os muçulmanos". A isso, pode-se acrescentar também, a relutância dos Estados Unidos, no último ano, em eliminar as bases do PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão) no norte do Iraque.
"Alarmante", foi assim comentada por analistas turcos, a queda da popularidade da União Europeia registada pela mesma pesquisa. Apenas 27% dos Turcos têm hoje uma opinião favorável em relação à UE. Essa posição favorável era de 80% há cinco anos, e há dois já se situava abaixo do 50%. Nesse período de tempo, as opiniões claramente desfavoráveis à UE tornaram-se a maioria, com cerca de 58%.
A pesquisa regista também uma queda nas opiniões favoráveis ao Irão. A popularidade do Irão caiu dos 53% no ano passado para 28% neste ano.
Apenas 10% dos Turcos têm uma opinião favorável às políticas do presidente russo Vladimir Puti, enquanto que as opiniões favoráveis a Osama Bin Laden representam 5%.
A conclusão da Pew é que "os Turcos se sentem cada vez mais isolados no mundo".

(Fonte: ANSA)

29 junho 2007

Turquia poderá atacar bases do PKK no norte do Iraque


O governo turco tem planos para um eventual ataque militar às bases do ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no norte do Iraque, afirmou hoje o chefe da diplomacia turca, Abdullah Gül.
"Estamos de acordo sobre o que tem de ser feito", frisou o ministro dos Negócios Estrangeiros em declarações à cadeia televisiva CNN-Turk, em resposta aos insistentes apelos das forças armadas para uma incursão transfronteiriça contra os "santuários" do PKK no Curdistão iraquiano.
"Todos os planos estão concluídos, contemplando do melhor, ao pior dos cenários", indicou Gül.
O diário Radikal acentua que, de acordo com Gül, a Turquia passará ao ataque se os Estados Unidos, ou o governo de Bagdad não actuarem de imediato contra o PKK, considerado uma organização terrorista por Ancara, Washington e União Europeia (UE).
"Infelizmente, a cooperação com os Estados Unidos nesta matéria não corresponde às expectativas", lamentou o ministro dos Negócios Estrangeiros turco, adiantando: "Se Washington e Bagdad nada fizerem, tomaremos nós a iniciativa e passaremos à acção".
O chefe do Estado-Maior turco, general das Forças Armadas, Yaşar Büyükanıt, tem insistido desde Abril no imperativo de uma incursão militar contra o PKK na região autónoma do Curdistão iraquiano, onde a organização, segundo Ancara, goza de plena liberdade de movimentos e da possibilidade de aprovisionar tanto armas, como explosivos para perpetrar atentados na Turquia.
Até agora, Ancara tem privilegiado a diplomacia junto de Washington e Bagdad.
A tensão interna na Turquia, contra o PKK, está ao rubro desde o recrudescimento das operações do PKK no sudeste da Anatólia, onde a maioria curda reivindica a independência, que culminou com um atentado suicida em Ancara (no passado mês de Maio), saldado em oito mortos.
Em Lisboa, o embaixador da Turquia, Kaya Türkmen, falando à Agência Lusa insistiu em que "qualquer país tem de combater o terrorismo e, portanto, se vier a ser necessária uma incursão militar turca no norte do Iraque para acabar com as bases do PKK, será feita, não há dúvida, mesmo que isso nos complique a vida".
"É sempre complicado quando um país entra pelo território do vizinho para aí atacar os terroristas. Mas se a vida dos turcos correr perigo, teremos de ir lá, se a situação for muito grave não haverá alternativa", disse ainda.
E concluiu: "O ideal seria podermos contar com a colaboração internacional nesta matéria. Os Estados Unidos têm a liderança no Iraque e se pudéssemos trabalhar com Washington, com a UE e com o executivo de Bagdad seria ideal".
O conflito entre o PKK e o poder central de Ancara, que se arrasta desde 1984, já fez mais de 37.000 mortos. O líder da organização, Abdullah Ocalan, cumpre prisão perpétua numa prisão de alta segurança na Turquia.

(Fonte: Portugal Diário)

Angela Merkel pede contenção no caso do jovem alemão preso na Turquia

A chanceler alemã, Angela Merkel, pediu ontem "contenção e tranquilidade" no caso de Marco Weiss, o estudante alemão de 17 anos detido numa prisão turca desde 11 de Abril, por suspeita de ter abusado sexualmente de uma menor de nacionalidade britânica.
A chanceler alemã reiterou em Berlim que o seu Governo "está em contacto com as autoridades turcas", com o objectivo de ajudar o jovem o melhor que puder".
Entretanto, a família da suposta vítima, recorda que a vítima não é ele mas sim a sua filha.
A família de Charlotte, a britânica de 13 anos que alegadamente sofreu abusos sexuais por parte de Marco num quarto de um hotel em Antália, disse confiar na justiça turca.
Uma porta-voz da família explicou que a rapariga está traumatizada e a receber apoio psicológico, para além de precisar de escolta policial para ir à escola para ser protegida dos media.
Ao que tudo indica, a família de Charlotte está disposta a esgotar todos os instrumentos legais ao seu alcance no julgamento do jovem alemão que terá início na próxima sexta-feira.
Para além da chanceler, que pediu um repatriamento rápido do jovem, é o ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Frank-Walter Steinmeier, quem mais esforços tem realizado para retirar o jovem da prisão. Manteve conversações com o seu homólogo turco, Abdullah Gül, e com o responsável pelas negociações de adesão da Turquia à UE, Ali Babacan.
Babacan disse na passada terça-feira em Bruxelas que o caso de Marco era "muito incómodo", uma vez que o Governo de Ancara não quer nem pode imiscuir-se num processo judicial.
Marco assegura que Charlotte lhe disse que tinha 15 anos e não 13 como de facto tem. A Alemanha insiste na complicada situação do jovem e nos problemas causados pela sua ausência na escola.
O jovem está a partilhar uma cela, chuveiro e sanita com mais 30 reclusos.

Portugal recusa discutir a adesão da Turquia à UE

A presidência portuguesa da União Europeia esclareceu, em Bruxelas, que não pretende organizar um grande debate, como a França gostaria, sobre as fronteiras externas dos 27, nomeadamente sobre a adesão da Turquia.
"A França tem todo o direito de sugerir e levantar a questão do alargamento e da Turquia, mas a presidência e os outros Estados-membros têm também direito a ter os seus pontos de vista", disse o secretário de Estado dos Assuntos Europeus numa conferência de imprensa em que apresentou as prioridades da presidência portuguesa da UE.
Manuel Lobo Antunes recordou a posição de Portugal a favor da continuação das negociações com Ancara, que poderão um dia levar à adesão da Turquia à UE quando o país cumprir todos os critérios políticos e económicos estabelecidos.

(Fonte: Portugal Diário)

27 junho 2007

Paulo Portas acha que a Turquia não é um Estado elegível para integrar a UE

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, defendeu esta tarde no Parlamento que a Turquia não é um Estado elegível para entrar na União Europeia e que deve ser assumido um discurso claro sobre este dossier.
"Senhor primeiro-ministro, a Turquia só é um Estado laico, porque tem uma tutela militar. Se deixar de ter tutela militar deixa de ser laico," afirmou Paulo Portas, defendendo que por este motivo "não é elegível como Estado de pleno direito da União Europeia". "A Europa não pode prometer à Turquia aquilo que não lhe pode dar," referiu.
Para Paulo Postas, "um dia não se vai discutir sobre ter a Turquia dentro ou fora [das fronteiras da UE], mas sobre ter a Turquia dentro ou contra".
Apesar da tónica no problema da laicidade turca, o líder centrista, no início do seu discurso, tinha criticado a ausência de uma explicação mais significativa relativamente às raízes cristãs da Europa, no documento, questionando sobre o tratado: "Qual é a razão intelectualmente honesta que impede uma referência às raízes da Europa, que são sem dúvida judaico-cristãs."

(Fonte: Portugal Diário)

Filme do realizador turco Ferzan Özpetek galardoado em Itália


A 62ª edição dos prémios do cinema italiano Nastri d'Argento (Fita de Prata), teve lugar no passado Sábado à noite, numa cerimónia realizada durante o Festival Internacional de Cinema em Taormina, na ilha da Sicília.
O filme do realizador turco Ferzan Özpetek, Saturno Contro recebeu quatro prémios no festival, um dos mais famosos de Itália. Foi premiado com o melhor argumento, melhor actriz, melhor actriz secundária e melhor banda sonora.
Saturno Contro já tinha ganho quatro prémios no mês passado, numa votação organizada pela revista mensal italiana de cinema, CIAK.
O elenco do filme conta com os famosos actores italianos, Margherita Buy, Stefano Accorsi, Pierfrancesco Favino e com a actriz turca, indispensável nos filmes de Özpetek, Serra Yılmaz.

Live Earth foi cancelado na Turquia

A versão turca da série de concertos Live Earth, que acontecem no dia 7 de julho, foi cancelada. Os organizadores confirmaram a falta de patrocínio e de tempo. Os espectáculos ao vivo em Istambul vão ser substituídos por projecções das apresentações nas outras cidades do mundo.
Os concertos, com o objectivo de alertar para as mudanças climáticas, vão acontecer durante 24 horas em oito cidades: Tóquio, Hamburgo, Xangai, Rio de Janeiro, Nova Iorque, Joanesburgo, Sidney e Londres.

26 junho 2007

Jovem alemão acusado de abusos sexuais preso na Turquia

O que pode ter sido apenas um inocente flirt entre dois adolescentes, de 17 e 13 anos, está a transformar-se num contencioso diplomático entre a Alemanha e a Turquia, com os jornais turcos a acusarem a Alemanha de se imiscuir na justiça turca.
O caso remonta há 10 semanas, quando Marco Weiss, um estudante de 17 anos de nacionalidade alemã, foi acusado pela mãe de uma menina inglesa de 13 anos de abusos sexuais, num clube de férias de Antália, na Turquia.
O rapaz foi detido em Antália, numa cela partilhada por 30 outros reclusos estrangeiros e dotada de apenas um chuveiro e uma sanita. A peritagem feita pelas autoridades turcas indica que houve contactos sexuais entre os dois jovens mas não houve relações sexuais, apesar de terem sido encontrados indícios de esperma nas coxas da menina e uma irritação da membrana vaginal, embora sem penetração. Marco Weiss apenas admite a existência de beijos e carícias.
O julgamento começa a 6 de Julho e, se for condenado, Marco Weiss arrisca uma pena de até oito anos de prisão.
Na Alemanha, o caso emocionou a opinião pública, tanto mais que se o jovem for condenado, está fora de causa a extradição para o seu país de origem para cumprir pena, uma vez que esta situação não é punível pela lei alemã.
Amanhã o ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Frank-Walter Steinmeier vai falar com o seu homólogo turco, Abdullah Gül, em Bruxelas, para interceder pela libertação do jovem alemão. O Ministério dos Negócios Estrangeiros alemão, que está a acompanhar atentamente o caso, enviou uma nota verbal às autoridades de Ancara, com vista a que sejam atenuadas as condições de detenção de Marco Weiss. Esta diligência, no entanto, inflamou a opinião pública turca, com os jornais daquele país a acusarem a Alemanha de se imiscuir na justiça turca.

(Fonte: Correio da Manhã)

Mais informação sobre esta notícia aqui.

Países do Mar Negro reuniram-se em Istambul para discutirem petróleo e gás


Os 12 países que têm costa no Mar Negro estiveram reunidos em Istambul, esta segunda-feira, para discutir o tema da energia.
Esta é uma região do globo rica em petróleo e gás natural. Por isso, o tema da energia é fundamental para cada um destes 12 países, que incluem a Rússia, a Turquia, ou ainda três países-membros da União Europeia: Grécia, Bulgária e Roménia.
O Mar Negro vai ser, dentro de alguns anos, atravessado por um oleoduto e dois gasodutos, todos com origem na Rússia. O porto búlgaro de Burgas é o destino de duas dessas infraestruturas, incluindo o gasoduto South Stream, que depois de chegar à Bulgária segue dois caminhos, para a Áustria e para o sul de Itália. Um outro gasoduto vai ligar o porto de Beregovaya a Samsun, na Turquia. A decisão de construír o South Stream foi confirmada na véspera desta cimeira, com a assinatura de um acordo entre a Italiana Eni e a Russa Gazprom.
A produção de gás e petróleo desta região é a segunda maior do mundo, depois do Golfo Pérsico. A Rússia assume um papel de especial importância, neste mercado, sobretudo no que toca às vendas de gás à União Europeia. Os 27 importam cerca de 40% do gás que consomem, metade do qual vem da Rússia. Alguns países, sobretudo na Europa central e oriental, estão dependentes exclusivamente do gás russo.

(Fonte: Euronews)

Turquia dá mais um passo para a adesão à UE


A Turquia vai iniciar, esta terça-feira, uma nova fase nas negociações de adesão à União Europeia. Ancara e Bruxelas abriram mais dois capítulos nas áreas das estatísticas e do controlo financeiro. Ao contrário do que Ancara pretendia, o terceiro dossier que respeitava aos assuntos monetários ficou de fora. Esta situação terá sido provocada pelo veto da França, que não quis passar uma ideia errada para a opinião pública. A abertura do terceiro capítulo poderia ser interpretada como um passo decisivo para a entrada da Turquia na União Europeia, uma ideia também rejeitada pela maioria dos franceses. Também o Chipre se manifestou contra o início das negociações dos assuntos monetários. Os Cipriotas acusam Ancara de não estar a colaborar nesta área.
A França tem sido a principal opositora à entrada turca na União Europeia. O Presidente Nicolas Sarkozy rejeita atribuir à Turquia o estatuto de Estado-membro de pleno direito, defendendo, em vez disso, uma associação com Ancara, na qual sejam concedidos poderes especiais. Os restantes Estados-membros têm criticado a intransigência de Paris, mas tem sido a Comissão Europeia a exercer mais pressão sobre a França. Durão Barroso é um forte defensor da entrada da Turquia na União Europeia.

(Fonte: Diário da Europa)

24 junho 2007

Gül: "A minha filha não é a Paris Hilton"


O ministro turco dos Negócios Estrangeiros, Abdullah Gül, criticou na passada quinta-feira a Comissão do Ensino Superior (YÖK), por ter apresentado uma queixa contra a Universidade Bilkent, por esta ter permitido que a sua filha usasse o véu islâmico durante a sua cerimónia de licenciatura.
Durante uma entrevista ao Kanal 7, Gül disse: “Isto só mostra a sua intolerância. Não existe nada igual no mundo inteiro. Eu sinto pena dessas pessoas. Para além de que a cerimónia aconteceu fora da universidade. Eles devem punir-se a eles próprios por envenenarem o dia mais feliz da vida de uma jovem.”
Criticou igualmente alguns colunistas por compararem a sua filha com Paris Hilton: “Eles foram longe demais ao comparar a minha filha com Paris Hilton."

As mentiras do Expresso da Meia-Noite


Em 1978, estreou nos cinemas O Expresso da Meia-Noite, do realizador britânico Alan Parker, que se transformou numa das sensações desse ano.
Baseado no livro do americano Billy Hayes, o filme contava a "história verdadeira" do calvário deste numa prisão turca, por ter sido apanhado no aeroporto de Istambul com dois quilos de haxixe. Condenado a 30 anos de cadeia, Hayes foi metido num cárcere onde o sadismo dos guardas e as violações eram o pão nosso de cada dia, tendo depois conseguido evadir-se ao fim de cinco anos e fugir para a Grécia. Parker rodou o filme em Malta, após as autoridades turcas terem recusado receber a produção, por razões óbvias.
Atacado de imediato por dar uma imagem negativa e chocante da Turquia, cujo Governo se apressou a desmentir os factos nele narrados, O Expresso da Meia-Noite foi sucesso de bilheteira e ganhou dois Óscares, um deles para o argumento de Stone.
Já então, muita gente chamou a atenção para as liberdades excessivas tomadas pelo filme em relação ao livro, nomeadamente nas cenas de violência física e sexual inexistentes naquele, bem como para a deturpação do final. No filme, Hayes mata sem querer o chefe dos guardas que o ia violar, veste a farda dele e foge pelo portão principal. Na realidade, Hayes foi transferido para outra cadeia, de onde se escapou.
No passado dia 15, Billy Hayes, agora com 60 anos, foi à Turquia dizer aquilo que já havia afirmado nos EUA em 2004: O Expresso da Meia-Noite é um filme mentiroso, "um bluff", em que quase tudo é inventado, em especial a violência, as torturas e as violações no cárcere.
Convidado pela polícia turca para participar numa conferência sobre segurança em Istambul, Hayes, agora argumentista e produtor, pediu desculpa aos turcos pelos problemas que o filme lhes causou, frisando que "muitas das coisas vistas nele não aconteceram na realidade". Entre elas está a famosa sequência onde Brad Davis, que interpreta Hayes, arranca à dentada a língua de outro preso, informador dos guardas.
Reforçando as suas afirmações à imprensa americana em 2004, quando lamentou que o filme mostrasse "todos os turcos como monstros", e que a mensagem deste devia ter sido "não sejam idiotas como eu fui e não façam contrabando de droga", em vez de "não vão à Turquia", Billy Hayes disse: "Sobretudo, não é justo que em todo o filme não haja um Turco bom, pois até na cadeia onde estive preso os encontrei."
Agora, cinco anos depois de ter expirado o mandato para a sua captura pedido pela Turquia à Interpol, Hayes quer reparar todo o mal que O Expresso da Meia-Noite fez ao país, e vai rodar um filme para o promover internacionalmente.

in DN Online

22 junho 2007

Seis alunos portugueses visitam Campo Espacial da Turquia


Seis alunos que frequentam o 3º Ciclo de Ensino Básico da Escola Básica Integrada da Ponte das Três Entradas foram seleccionados para uma estadia no Space Camp Turkey,
uma extensão da NASA.
A partida é já no próximo domingo, 24 de Junho, e o regresso está marcado para 30 de Junho.
“Os pequenos grandes astronautas do Alva”, foi o nome do projecto desenvolvido no passado ano lectivo na Escola Básica Integrada da Ponte das Três Entradas, no âmbito do programa Ciência Viva e que, este ano, mereceu o reconhecimento do Space Camp Turkey. Orientado pelo professor de físico-química João Pedro Saraiva, que acompanhará os alunos nesta aventura, o projecto incidiu sobre temáticas ligadas à astronomia e astronáutica, destacando-se a realização de uma sessão de observação nocturna do firmamento, a partir do Monte de Colcurinho, o ponto mais alto do concelho, uma sessão de observação do sol através de telescópio solar e o lançamento de microfoguetes.
A Associação de Física da Universidade de Aveiro (FISUA) também se assumiu como parceira dos “pequenos grandes astronautas do Alva” com a dinamização de uma sessão de exploração espacial.
“Vão estar num sítio onde muitos cientistas gostariam de estar”, referiu ao diário on-line do Correio da Beira Serra, Adelaide Calado, vice-presidente do Conselho Executivo da Escola, que considera “fantástico” o convite do Space Camp Turkey.
“Temos consciência de que este tipo de projectos não aparece todos os dias nas nossas escolas”, notou a professora que, na ausência do professor impulsionador do projecto, tem sido responsável pelos preparativos da viagem dos “jovens cientistas”. A selecção dos seis alunos baseou-se em critérios de aproveitamento e comportamento, pelo que Adelaide Calado sublinha que “esta é também uma forma de mostrar aos alunos que vale a pena andar na escola e ter bom comportamento”.
Ainda sem experimentar os simuladores dos astronautas, onde a gravidade é zero, Mauro Neto confessou ao diário on-line do CBS que só há pouco tempo “veio à terra”. É que o jovem estudante nem queria acreditar que tinha sido escolhido e que, no dia 24, estaria de partida para o campo espacial da Turquia. “Ao princípio pensei que fosse brincadeira”, frisou Paulo Minas, confidenciando que já fez várias pesquisas na Internet para saber o que o espera. “A gravidade zero é o que mais me atrai”, contou.
O gosto pelas ciências e por matérias relacionadas com a Física e a Química fazem, na verdade, as delícias dos seis jovens que integram o grupo de 12 portugueses que, domingo, rumam em direcção à Turquia. Daniela Figueiredo quer seguir Medicina, mas não esconde o gosto pela Astronomia. Já, a Ana Bernardo e a Sara Lopes não descartam a possibilidade de se poderem vir a interessar “a sério” pelo estudo das ciências físicas e químicas. “Gosto de Astronomia, mas ainda não decidi o que quero ser”, contou Jéssica Gonçalves.

(Fonte: Correio da Beira Serra)

Seis países lusófonos vão participar em cimeira na Turquia

Os 50 países menos desenvolvidos, entre eles seis lusófonos, vão participar em Julho, em Istambul, numa cimeira promovida pelo governo turco para debater a integração na economia mundial.
O encontro vai realizar-se nos dias 9 e 10 de Julho, e será ainda solicitado àqueles 50 países o apoio à candidatura da Turquia a um dos lugares não permanentes do Conselho de Segurança da ONU, para o biénio 2009-2010.
Os seis países lusófonos que vão marcar presença na cimeira são: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.
Os restantes 44 países participantes na cimeira, em que intervirá ou o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, ou o chefe da diplomacia, Abdullah Gül, provêm do continente africano (29) da Ásia (nove), Oceânia (cinco) e América (um).
A cimeira terá como tema «Fazer Funcionar a Globalização» e é co-organizada pelo Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD) e pelo alto representante das Nações Unidas para os Países Menos Desenvolvidos.

Itália produziu minas utilizadas pelo PKK

O governo italiano declarou ontem que está pronto para cooperar com a Turquia relativamente às minas produzidas em Itália, e supostamente usadas pelo ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).
O general supremo das Forças Armadas turcas, Yaşar Büyükanıt, acusou alguns países da NATO da produção das minas utilizadas pelo PKK, nomeadamente a Itália, que terá produzido minas VS-50 e VS-69 utilizadas nos ataques.
A Embaixada da Itália em Ancara, numa declaração escrita disse: “a Itália parou a produção e exportação de minas unilateralmente em 1996 [...]. Por outro lado, a exportação desses dispositivos esteve sujeita a um forte controlo antes dessa data [...]. Neste contexto, é impossível que essas armas tenham sido produzidas num passado recente”. A declaração referia também que o governo italiano está pronto para cooperar com as autoridades turcas nesta matéria.

21 junho 2007

Turquia admite entrar no Iraque

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdoğan, garante que o seu governo autorizará, "se verificar que isso é necessário", uma operação militar, "de pequena ou grande escala", através da fronteira com o Iraque, a fim de combater os rebeldes curdos que se mostram agora mais activos.
"Estamos a analisar o assunto com as Forças Armadas e, se concluirmos que tal é necessário, tomaremos todas as medidas que entendermos como adequadas, mesmo que isso implique entrar no Iraque, porque não podemos permitir que os rebeldes do PKK realizem mais ataques contra o nosso país", afirmou Erdoğan.
Ancara, importante aliada dos Estados Unidos da América na Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), quer que as autoridades iraquianas e norte-americanas lutem contra o ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), grupo separatista que conduz ataques contra os interesses da Turquia, sobretudo utilizando bases na região montanhosa da fronteira com o Iraque.
Questionado sobre se acreditava que as autoridades dos dois países honrariam as promessas de combater o PKK, Tayyip Erdoğan deu uma resposta ambígua: "Quero continuar a acreditar que vão honrar o que disseram."

(Fonte: Jornal de Notícias)

20 junho 2007

Filha de Abdullah Gül usou o véu islâmico durante a cerimónia de licenciatura


A Comissão de Ensino Superior da Turquia (YÖK) apresentou ontem uma queixa contra a Universidade Bilkent por ter permitido que Kübra Gül, a filha do ministro dos Negócios Estrangeiros, Abdullah Gül, usasse o véu islâmico durante a sua cerimónia de licenciatura.
De acordo com a lei turca, é proibido o uso de véu islâmico nas universidades e muitas estudantes utilizam perucas em sua substituição. Kübra Gül usou uma peruca durante os quatro anos em que frequentou a universidade e licenciou-se em engenharia industrial.
O YÖK argumenta que a Universidade Bilkent tolerou que Kübra Gül usasse o véu islâmico durante a cerimónia, apesar dos artigos constitucionais e das normas jurídicas que o proibem.
Kübra Gül, ao contrário dos outros estudantes, recebeu o diploma junto dos elementos do protocolo e das mãos do seu pai, Abdullah Gül.

19 junho 2007

Morreu mais uma vítima do atentado à bomba em Ancara

Com a morte, ontem, de mais um ferido, o número de mortos em resultado do atentado à bomba em Ancara no mês passado, atingiu os nove, incluíndo o bombista suicida.
A última pessoa a morrer foi uma jovem de 21 anos que se encontrava a recuperar de graves ferimentos na cabeça desde o dia do atentado, a 22 de Maio.

Presidente vetou nova proposta de emenda constitucional

O presidente Ahmet Necdet Sezer vetou ontem uma lei que visava reduzir o tempo de espera para a realização de referendo, dos actuais 120 dias para 45 dias.
Este veto anula a intenção do governo de realizar também eleições presidenciais, a par das eleições legislativas que terão lugar a 22 de Julho.
A lei foi aprovada pelo Parlamento como parte de uma estratégia do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP, no governo) para eleger o presidente por sufrágio universal.

Ataque do PKK mata um soldado e fere outro

Rebeldes do PKK atacaram um grupo de soldados que patrulhava a zona rural de Kırıklı, em Gümüşhane, uma província montanhosa do norte da Turquia considerada estratégica pelo ilegalizado PKK. Em resultado do ataque, um soldado turco morreu hoje e outro foi ferido.
O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdoğan, disse à televisão nacional que está a pensar convocar todos os partidos políticos do país para discutir o problema do terrorismo. Na agenda estará uma operação militar no norte do Iraque, onde os curdos rebeldes têm enfrentado o Exército turco nas últimas semanas.

(Fonte: EFE)

18 junho 2007

Rice: "acções terroristas contra a Turquia a partir do Iraque são inaceitáveis"

Os Estados Unidos e o Iraque reprovam qualquer acção "terrorista" a partir do território iraquiano contra a Turquia, disse nesta segunda-feira a secretária de Estado norte-americana, Condolezza Rice.
A Turquia acusou os separatistas do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), baseados no norte do Iraque e ligados à rebelião curda, de agir sob a protecção dos Iraquianos curdos, aliados dos Estados Unidos.
Recentemente, rebeldes curdos escondidos nas montanhas do norte do Iraque cruzaram a fronteira para atacar as tropas turcas, pondo fim ao cessar-fogo declarado em Outubro de 2006.
O PKK fez parte da conversa entre Rice e o chanceler iraquiano, Hoshyar Zebari. "Discutimos a importância de não permitir que o território iraquiano seja usado para actos terroristas contra vizinhos, particularmente a Turquia", disse Rice após o encontro com Zebari.
A secretária de Estado destacou a importância de se acelerar o mecanismo de segurança, com a participação do Iraque, Estados Unidos e Turquia, estabelecido há algum tempo.
O PKK, considerado um grupo terrorista por boa parte da comunidade internacional, luta pela independência curda desde 1984, num conflito que já custou a vida de 37 mil pessoas.
A Turquia, que exige acções mais severas por parte do Iraque e Estados Unidos contra o PKK, não descarta uma acção unilateral para resolver a questão.

(Fonte: AFP)

16 junho 2007

O defesa Zé Gomes vem para a Turquia

O defesa Zé Gomes vai ser emprestado ao Konyaspor, e vai jogar ao lado de Neca, o médio ex-Marítimo que continuará ao serviço daquele clube. Zé Gomes tinha uma proposta do Leixões, mas não houve acordo. Depois, aconselhou-se com Neca e optou pelos Turcos.

(Fonte: Record)

15 junho 2007

Presidente turco leva reforma eleitoral a referendo

O presidente da Turquia, Ahmet Necdet Sezer, decidiu esta manhã submeter a referendo a reforma controversa da eleição presidencial por sufrágio universal. Revelou também que vai entregar um recurso no Tribunal Constitucional para anular a reforma.
A medida mais importante das reformas apresentadas pelo Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP, no governo), é a eleição do presidente por sufrágio universal a duas voltas para um mandato de cinco anos, renovável uma vez. A reforma surgiu depois do Parlamento não ter conseguido eleger o actual ministro dos Negócios Estrangeiros Abdullah Gül, no passado mês de Maio. A oposição laica colocou em causa, entre outras coisas, as posições islamitas moderadas do candidato e do partido do governo. Esta situação reacendeu o debate sobre a laicidade do Estado turco. Milhares de pessoas saíram às ruas das principais cidades do país em defesa do carácter laico da Turquia, previsto na Constituição.

Explosão de bomba causa pelo menos seis feridos em Diyarbakır

Pelo menos seis pessoas ficaram feridas devido à explosão de uma bomba na cidade de Diyarbakır, no sudeste da Turquia, habitada por uma maioria curda.
De acordo com as autoridades locais, uma pessoa que parecia ser um vendedor de jornais, colocou a bomba perto de um terminal de autocarros utilizado pelo exército, e a detonação aconteceu hoje às 07.30 horas locais.
Esta bomba foi a primeira a explodir em Diyarbakır num período de quase dois anos, apesar dos confrontos entre o ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e o exército turco.
Cerca de 50 pessoas morreram nas últimas quatro semanas no sudeste da Turquia, a maioria soldados turcos, seis dos quais oficiais.

13 junho 2007

Al Gore esteve na Turquia para anunciar Live Earth em Istambul


Istambul vai fazer parte do festival internacional Live Earth, que vai promover uma série de espectáculos ao vivo em vários pontos do mundo no dia 7 de julho.
As outras cidades já confirmadas são Tóquio, Xangai, Joanesburgo, Londres, Hamburgo, Rio de Janeiro e Nova York.
O ex-vice-presidente dos EUA, Al Gore, um dos organizadores do Live Earth, esteve hoje em Istambul para divulgar o evento, que será realizado no Forte das Sete Torres, uma construção bizantina. No entanto, ainda não foram anunciadas as bandas que vão actuar em Istambul.

12 junho 2007

Protestos contra o governo durante os funerais de três militares mortos em confrontos com o PKK


Foram realizados ontem os funerais de dois oficiais e de um soldado, mortos no passado Sábado em virtude dos confrontos com o ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).
As cerimónias fúnebres realizaram-se em simultâneo em diferentes cidades do país: Ancara, Istambul e Manisa, e foram transmitidas em directo pela televisão.
No mesmo dia, outro soldado perdeu a vida perto da cidade de Erzincan.
Em Ancara realizou-se o funeral do major Ramazan Armutçuoğlu, ao qual compareceram os líderes do governo e do exército, nomeadamente o presidente Ahmet Necdet Sezer, o ministro dos Negócios Estrangeiros Abdullah Gül, o líder da oposição Deniz Baykal e o chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Yaşar Büyükanıt.
Em Manisa realizou-se o funeral do coronel Melih Gülova, e em Istambul o funeral do soldado Hasan Güreşen. O presidente do Parlamento Bülent Arınç e o anterior General das Forças Armadas, Hilmi Özkök, compareceram ao funeral do coronel Gülova.
Os três militares morreram no Sábado quando o veículo em que seguiam pisou uma mina perto da cidade de Şırnak.
Ontem morreu outro soldado, Ahmet Bilgiç, elevando para 15 o número de mortos durante uma semana.
Protestos anti-violência marcaram os três funerais. Os presentes gritaram “fora os traidores”, referindo-se ao ilegalizado PKK, considerado organização terrorista pela Turquia, Estados Unidos e União Europeia.
Em Ancara, os protestantes aplaudiram Büyükanıt e Sezer e vaiaram Gül e outros membros do partido do governo (AKP). Reacções similares afectaram Arinç em Manisa, como sinal de que grande parte da opinião pública culpa o governo pela crescente violência e insegurança que tem vindo a crescer no país.
Em Istambul, as autoridades locais e um grande número de pessoas compareceram ao funeral do soldado Güreşen. O pai de Güreşen, Nuri Güreşen, dirigiu-se à multidão: “Eu tinha um filho. Perdi-o agora. Deixem o nosso país sobreviver”, disse.
Ancara enviou dezenas de milhar de soldados para combaterem os terroristas curdos no Leste e Sudeste do país, enquanto que o chefe das Forças Armadas pediu uma operação no norte do Iraque para combater os terroristas aí baseados.
O governo disse concordar com o exército mas ainda não adoptou nenhuma medida para que o Parlamento aprove tal acção no Iraque. O ministro dos Negócios Estrangeiros Abdullah Gül disse na segunda-feira que todas as opções estavam a ser tidas em conta. "Tudo aquilo que pode dar resultado está entre as opções", disse Gül a um jornal diário turco.
Gül, cujo governo enfrenta eleições no próximo mês, reiterou não haver desacordo com o exército relativamente a assuntos de segurança e sobre o Iraque.
Os Estados Unidos opõem-se a qualquer grande operação no norte do Iraque. No entanto, na sexta-feira as Forças Armadas turcas disseram que irão responder aos ataques do PKK, culpado pela morte de mais de 30,000 pessoas desde o início da sua campanha em 1984.
Gülova e Armutçuoğlu foram os oficiais de mais alta patente a serem mortos nos últimos tempos em confrontos com o PKK.

Foram detidos em França oito alegados membros do ilegalizado PKK

Oito suspeitos de pertencerem ao ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), foram detidos em Paris, Bordéus e Marselha.
Os detidos são suspeitos de pertencerem a organizações juvenis do ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e de estarem envolvidos em numerosos actos violentos contra negócios e propriedades turcas em França.

11 junho 2007

Mota-Engil poderá vir a ser concessionária de auto-estradas na Turquia

A empresa Mota-Engil faz parte da “short list” de uma concessão de auto-estradas na Turquia. A Mota-Engil é apontada como preferida do governo Turco para vencer esta concessão, onde o consórcio liderado pela Brisa foi entretanto excluído.

(Fonte: Jornal de Negócios)

Continua a tensão entre a Turquia e a Grécia via vídeos YouTube

Se por um lado, nos últimos tempos, as relações diplomáticas entre ambos os países parecem ter atenuado as tensões, algo contraditório parece estar a acontecer nos céus do Mar Egeu.
Há alguns meses, um vídeo, no site Youtube, que mostrava um avião de combate grego a interceptar um F-16 turco criou uma batalha de palavras na internet entre Gregos e Turcos. As querelas voltaram a surgir, desta vez com outro vídeo colocado no Youtube por um piloto turco.
Este vídeo surgiu no momento em que o site do Exército turco dá conta de 20 intercepções por parte dos aviões de combate gregos contra a aviação de combate turca em missões de treinamento desde o início de Junho.







Encontra mais vídeos desta "saga" aqui.

Outra discrepância nas relações económicas e militares dos dois países foi revelada quando a Inta, uma companhia turca, adquiriu os direitos de recepção via satélite no Médio Oriente, Europa e Ásia, de uma companhia de consultadoria espacial que pertence à GeoEye. A companhia transfere imagens de alta resolução do seu satélite chamado Ikonos aos seus representantes em vários países. A imprensa grega diz que o satélite Ikonos obtém imagens de alta resolução que cobrem 25% de toda a área territorial e marítima grega.
“As autoridades turcas podem ver as bases militares gregas gratuitamente, enquanto que nós temos de pagar milhares de dólares”. Este comentário tem sido largamente difundido pela imprensa grega.

36 candidatos turcos nas eleições belgas

Os Turcos com cidadania belga também participaram nas eleições legislativas de ontem, na Bélgica, como eleitores e como candidatos.
Trinta e seis Turcos foram nomeados candidatos às eleições em todas as frentes políticas, dos quais nove foram candidatos ao parlamento, enquanto que 27 foram candidatos ao senado. Desses candidatos a maioria eram mulheres, com a juventude a dominar as listas.
As últimas eleições tiveram 24 candidatos Turcos, que receberam cerca de 137,000 votos.
Dos 160,000 Turcos a viverem na Bélgica, 120,000 têm cidadania belga.
Cerca de 90,000 Turcos votaram nas últimas eleições Belgas.

Explosão de bomba em Istambul fere pelo menos 14 pessoas


Uma explosão, em Istambul, causou ontem pelo menos 14 feridos, no distrito de Bakırköy.
A bomba terá sido colocada debaixo de um banco de jardim na rua Ebuziya provocando uma explosão às 15.30 horas locais.
A polícia não avançou até ao momento detalhes sobre as investigações.
Esta explosão aconteceu no momento em que a tensão tem vindo a aumentar na Turquia, no decurso dos ataques perpetrados pelo ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).
No mês passado um bombista suicida matou sete pessoas e feriu cerca de sessenta num centro comercial, em Ancara.

10 junho 2007

Iraque condena suposto ataque da Turquia

O governo iraquiano apresentou um protesto formal à Turquia a acusar o país do bombardeamrnto de áreas curdas no norte do Iraque na semana passada.
A carta de protesto enviada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros diz que o bombardeamento causou muitos danos na região. O documento diz que tais acções "diminuem a confiança entre os dois países e prejudicam a amizade entre eles."
A Turquia não confirmou a ocorrência do bombardeamento, mas tem vindo a aumentar as suas forças militares ao longo da fronteira com o Iraque.
Especula-se que o governo turco está a preparar um ataque às forças do ilegalizado PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão), que se encontram alojadas no norte do Iraque e que foram responsáveis por ataques recentes na Turquia.
Segundo a carta, os bombardeamentos terão ocorrido na quarta-feira e na quinta-feira, causando incêndios e danos sérios.
O governo iraquiano acrescentou também que não irá permitir que o seu território seja usado como base para qualquer acção contra os seus vizinhos e afirma que a presença de qualquer elemento do PKK é ilegal. "O Iraque gostaria de aproveitar a oportunidade para declarar a sua determinação de cooperar com as autoridades turcas para acabar com o temor legítimo do país, através de um diálogo construtivo e uma cooperação positiva", diz o documento.
A carta de protesto seguiu-se a um aumento substancial de tropas e tanques turcos ao longo da fronteira da Turquia com o norte do Iraque.
A Turquia diz que cerca de 4 mil militantes têm base no local e têm condições de realizar ataques contra o território turco.
Na quinta-feira, várias áreas próximas à fronteira foram declaradas "zonas temporárias de segurança."
Quatro soldados foram mortos quando uma bomba explodiu na sexta-feira numa dessas zonas. Pelo menos cinco pessoas ficaram feridas na explosão, que terá sido provocada por grupos curdos.

(Fonte: BBC)

08 junho 2007

Ex-general supostamente envolvido no assassínio de Hrant Dink


Um militar supostamente implicado na morte do jornalista de ascendência arménia Hrant Dink apresentou queixa contra o advogado da família do jornalista por difamação.
O ex-general Veli Kuçuk, iniciou ontem um processo por difamação contra o advogado da família de Hrant Dink, Erdal Doğan, nas vésperas do início do julgamento dos presumíveis assassinos, no dia 2 de Julho.
Erdal Doğan, a quem o ex-general exige uma indemnização de 10.000 liras turcas (cerca de 5.000 euros), vai comparecer no tribunal no dia 18 de Setembro.
O advogado classificou o processo de "tragicómico" e lamentou que os encarregados de investigar o assassínio de Hrant Dink não tenham interrogado Veli Kuçuk, apesar da família do jornalista o considerar implicado no crime.
Após investigar o assassínio de Hrant Dink, o seu advogado, Erdal Dogan, declarou à imprensa que o seu cliente ficou extremamente intimidado com a participação de Veli Kuçuk num processo contra ele por "humilhação da identidade turca", em 2006.
Personagem chave no caso Susurluk de 1996, que ressaltou as relações estreitas entre as forças de segurança, os grupos mafiosos e os esquadrões de morte fascistas, Veli Kuçuk foi citado várias vezes em casos judiciais que nem sempre foram resolvidos.
Hrant Dink, director e cronista do semanário bilingue arménio e turco Agos, morreu no passado dia 19 de Janeiro de 2007 em resultado dos disparos de um jovem desconhecido em frente ao edifício do jornal, em Istambul.

(Fonte: Europa Press)

Neca quer regressar a Portugal

Depois de uma época emprestado pelo Marítimo ao Konyaspor, Neca pretende regressar à Madeira. O regresso pode, no entanto, ser difícil, uma vez que os turcos já terão inclusivamente accionado o direito de compra definitiva dos direitos do jogador. Embora a experiência na Turquia tenha sido positiva em termos desportivos, Neca diz que “tem sido muito complicado viver longe da família”. Por isso, o jogador está a fazer tudo para “ver se me deixam regressar”. Neca espera ver encontrada uma solução que lhe permita jogar no futebol português na próxima época.

(Fonte: Infordesporto)

Exército apela ao povo turco para realizar oposição em massa contra o terrorismo

O exército turco fez uma declaração ao país, cerca da meia-noite de ontem, onde apelou ao povo turco para realizar uma oposição em massa contra o terrorismo.
Nessa declaração, o exército disse que os últimos desenvolvimentos provaram que o aviso que o general supremo das Forças Armadas, Yaşar Büyükanıt, fez a 12 de Abril estava correcto. Nessa altura, o general disse que iriam acontecer ataques terroristas nas cidades turcas mais importantes a partir do mês de Maio.
Na declaração de ontem, o exército disse ainda que a integridade nacional e territorial do Estado turco estavam a ser ameaçados e que a nação deve estar alerta relativamente aos perigos que se aproximam. Disse também que está na altura de desmascarar as pessoas que, na Turquia e no estrangeiro, têm estado a usar valores de humanidade como a paz, democracia e liberdade para esconderem o seu apoio ao terrorismo.

07 junho 2007

Turquia cria zonas de segurança junto à fronteira com o Iraque

As forças armadas turcas anunciaram esta quinta-feira terem delimitado três zonas de segurança temporárias no sudeste do país no quadro de uma vasta operação contra os rebeldes curdos do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). As coordenadas divulgadas por fontes militares, correspondem a três zonas não urbanas e montanhosas no Curdistão turco junto à fronteira com o Iraque. De acordo com oficiais das forças de segurança, milhares de soldados turcos terão entrado no Curdistão iraquiano para caçar guerrilheiros separatistas a operar a partir de bases no norte do país vizinho. Esta informação foi prontamente desmentida pelo ministro dos Negócios Estrangeiros Abdulah Gül, que, no entanto, afirmou que Ancara "fará tudo para erradicar as raízes do terrorismo." As forças armadas turcas estimam que existem milhares de rebeldes do ilegalizado PKK a operar a partir de bases no norte do Iraque. O conflito que opõe os separatistas curdos e o exército turco dura desde 1984 e terá feito, em 23 anos, perto de 37 mil mortos.

(Fonte: Euronews)

06 junho 2007

Sarkozy diz ter estratégia para manter a Turquia fora da UE

Numa entrevista ao jornal Le Figaro, o presidente francês disse que a sua prioridade ainda é a obtenção de apoio para substituir o tratado de Constituição do bloco europeu. "Vou propor uma forma de não quebrar a Europa e, ao mesmo tempo, não continuar com a estratégia de adesão da Turquia", afirmou Sarkozy. "Não mudei o meu pensamento: a Turquia não tem lugar na Europa", acrescentou.
Sarkozy disse que não pretende levar a discussão sobre a Turquia para a reunião da cúpula da Europa, no final deste mês. "Se eu colocar a questão da Turquia, ela simplesmente não será tratada", disse.
O presidente francês reafirmou que a sua oposição à entrada da Turquia na União Europeia não tem como alvo o povo turco, mas diz respeito a uma questão de definição das fronteiras da Europa.
A posição de Sarkozy é contrária à da maioria dos líderes europeus, que apoiam as negociações com Ancara.
As negociações estão paralisadas desde o ano passado, quando a Turquia se recusou a assinar um tratado com Chipre, membro da União Europeia cuja independência não é reconhecida pelos turcos.

(Fonte: Agência Estado)

Duas ex-prostitutas anunciam candidatura ao Parlamento turco

Duas ex-prostitutas anunciaram na passada segunda-feira que vão ser candidatas independentes ao Parlamento turco nas próximas eleições de 22 de Julho.
Em frente a um bordel de Istambul, Ayşe Tükrükçü e Saliha Ermez disseram que irão trabalhar para aliviar o sofrimento das prostitutas. As duas candidatas empunhavam cartazes que diziam: “Nós, como candidatas independentes, convidamos os líderes dos partidos políticos para o bordel.” Tükrükçü disse que os líderes dos quatro partidos que convidaram para verem as condições dos bordéis, não aceitaram o convite. Disse igualmente que vão convidar os líderes de todos os partidos para verem como é que as prostitutas vivem e, se estes não responderem, vão levar as suas amigas e vão visitá-los. “As pessoas que trabalham nos bordéis também são eleitoras. Não são as prostitutas que devem ter vergonha, mas aqueles que as forçam a trabalhar desta forma”, disse, argumentando que a maior parte das prostitutas querem desistir dessa forma de vida, se lhes for dada essa oportunidade. Disse também que recebeu telefonemas de felicitações e que o seu objectivo é fechar todos os bordéis.
Depois do discurso, Tükrükçü e Ermez quiseram entrar no bordel para falarem com as prostitutas mas não foram autorizadas pela polícia.

CHP recorre ao Tribunal Constitucional para anular pacote de reformas

O Partido Republicano do Povo (CHP) recorreu ontem ao Tribunal Constitucional para que este anule a aprovação do Parlamento do pacote de emendas à Constituição, que inclui nomeadamente a eleição presidencial por sufrágio universal.
O CHP, o maior partido da oposição, argumenta que o primeiro artigo do pacote, que reduz o mandato do Parlamento de cinco para quatro anos foi aprovado apenas por 366 deputados, em vez dos necessários 367. Assim sendo, sustenta que todo o pacote deverá ser anulado de acordo com o artigo 175 da Constituição.

05 junho 2007

Ancara pressiona Bruxelas para abrir capítulo da energia


É o braço-de-ferro entre a União Europeia e a Turquia. Ancara quer começar a negociar o capítulo da adesão relativo à energia para o qual se considera pronta.
As questões energéticas foram o grande tema do fórum que reuniu hoje, em Istambul, representantes europeus e turcos. A Europa tenta cativar os dirigentes turcos para que assinem o Tratado Energético, mas Ancara afirma que o país está num período de transição e que precisa de aumentar os investimentos nas infra-estruturas energéticas nacionais, antes de poder aderir à comunidade energética como um parceiro de pleno direito. Além disso, dizem os dirigentes turcos, o capítulo energético ainda não começou a ser discutido com a União.
A Turquia situa-se "numa zona geográfica onde se encontram 70% das reservas mundiais conhecidas de petróleo e gás", insistiu o representante de Ancara. Actualmente, os mais de 1700 quilómetros do oleoduto Baku-Tbilissi-Ceylan permitem trazer, do Mar Cáspio para o Mediterrâneo, o equivalente a um meio milhão de barris de petróleo por dia. Isto, contornando o território da Rússia, o que representa uma vantagem para uma União Europeia necessitada de diversificar as suas fontes de energia e a sua dependência face a Moscovo, principal fornecedor da Europa. Além disso, a Turquia está também determinada a levar a bom porto a construção do gasoduto Nabuco, que, atravessando o país, permitirá encaminhar o gás do Azerbaijão até à Áustria. O projecto, orçado em mais de quatro mil milhões de euros, deverá estar pronto em 2011. A Turquia acredita, pois, ter argumentos suficientes para pressionar a abertura do capítulo da energia, ainda este ano. Alguns analistas estimam que Ancara receia que a União deixe de ter razões para aceitar a adesão da Turquia se esta assinar o Tratado Energético que garante o fornecimento de energia à Europa.

(Fonte: Euronews)

João Gomes Cravinho destacou em Ancara a necessidade de progressos em Chipre

De acordo com a agência de notícias Anatólia, João Gomes Cravinho, disse ontem que podem acontecer progressos em Chipre se houverem conversações entre ambos os lados. "Nós valorizamos a questão de Chipre [...] e acreditamos que contactos intensos podem contribuir para um progresso", acrescentou.
Portugal vai assumir a presidência da União Europeia no dia 1 de Julho.

João Gomes Cravinho esteve em Ancara para ponto da situação das relações entre a UE e a Turquia

O chefe da diplomacia turca, Abdulah Gül, recebeu esta segunda-feira, em Ancara, o seu homólogo alemão, Frank Walter Steinmeier, assim como Olli Renh, o comissário para o alargamento, e João Gomes Cravinho, o secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Portugal, país que vai assumir a presidência da União em Julho.
Durante este encontro com a 'troika' europeia, a Turquia defendeu o direito de responder militarmente aos ataques dos rebeldes curdos, lançados contra o seu território, a partir do norte do Iraque.
Quanto às negociações de adesão da Turquia, suspensas há seis meses por Ancara recusar abrir os seus portos e aeroportos aos navios e aviões cipriotas, os responsáveis europeus garantiram que o processo vai continuar, mas sem avançar datas. Ancara espera recomeçar a negociar três novos capítulos em Junho.

(Fonte: Euronews)

04 junho 2007

Sete soldados turcos foram mortos durante um ataque terrorista do ilegalizado PKK

Foram mortos hoje sete elementos das forças de segurança turcas num ataque perpetrado pelo ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) na província de Tunceli, no leste da Turquia.
Os sete militares eram membros da guarda paramilitar e foram mortos durante um ataque ao posto avançado que defendiam, perto da aldeia de Kocatepe no distrito de Pulumur. De acordo com testemunhos, um homem ter-se-á aproximado num veículo, terá lançado uma bomba e disparado contra as tropas. O atacante foi abatido pelos militares que sobreviveram ao ataque. Alguns testemunhos revelaram que outros membros do grupo terrorista voltaram a disparar, depois do primeiro ataque.
Para além dos sete soldados mortos, ficaram também feridos oito militares neste ataque. Os soldados mortos e feridos, estavam a cumprir o serviço militar a que são obrigados na Turquia.

Foi realizado o primeiro "casamento" homossexual na Turquia

Sibel e Nazlıcan, naturais de Tekirdağ, protagonizaram o primeiro casamento homossexual na Turquia. Embora o casamento não tenha validade legal, pois a Turquia não permite uniões homossexuais, Sibel e Nazlıcan celebraram o seu casamento como qualquer outro casal.
Nazlıcan, mãe de dois filhos de casamentos heterossexuais fracassados, é empregada e cantora no bar onde Sibel é gerente. Sibel diz que se sente homem e afirma que, assim que puder, vai fazer uma cirurgia de mudança de sexo. As duas mulheres pensam realizar um casamento válido perante a lei na Holanda.

03 junho 2007

Alberto João Jardim: "Uma Europa sem a Turquia e sem a Rússia está incompleta"

In O Primeiro de Janeiro

"Para mim, uma Europa sem a Turquia e sem a Rússia, está incompleta. A 'Europa do Atlântico aos Urais' de que falava o General De Gaulle. A cultura europeia que tem de ser a base primeira e fundamental da construção da União, também foi construída a partir da presença islâmica em muitas partes do velho continente. Não admitir a Turquia politicamente laica, mas de raízes islâmicas, é uma discriminação que pode destruir pontes necessárias com outras áreas do globo, nomeadamente sabendo-se da fragilidade energética da Europa. Além de que sou daqueles que não encontro valores hostis no monoteísmo islâmico, à nossa maneira de querermos viver."

Americanos criticam o suposto plano da Turquia de invasão do norte do Iraque para combater os rebeldes curdos

O secretário da Defesa americano, Robert Gates, criticou hoje o suposto plano da Turquia de enviar tropas do país para o norte do Iraque para combater os rebeldes curdos.
Gates disse à imprensa em Singapura que simpatiza com os turcos e partilha da sua preocupação relativamente aos ataques dos guerrilheiros. No entanto, acredita que "não ocorrerá nenhuma acção militar unilateral através da fronteira e dentro do Iraque".
Há um mês, o Exército turco intensificou as operações contra o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) perto da fronteira iraquiana. Fontes da província de Sirnak, na fronteira com a Síria e o Iraque, afirmaram que viram um comboio de 100 carros de combate a passar pelo centro da cidade em direcção à fronteira com o Iraque. Na quinta-feira, o chefe do Estado-Maior do Exército, general Yaşar Büyükanıt, disse que tudo estava a postos para uma incursão no norte do Iraque e que os militares apenas aguardavam a ordem do Governo. "Já deixei claro que esta operação é uma necessidade militar", afirmou.
"Centenas de turcos morrem todos os anos em virtude dos actos terroristas curdos, e estivemos a trabalhar com os turcos para tentar ajudá-los a controlar o problema em solo turco", afirmou o secretário da Defesa norte-americano.
No Sábado, o primeiro-ministro do Iraque, Nouri Al-Maliki, pediu à Turquia para respeitar a fronteira do país e ressaltou que o Governo de Bagdad não permitirá que o Curdistão iraquiano se transforme num campo de batalha.

(Fonte: EFE)

02 junho 2007

Cresce a tensão na fronteira entre a Turquia e o Iraque

Cresce a tensão na fronteira entre a Turquia e o Iraque, com o governo da Turquia a considerar um ataque contra uma base de rebeldes curdos no norte do país vizinho.
Hoje, durante uma visita à região autónoma curda, o primeiro-ministro iraquiano Nouri Al-Maliki exortou a Turquia a não realizar uma incursão militar, e disse que o seu governo não permitirá que uma área relativamente pacífica se torne um campo de batalha. Ao mesmo tempo, o comandante líder do grupo rebelde do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), Murat Karayilan, disse que as suas forças vão resistir a qualquer ataque militar turco.
Nas últimas semanas, a Turquia tem reunido as suas forças militares na fronteira com o Iraque, ao mesmo tempo que líderes políticos e militares debatem no país a possibilidade de um ataque contra os rebeldes curdos do PKK, que se escondem no Iraque e realizam incursões no sudeste da Turquia.
Especialistas militares disseram que é improvável que um ataque das forças turcas conduza a uma vitória decisiva contra os rebeldes curdos."Ninguém deve esperar que estiquemos os nossos pescoços como ovelhas para serem abatidas diante de um ataque com o objetivo de nos destruir", disse o líder rebelde curdo Karayilan. Apesar do discurso agressivo, a experiente guerrilha curda provavelmente não vai ficar e combater, de acordo com analistas. Pelo contrário, deverá procurar abrigo no complexo de cavernas e penetrar no interior do norte do Iraque, de volta para a sua principal base na montanha Qandil, dificultando a tarefa da Turquia.
Os comandos turcos realizam ocasionalmente incursões através da fronteira com o Iraque em busca de rebeldes curdos, que operam em pequenos grupos, carregam poucos alimentos e conhecem as fontes de água na região. Essas incursões normalmente possuem alcance e tempo limitados.
O primeiro-ministro iraquiano, Al-Maliki, prometeu que a liderança nacional iraquiana e curda estão unidas em não permitir que o Iraque seja usado como base para atingir países vizinhos, e exortou os lados a resolverem os seus problemas pacificamente. "Se há algum problema, não devemos contar com armas e ameaças, ou usar violência ou poder porque isso vai aumentar a tensão e agravar os problemas", disse Al-Maliki durante uma entrevista conjunta com o líder da região autónoma curda, Massoud Barzani, na capital regional Irbil.
Se a Turquia invadir o norte do Iraque, as forças turcas deverão estabelecer uma zona tampão de até 20 km para tentar conter a infiltração de rebeldes curdos, segundo uma fonte do governo turco.
A Turquia tem mais de 1000 tropas no Iraque a monitorizar as actividades dos rebeldes curdos desde a última grande incursão na região há uma década.

01 junho 2007

IVA cobrado no sector turístico e alimentar será reduzido em 2008 de 18% para 8%

O Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) cobrado a todos os serviços turísticos (hotéis e restaurantes) na Turquia, será reduzido em 2008 do seu valor actual de 18% para 8%.
O IVA sobre a maioria dos alimentos também terá uma redução de 18% para 8%, embora a medida não afecte produtos de primeira necessidade como o pão.
Analistas associam esta medida às eleições gerais que serão realizadas no dia 22 de Julho. Vários sectores da economia do país solicitaram uma baixa nos impostos como incentivo às empresas, particularmente na área do turismo.
O Fundo Monetário Internacional (FMI) já criticou a medida.

Embaixador da Turquia em Portugal reconhece que a Turquia não está preparada para entrar na UE

O embaixador da Turquia em Portugal, Kaya Türkmen, classificou hoje como "realistas e responsáveis" as declarações do presidente da Comissão Europeia de que ainda não estão reunidas as condições para a Turquia entrar na União Europeia.
"Neste momento [a Turquia] não está preparada para entrar [na UE], nem nós preparados para a acolher", disse o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, numa entrevista hoje publicada no Jornal de Notícias.
Durão Barroso referiu ainda que a "atitude mais responsável é continuar as negociações" para ajudar ao progresso da Turquia "no sentido da modernização de um Estado democrático europeu".
Em declarações à agência Lusa, o embaixador turco em Lisboa referiu que as afirmações de Durão Barroso são uma "prova de responsabilidade e realismo" considerando-as "positivas" e "optimistas".
Kaya Türkmen adiantou também estar convencido de que dentro de "alguns anos" a União Europeia e a Turquia acordarão a entrada do país na UE.
O embaixador especificou que a Turquia aponta como data possível de entrada, 2014.

Embaixador da Turquia em Portugal de acordo com Durão Barroso sobre entrada do país na UE

O embaixador da Turquia em Portugal, Kaya Turkmen, classificou hoje como "realistas e responsáveis" as declarações do presidente da Comissão Europeia de que ainda não estão reunidas as condições para a Turquia entrar na União Europeia (UE).
"Neste momento (a Turquia) não está preparada para entrar (na UE), nem nós preparados para a acolher", disse o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, numa entrevista hoje publicada no Jornal de Notícias.
Durão Barroso referiu ainda que a "atitude mais responsável é continuar as negociações" para ajudar ao progresso da Turquia "no sentido da modernização de um Estado democrático europeu".
Em declarações à agência Lusa, o embaixador turco em Lisboa referiu que as afirmações de Durão Barroso são uma "prova de responsabilidade e realismo" considerando-as "positivas" e "optimistas".
Kaya Turkmen adiantou também estar convencido de que dentro de "alguns anos" a União Europeia e a Turquia acordarão a entrada do país na UE.
O embaixador especificou que a Turquia aponta como data possível de entrada, 2014.

(Fonte: Jornal de Notícias)

Parlamento voltou a aprovar o pacote de reformas vetado pelo presidente


O Parlamento turco aprovou novamente a reforma constitucional que integra o polémico artigo que prevê a eleição do presidente por sufrágio directo, após duas voltas de escrutínio.
A medida foi proposta pelo partido do governo (AKP), após não ter conseguido eleger o seu candidato e actual ministro dos Negócios Estrangeiros, Abdullah Gül.
A reforma foi vetada na semana passada pelo actual presidente da República, Ahmet Necdet Sezer, mas o Parlamento acabou por aprovar hoje o pacote de emendas à Constituição, que prevê ainda legislativas de quatro em quatro anos em vez dos actuais cinco.
A eleição do presidente provocou uma crise na Turquia, com milhões de cidadãos nas ruas para defenderem a laicidade, e acabou por levar à antecipação das legislativas para 22 de Julho.