30 outubro 2007

Curdos da Turquia temem perder direitos


Os mais de 100 mil soldados turcos concentrados perto da fronteira com o Iraque são uma presença bem perceptível nas cidades de maioria curda no sudeste da Turquia. Os gritos das crianças que brincam nas ruas da pequena cidade de Yuksekova são abafados pelo ruído dos helicópteros militares.
No Domingo, soldados turcos mataram 15 rebeldes curdos numa grande operação militar contra os separatistas do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) na Província de Tunceli, 640 quilómetros a noroeste de Yuksekova. Muitos moradores dessa cidade apoiam os objectivos dos rebeldes, mas estão cansados dos combates e temem perder os recentes ganhos políticos. Nas eleições parlamentares de Julho, muitos eleitores apoiaram o Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP, no poder).
A influência do PKK foi reduzida nos últimos anos, mas analistas afirmam que uma ofensiva em larga escala contra o grupo separatista pode reviver o apoio local aos rebeldes. “Tenho 30 anos e o actual Governo é o mais democrático que já vi”, disse o jornalista Ismail Arslan, que trabalha na rádio de Yuksekova. “Mas não acho que ele possa continuar a sua trajectória democrática na actual situação.”
Tem crescido o apoio da população turca a uma resposta militar em larga escala da Turquia aos recentes ataques lançados pelo PKK, que mantém bases em território iraquiano. Mas, segundo alguns analistas, na sua ofensiva contra o PKK os soldados turcos deverão restringir os direitos e o movimento da população curda local e começar a prender moradores suspeitos de apoiar os rebeldes. “ Se a população local perceber um retrocesso das reformas democráticas, pode voltar a apoiar o PKK e seguir uma linha radical”, disse Volkan Aytar, investigador da Fundação de Estudos Sociais e Económicos da Turquia.
Muitos Curdos na Turquia, embora não apoiem a luta do PKK para a criação de um Estado curdo em território turco, já se sentem alienados pela retórica anti-PKK e os protestos em todo o país. Para Halit Tekci, um idoso sentado num café em Yuksekova, “são esses protestos (exigindo uma ofensiva contra o PKK) que arruinarão a Turquia. Eles só aumentarão o ódio contra os Curdos e levarão a um conflito entre Turcos e Curdos”.
Helicópteros turcos bombardearam ontem novas posições de rebeldes curdos no sudeste da Turquia. Fontes militares disseram que dois soldados morreram durante a operação na província de Şırnak, lançada para impedir a entrada de separatistas. Outro soldado morreu na explosão de uma mina em Tunceli.
Ancara começou ontem a impor sanções económicas contra o Curdistão iraquiano, cancelando os vôos entre a Turquia e Erbil, capital da região.

(Fonte: AP)

Sem comentários: